Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Tauromaquia Norte / Sul - Barreira de Sombra - Temporada de 2016 4ª. Crónica

31.03.16 | barreiradesombra

jandrade1.jpg

No passado dia 20 deste mês de chuvoso mês de Março, deixei aqui, neste espaço que o meu Amigo António Lúcio me consente, no seu blogue, a minha opinião, de como tinha visto as diferentes corridas das ‘Fallas’ de 2016, em Valência. Uma visão sempre condicionada, ou privilegiada, consoante o ângulo por onde se o queira comentar, uma visão, feita através do Canal Toiros.

Uma opinião, uma visão em que, como é meu timbre, procurei ser o mais isento e o mais sucinto possível, modo de não cansar quem nos lê, destacando assim, o que gostei, ou do que não gostei.

Não referi então nomes, quer dos toureiros, cavaleiros, ganadarias, ou recortadores, sim, que também isso não perdoei de ver.

Perdoei, mas não esqueci, também, algumas manifestações de eloquente e visível preconceito de directores de corrida. E passei por cima de indisfarçáveis posturas de chauvinismo e xenofobia, por parte de alguns assistentes. - Dir-me-ão: - não são todos!? Não são a maioria!?

Pudera!

Num mundo globalizado, isso seria estupidez a mais. Mas que lá, como cá, existem uns sujeitos que se arvoram em ‘donos do patriotismo’, disso não duvidarão os mais atentos. E como a estupidez não é um bem escasso, nem doença endémica… viva a democracia. É em nome dela, da dita cuja democracia, que coisas, atitudes insanas, se têm de consentir. Da democracia e do pluralismo de feitios.

Mas vamos ao que interessa, isto é, vou repetir o que então sobre as Fallas’ de 2016 disse, pois nunca é demais vincar a nossa opinião.

Acabaram hoje as ‘Fallas’, em Valência. Excepcionalmente, a vertente tauromáquica das ‘Fallas’, este ano, tiveram direito a uma corrida de toiros no domingo final.

Foi uma excepção, com um cartel de luxo, aliás, como o foram, para mim, alguns dos muitos cartéis que compuseram esta parte taurina dos festejos de Valência, neste ano da graça de 2016. 

Acabaram hoje as ‘Fallas’, e encerrou a feira taurina.

Uma feira que primou pela inovação na composição dos cartéis, dando lugar a que se apresentassem muitos jovens novilheiros e toureiros, e onde se apostou forte em diversificar também nas ganadarias.

As condições climatéricas só muito excepcionalmente também ajudaram.  Vento, frio e chuva, foram servidos com perdulária bondade. Os aficionados sentados nas bancadas, mais pareciam adeptos de hóquei sobre o gelo, que de uma corrida de toiros, ainda que numa cidade mediterrânica.

Se a Feira de Olivença já nos tinha deixado de sobreaviso quanto ao bom toureio que este ano se candidata a ser incluído no catálogo à disposição dos aficionados, mostrando gente jovem a medir meças com figuras. Foi esse o saldo final das ‘Fallas’ que hoje terminaram. E se renovamos a subscrição desta opinião, repetimos uma outra que já também aqui escrevemos. A de que os toiros estão cada vez mais gordos, apresentáveis, bonitos de trapio… mas sem forças e algo acomodados. Parece que esta moda de preparem toiros em ‘ginásio’, só lá vai com doping. O exercício nas ‘pistas de tartan’ das herdades, está a provar que não trás nada de melhor na lide, ou na duração dela. Muito pelo contrário.

As ‘Fallas’ de 2016, foram um mostruário de bons toureiros. Mais uma amostra, do que temos em Espanha para ver, desfrutar. Temos toureiros, felizmente, já que quanto aos toiros, matéria prima para lidar… isso vai ficando só figura, pelo muito peso, pelo desencanto.

Por hoje é tudo.

Do Norte com um abraço, 

José Andrade

CAMPANHA VÍDEO DE PROMOÇÃO DA CORRIDA DE 14 DE ABRIL, REVELADO AMANHÃ

30.03.16 | barreiradesombra

Joa~o Salgueiro7.jpg

 

Amanhã, na conferência de imprensa de apresentação da corrida de abertura da temporada 2016, do Campo Pequeno, será lançada a campanha de promoção do regresso do genial cavaleiro João Salgueiro.  

O vídeo será o grande foco da campanha, que será promovida sobretudo nas redes sociais, em diversos formatos. As filmagens decorreram durante vários dias na praça de toiros do Campo Pequeno e na casa do cavaleiro, em Valada do Ribatejo. Todos os detalhes serão revelados amanhã.  

A campanha promocional assenta fundamentalmente em conteúdos vídeo do cavaleiro, que serão divulgados em várias fazes e formatos, nas redes sociais. As filmagens decorreram durante vários dias, na Praça de Toiros do Campo Pequeno e em casa do cavaleiro, em Valada do Ribatejo.

Todos os detalhes serão revelados amanhã, a partir das 18 horas no Salão Nobre da Praça de Toiros do Campo Pequeno, onde esperamos por si.

DIEGO VENTURA NA ÚLTIMA ESTREIA DA MARÇO DO CANAL CAMPO PEQUENO TV

30.03.16 | barreiradesombra

Diego Ventura.jpg

A última estreia do mês de março no Campo Pequeno TV é a grande Corrida Flash de 2001, com os cavaleiros Rui Salvador, Diego Ventura e Francisco Palha e as pegas a cargo dos forcados de Santarém e Évora, com toiros da ganadaria de Maria Guiomar Cortes Moura. Estreia amanhã, dia 31, no Campo Pequeno TV

Entre nesta lide e subscreva já o Campo Pequeno TV no canal 165 da MEO e no Videoclube da NOS, com novos conteúdos todas as semanas. Saiba tudo em www.campopequeno.com/campopequenotv

Também estão disponíveis online conteúdos selecionados no Vimeo On Demand (https://vimeo.com/ondemand/campopequenotv).

Grandiosa Corrida Flash (2011)

Campo Pequeno. Cavaleiros: Rui Salvador; Diego Ventura e Francisco Palha. Forcados: Santarém e Évora; Ganadaria: Maria Guiomar Cortes Moura. Estreia 31 Março

JOÃO SALGUEIRO, O GÉNIO, ESTÁ DE VOLTA: 14 DE ABRIL NO CAMPO PEQUENO

28.03.16 | barreiradesombra

Joa-o Salgueiro 6.jpg

Vontade e ambição constituem os objectivos que têm norteado a já longa carreira do cavaleiro João Salgueiro. Uma carreira onde os objectivos são sonhados, amadurecidos e transpostos para a arena da vida e para a arena das praças, onde o seu toureio tem marcado presença desde que se apresentou em público, pela primeira vez, a 31 de Agosto de 1985, com apenas 17 anos de idade, em Salvaterra de Magos.

 

Após um interregno de cerca de dois anos, Salgueiro marca encontro com os aficionados no próximo dia 14 de Abril, no Campo Pequeno, na corrida de inauguração do abono de 2016.

 

JoaoSalgueiro 1.jpg

“Nem durmo a pensar neste dia. E não é por medo do toiro, mas antes pela responsabilidade de não defraudar nem o público nem a história tauromáquica da minha família. Não tenho medo físico, antes tenho enorme confiança nas minhas capacidades e nas das pessoas que me rodeiam e, claro, dos cavalos que tenho à minha disposição”. Neste estado de espírito, Salgueiro fala também com entusiasmo dos oito cavalos com que conta para esta corrida, 6 deles debutantes, e nos quais deposita também a maior confiança. Para já, João Salgueiro tem apenas o compromisso da corrida de 14 de Abril, no Campo Pequeno. “Depois se verá se faço mais alguma corrida e, caso o venha a fazer, será mesmo pontualmente. Isso está bem claro na minha cabeça. Não dependo do que possa vir a passar-se no Campo Pequeno pois eu vou lá para estar bem, para marcar a diferença e para marcar a minha carreira pela positiva”.

 

“Vou ao Campo Pequeno, por entender que são a corrida e a praça certas para tourear. É na justamente considerada a “Catedral Mundial do Toureio a Cavalo. É uma praça talismã na minha carreira”, acrescenta.

 

Joa-o Salgueiro.jpg

Enquanto cavaleiro tauromáquico, João Salgueiro considera-se um criador de emoções, um transmissor de sentimentos. “Quando toureio sinto uma felicidade inenarrável, sentimento esse que procuro partilhar com o público. O toureio é confronto homem-toiro na arena mas é também um poderoso transmissor de emoções e sentimentos aos espectadores. Eu sou um privilegiado por conseguir viver e transmitir ao público esses momentos e essas sensações e por, em paralelo, sentir que esse mesmo público me reconhece e retribui”.

 

Sabe que a sua forma de interpretar o toureio a cavalo não é consensual, situação que diz não o preocupar e relembra que “Cristo também não foi consensual e, por isso, foi crucificado”. No seu conceito de toureio a cavalo, este é tanto mais puro e verdadeiro quanto mais se aproximar do toureio a pé. Aceita a trilogia belmontista de “Parar, Mandar e Templar”, mas Salgueiro parece adaptá-la ao seu conceito pessoal ao substituir o “Mandar” por “Persuadir”. E expressa-o nos seguintes termos: “É preciso que o toiro sinta vontade de vir pelo caminho que eu lhe indico pois só vejo duas maneiras de atingir o centro da sorte: ou pela velocidade, ou pelo domínio da investida do toiro. E é esta ‘segunda via’ aquela em que assenta o meu toureio. O meu toureio baseia-se em dar distância no cite, cadência à viagem, respeitando os cânones da dressage e parar no centro da sorte”.

 

Falando sobre o toiro, refere que, “hoje em dia confunde-se um bocado o toiro que “passa” com o toiro que investe. Eu gosto do toiro nobre e com mobilidade, o toiro que acomete de praça-a-praça. Já quanto ao tipo de cavalos de tourear, recorda os bons resultados obtidos com os produtos da coudelaria de seu avô, Dr. Fernando Salgueiro, cavalos cruzados de Lusitano, Inglês e Árabe.

 

João Salgueiro é bisneto, neto e filho de cavaleiros tauromáquicos, mas as ligações de familiares seus ao toureio a cavalo remontam, pelo menos, ao século XVII. Sobre os seus antepassados mais próximos, João relembra o seu trisavô, João Inácio Salgueiro da Costa (ganadero), o bisavô Carlos Salgueiro da Costa, que foi cavaleiro amador, o seu avô, Dr. Fernando Salgueiro e seu pai, Fernando Andrade Salgueiro, ambos profissionais. A continuidade dinástica parece estar assegurada por seu filho, João Salgueiro da Costa, ao momento cavaleiro praticante.

 

Joa-o Salgueiro 4.jpg

Falando de seu avô, recorda-o como ”uma pessoa extremamente introvertida, mas um génio. Da sua formação veterinária lhe advinha um jeito natural para lidar com animais. Fez uma ganadaria e uma coudelaria exemplares e foi um grande criador de galgos. Como equitador…não é por ser seu neto, mas foi o melhor equitador que conheci. Ensinou-me as bases do seu toureio e eu não consegui chegar-lhe aos calcanhares…”. De seu pai, recorda a grande sensibilidade artística como cavaleiro tauromáquico e, claro, como equitador.

 

João Salgueiro fez a sua prova de praticante a 24 de Maio de 1986, na Moita do Ribatejo e tomou alternativa a 29 de Maio de 1988, em Almeirim, num cartel de luxo, que contou com a participação de seu avô (padrinho da cerimónia) e seu pai, como testemunha de honra. Completaram o cartel os cavaleiros João Moura, Paulo Caetano e Joaquim Bastinhas, já nesse tempo primeiríssimas figuras do toureio, e os grupos de forcados amadores de Santarém e de Montemor, tendo sido lidados toiros da Condessa de Sobral.

SÉRGIO NUNES EM BOM PLANO EM LEDESMA

28.03.16 | barreiradesombra

sergio nunes_DSF6465.jpg

Sérgio Nunes, aluno da Academia de Toureio do Campo Pequeno, registou ontem uma destacada actuação em mais uma sessão do Bolsin de Ledesma (Salamanca).

 

Como aos restantes 5 concorrentes desta sessão, coube a Sérgio Nunes lidar uma novilha de Valdeflor, ganadaria de que é proprietário o matador de toiros José Miguel Arroyo “Joselito”.

 

Sérgio Nunes foi muito aplaudido, tendo deixado bom ambiente.

 

 

Foto de Frederico Henriques

AMANHÃ EMISSÃO HISTÓRICA DESDE SEVILHA

26.03.16 | barreiradesombra

sevilha maestranza.jpg

Nunca antes transmitido pela televisão, o espectáculo de Domingo de Páscoa na Real Maestranza de Caballeria de Sevilla ficará na história por essa efeméride e, também, seguramente, pelo excelente cartel: com toiros de Garcigrande, actuarão Morante de La Puebla, José Maria Manzanares e Alejandro Talavante. Tudo isto a partir das 16h30 (hora portuguesa) com o prévio e a corrida a começar uma hora mais tarde.

 

As transmissões do Canal + Toros, desde Sevilla, continuarão de forma ininterrupta a partir de 6 e até 17 de Abril, sempre às 17h30 (hora portuguesa) e com o prévio a iniciar meia hora antes.

AS ESTREIAS DA SEMANA NO CAMPO PEQUENO TV

26.03.16 | barreiradesombra

cavaleiro 1.jpg

Esta semana não perca a estreia da segunda parte do especial dedicado às Grandes Lides a Cavalo de 2015 no Campo Pequeno, comentadas pelo cavaleiro Nuno Pardal e, ainda, uma fantástica corrida mista de 1997 que o vai surpreender. 

 

Adira já ao Campo Pequeno TV no canal 165 da MEO e no Videoclube da NOS. Saiba mais em www.campopequeno.com/campopequenotv. Também estão disponíveis online conteúdos selecionados no Vimeo On Demand (https://vimeo.com/ondemand/campopequenotv). 

 

Grandes Lides a Cavalo - C. Pequeno 2015 - 2ª Parte 

No final da retrospectiva da temporada 2015 em Lisboa, este 2º programa dedicado às grandes lides a cavalo, apresenta um conjunto de grandes actuações, realizadas por João Telles Jr., Ana Batista e Diego Ventura. Comentários de José Cáceres e Nuno Pardal.

 

 

Corrida do Sporting - Noite de Bandarilhas (1997)

Campo Pequeno. Cavaleiros: Joaquim Bastinhas e Luís Rouxinol; Forcados: Barrete V. Alcochete e Moura; Matadores: Vítor Mendes e Rui Bento Vasques; Ganadarias: Vinhas e Cabral Ascensão.

 

Pág. 1/7