Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

TAUROMAQUIA NORTE/SUL - Barreira de Sombra - Temporada de 2016 - 1ª. Crónica – 03/Fevereiro/2016

03.02.16 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Retomamos hoje, ou melhor, voltamos a partir de hoje, com a regularidade previsível, ao convívio que o meu Amigo António Lúcio com carinho, muita dedicação e esforço, aqui neste espaço me disponibiliza.

Se o Blogue Barreira de Sombra tem um sentido próprio no modo como é concebido, e como concebe a sua quota parte da defesa, divulgação e promoção da tauromaquia, agora que a época tauromáquica de 2016 tem o seu inicio, não é de mais repetir-lo, o que nos move, nos motiva, nos 'obriga' a 'intervir', é isso mesmo, destacar e enfatizar o que de pode enobrecer a Festa Brava, a arte de lidar toiros, a pé ou a cavalo. A Festa dos Toiros, a Tauromaquia será o centro das nossas atenções, mas o 'mundillo' em que isto se transformou, por certo não deixará de merecer também a nossa opinião. Afinal a 'aldeia global', é isso mesmo. E nós somos habitantes desta aldeia.

 

Retomamos hoje ao contacto com aqueles que nos seguem por aqui. O lema do Barreira de Sombra, que António Lúcio sempre fez questão de preservar, cumprir, elevar – se testemunhamos... falamos – é cada vez mais também uma exigência dos tempos que o mundo da tauromaquia atravessa. E, sendo a tauromaquia a arte de lidar toiros, uma arte de verdade, por muito essa verdade assuste uns tantos, continuamos crentes que a melhor defesa que se pode montar, quando a tauromaquia vive momentos periclitantes, é tratar os assuntos que a ela dizem respeito, ou que com a tauromaquia convertem, com verdade. E como gostamos mesmo muito da tauromaquia, será com verdade que por aqui vamos voltar a escrever o que testemunhamos, o que pensamos, e do que não gostamos. Temos uma opinião. Mas também temos subtil lealdade de reconhecer que existem outras opiniões. Que da discussão, leal, sincera e fundamentada, nasce a luz, não duvidamos, assim como sabemos diferenciar o que são ideias e opiniões próprias de 'opiniões encomendadas'. Tenho para mim, que já cá ando há umas boas dezenas de anos, que 'prefiro um bom malandro, a um malandreco'. E como isto nada recheado de malandrecos…!

 

Acabou o defeso, e com o anunciado Festival de Mourão, a temporada de 2016 parece não restarem dúvidas, já arrancou. Na melhor das tradições, aqui fica o meu voto… 'que Deus reparta sorte'!

Por hoje é tudo.

Do Norte com um abraço,

José Andrade

MARCOS TENÓRIO MANTÉM EQUIPA EM 2016

03.02.16 | António Lúcio / Barreira de Sombra

jjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjj.png

 O cavaleiro Marcos Tenório vai manter a sua equipa inalterada esta temporada. Peões de brega Ricardo Raimundo e Gonçalo Veloso, apoderado Fernando Silva, sendo o moço de espadas Hugo Cristiano.

CAMPO PEQUENO SOLIDÁRIO NO COMBATE À FOME EM MOÇAMBIQUE

03.02.16 | António Lúcio / Barreira de Sombra

FestivalLVIDA16APROV.jpg.partial

No dia 27 de Fevereiro pelas 16h realiza-se no Campo Pequeno um grandioso Festival Taurino Solidário a favor da Fundação LVida (FLVida), que vem responder ao enorme desafio de combate à Fome, continuar a alimentar diariamente estas crianças, lutando contra a grave desnutrição que tanto afecta as crianças desta região.

 

Dão o seu contributo artístico a este festival os cavaleiros António Ribeiro Telles, Manuel Ribeiro Telles Bastos e João Ribeiro Telles, os matadores Vítor Mendes, “Finito de Córdoba” e Juan del Álamo e o novilheiro Diogo Peseiro. Pegam os grupos de forcados Amadores de Santarém, Montemor e Vila Franca, capitaneados respectivamente por Diogo Sepúlveda, António Vacas de Carvalho e Ricardo Castelo.

 

Serão lidados sete novilhos-toiros (3 para a lide a cavalo e 4 para a lide a pé), gentilmente cedidos pelas ganadarias Ribeiro Telles, Murteira Grave, Luís Rocha, Paulo Caetano, Canas Vigouroux e Calejo Pires.

 

A FLVida, fundada em 2002 por Helena Ribeiro Telles no Dondo – Província de Sofala – Moçambique, é uma Instituição de carácter social sem fins lucrativos, que tem em vista a promoção do desenvolvimento social e humano, ajudando no combate à fome e à pobreza absoluta.

 

Diariamente alimenta 250 crianças carenciadas com pequeno-almoço e almoço e garante-lhes ainda o acesso à Creche, ao ATL, à Escola Primária e ao Centro de Saúde, assegurando uma Educação e um acompanhamento Médico de qualidade. Em paralelo, desenvolve um trabalho essencial com jovens, mulheres e famílias, apostando na formação em diversas áreas.