Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

A TEMPORADA 2015 EM ANÁLISE - OS GRANDES MOMENTOS DA TEMPORADA: TOUREIO A PÉ

31.10.15 | barreiradesombra

 

Êxitos existiram vários, alguns deles com fortes repercussões mas, creio, nenhum terá atingido a dimensão da saída em ombros em Lisboa de El Juli, ou de Juan José Padilla na Moita, numa temporada onde o toureio a pé voltou a marcar uma forte presença, consubstanciada também nas actuações de Pedrito de Portugal (Vila Franca, Moita e Caldas), de Juan del Álamo em Lisboa, António João Ferreira em Caldas da Rainha no 15 de Agosto, Manuel Dias Gomes em Sobral de Monte Agraço em Setembro. Motivos mais do que suficientes para eleger o toureio a pé como o grande triunfador da temporada.

Comecemos então pelo Campo Pequeno e pelo que escrevemos a 18 de Junho sobre a histórica noite de El Juli:

 

Faltam os adjectivos para classificar a passagem de Julian López “El Juli” pela arena da capital portuguesa: único, irrepetível, inenarrável, sublime, portentosa… Tudo o que se queira adjectivar sobre as três lições de toureio do matador madrileno! Uma actuação histórica, com a praça cheia, de pé, em ovações fortíssimas, culminando no terceiro toiro com 3 clamorosas voltas ao ruedo, três, público a romper as mãos de tanto aplaudir e os gritos de “Torero, Torero, Torero” a ecoarem como ainda não haviam ecoado após a reinauguração da Praça de Toiros do Campo Pequeno, mostrando que, afinal, quando as figuras vêm a Lisboa e com ganas de triunfo, o público reage e sabe distinguir o verdadeiro toureio, comprando bilhetes e enchendo a praça. A saída em ombros, após as 6 voltas à arena (1 no primeiro, 2 no segundo e 3 no terceiro) mais não foi que o corolário lógico de um idílio iniciado logo nos primeiros lances da capote ao bom segundo toiro da noite. Obrigado El Juli por tudo quanto nos fizeste sentir e pelo que nos emocionaste na histórica noite de 18 de Junho de 2015!!!

 

Juan José Padilla apresentou-se na Moita em mano-a-mano com Pedrito de Portugal; foi a 15 de Setembro e… saiu em ombros!

Grande ambiente para a primeira corrida da feira 2015 da Moita do Ribatejo, com o público a preencher mais de metade da lotação da “Daniel do Nascimento” mesmo com a chuva persistente que marcou presença até finais da lide do quarto da ordem, num ambiente extraordinário e onde houve motivos para celebrar e festejar o êxito dos matadores, com Padilla à cabeça e a sair em ombros pela porta grande depois de ambos os matadores terem sido passeados em ombros na derradeira volta á arena. Porque é que só Padilla saiu em ombros??? Mistério… Não! Prerrogativas da Sociedade Moitense de Tauromaquia.

A saída em ombros de Juan José Padilla é inquestionável e qualquer apreciação que se queira fazer a este espectáculo não poderá basear-se neste facto, quando os matadores se transcenderam na lide dos seis toiros de Falé Filipe, com presença suficiente para o tipo de espectáculo, mas aos quais faltou romper, alguns deles mansos e complicados, excepção feita ao segundo e sexto que foram um pouco mais potáveis nas suas investidas. Um curro que em nada facilitou a vida aos toureiros e que acabou por valorizar tudo aquilo que os matadores fizeram e o público soube aplaudir no momento certo.

Juan José Padilla é de outra galáxia. Não é um toureiro de arte, é certo, mas a sua entrega, a forma como lidou os três toiros que lhe tocaram por sorteio, a relação que estabeleceu com o público e com o aficionado, marcaram a tarde onde não faltaram dois sustos, o primeiro com uma voltareta e um puntazo na virilha esquerda e o segundo ao iniciar a faena de muleta ao sexto.

 

Pedrito de Portugal é outro dos protagonistas da temporada 2015 e a sua primeira faena na tarde de 27 de Setembro em Caldas da Rainha é memorável.

 

Pedrito de Portugal teve, finalmente, um toiro em que pode exprimir toda a classe e profundidade do seu toureio. Foi o seu primeiro, de muita nobreza e suavidade, de Torre de Onofre. Lanceou à verónica, mãos baixas, mandando nas investidas, e rematou com meia e serpentina. No toureio de muleta, cadenciado, com mando e temple, repousado, esteve extraordinário na forma como desenhou os passes, com profundidade, com sabor. Tandas que fizeram soar olés, que nos fizeram voltar atrás no tempo. Faena das que fazem aficionados e que fez com que muitos se levantassem nas bancadas para o aplaudir com calor e intensidade. Intensidade que havia tido a faena e que permitiu essa comunhão com os aficionados. E quando assim é, o triunfo é bem mais forte e importante.

 

Juan del Álamo, triunfador das principais feiras taurinas de Espanha, veio ao Campo Pequeno, e triunfou, na corrida de homenagem a José Mestre Batista.

 

Duas boas actuações somou Juan del Álamo e desde que recebeu os toiros de capote os ensinou a investir e qual o caminho a seguir. Bem de capote por verónicas rematadas com duas meias no primeiro, lanceou apenas a fixar o segundo. A faena de muleta ao quarto da noite é de muito bom gosto, belos e profundos os muletazos, temple e sabor, tudo bem ligado e com classe. No que encerrou praça voltou a mostrar o seu valor em séries bem ligadas, com profundidade e a aproveitar ao máximo o toiro para sacar o máximo partido deixando muito bom ambiente.

 

António João Ferreira não teve muitas oportunidades de tourear em 2015 mas aproveitou, e de que maneira, um bom toiro de David Ribeiro Telles no 15 de Agosto em Caldas da Rainha.

A António João Ferreira saiu um bom primeiro toiro, com o qual de capte apenas lanceou a fixar. Repartiu o tércio de bandarilhas com seu irmão João Ferreira que tirou a alternativa de bandarilheiro o qual deixou dois bons pares enquanto Antóbio encerrou o tércio com outro bom par. A faena de muleta teve qualidade e interesse, ante um toiro sério, com bons momentos pelo lado direito, com o toureiro a gosto e os passes a saírem com qualidade. Houve uns quantos naturais mas a faena teve interesse pelo lado direito.

Após tomar a alternativa em França, com uma corrida toureada nos Açores, Manuel Dias Gomes toureou em Sobral de Monte Agraço no dia 20 de Setembro e triunfou forte.

 

A praça de toiros de Sobral torna-se um talismã para Manuel Dias Gomes pois mais uma vez triunfou, forte diga-se em abono da verdade, no regresso do toureio a pé à corrida forte das Festas e Feira de Verão, realizada numa tarde de sol e calor já que na semana anterior a chuva havia levado ao seu adiamento.

 

Manuel Dias Gomes esteve excelente no manejo do capote no seu primeiro toiro, recebido por verónicas bem desenhadas a que se seguiram umas quantas chicuelinas e um quite por “lopecinas”. A faena de muleta foi de excelente qualidade, muito templada, com variedade e bom gosto, e muletazos largos e profundos, daqueles que fazer brotar os olés das gargantas. Houve derechazos e naturais que deixaram marca, pela forma como foram executados e, acima de tudo pelo perfeito acoplamento entre toureiro e toiro. Foram momentos para mais tarde recordar. E a sua segunda actuação, ainda que sem conseguir o tão elevado nível da primeira, também teve momentos para recordar, como os bons naturais em que enganchou bem as investidas e as conduziu de forma bem larga, muito templada. Uma boa actuação que os aficionados premiaram com fortes ovações.

 

No capítulo dos novilheiros e praticantes, o destaque vai para João Martins (Escola de Toureio José Falcão) do qual registamos algumas boas actuações, nomeadamente em Toucinhos, e na feira da Moita destacou-se o local Sérgio Gonçalves.

CANAL “CAMPO PEQUENO TV” NO AR A PARTIR DE 11 DE NOVEMBRO

30.10.15 | barreiradesombra

DSC_3221.JPG

O canal televisivo “Campo Pequeno TV” vai estar disponível nas plataformas MEO e NOS, a partir de 11 de Novembro, anunciou hoje a empresa do Campo Pequeno.

 

Trata-se de um canal “On Demand”, cujos conteúdos estarão sempre disponíveis para o cliente ver quando quiser e ao seu ritmo, indo ao encontro dos novos hábitos de consumo do produto televisivo e disponível por subscrição mensal, no valor de 7,50 Euros, com actualização semanal de conteúdos.

 

Também estarão disponíveis “On Demand” conteúdos seleccionados no “Vimeo On Demand”, estando esta opção direccionada para os portugueses e emigrantes que vivem fora de Portugal e para os aficionados dos restantes países taurinos.

 

Os objectivos deste canal de informação taurina são:

 

  • Possibilitar uma nova experiência da tauromaquia portuguesa aos aficionados, suprindo uma lacuna que existe na oferta taurina em Portugal, nascendo o primeiro canal dedicado à tauromaquia portuguesa.

 

  • Permitir aos aficionados manter uma ligação ao mundo dos toiros durante todo o ano, quer durante a temporada quer durante o defeso.

 

  • Permitir aos aficionados aceder a um conjunto de conteúdos exclusivos sobre a vida taurina do Campo Pequeno

 

  • Dar a conhecer as múltiplas vertentes da tauromaquia portuguesa através de conteúdos exclusivos sobre o campo bravo, história tauromaquia, figuras do toureio entre muitos outros

 

São Parceiros da empresa do Campo Pequeno, a NOS, MEO e o Fundo de Assistência dos Toureiros Portugueses, detentor dos direitos de imagem do artistas tauromáquicos.

 

Vários são os tipos de programas a apresentar no “Campo Pequeno TV”, como Corridas do Campo Pequeno resumidas e comentadas, Entrevistas de fundo, Lides e Pegas Históricas comentadas, Documentários sobre ganadarias, toureiros, forcados, história da tauromaquia entre muitos outros.

 

A produção dos conteúdos estará a cargo da IMI Produções e do conhecido repórter José Cáceres, que foi responsável por vários programas de tauromaquia na RTP , tendo a Identidade do canal sido desenvolvida pela agência criativa Savvy.

 

Nomes em destaque em Novembro:

 

Cavaleiros: João Moura, Pablo Hermoso, Diego Ventura, Joaquim Bastinhas, Rui Salvador, João Moura Jr, João Ribeiro Telles Jr.

Ganadaria David Ribeiro Telles

Grupo de Forcados Amadores de Santarém (histórica corrida do centenário deste grupo)

Matadores: José Luís Gonçalves

 

Conteúdos a estrear em Novembro:

 

Entrevista

João Moura — Arte e ofício (Entrevista de fundo ao último grande revolucionário do toureio a cavalo)

Documentário

A Ganadaria David Ribeiro Telles — Uma Família Ganadeira (documentário sobre uma das mais importantes ganadarias portuguesas, da reconhecida família Ribeiro Telles)

Corridas Comentadas

- Corrida do Centenário do G. F. A. Santarém - 23 de Julho de 2015 (Comentada por Pedro Torres)  (Uma corrida histórica, onde pela primeira vez na história um grupo de forcados saiu pela porta grande da praça do Campo Pequeno).

 

- Corrida Mista de Homenagem a Mestre Batista - 9 de Julho de 2015 (Comentada por António Garçoa)

- Sensacional Corrida Concurso de Pegas - 16 de Julho de 2015 (Comentada por Simão Comenda)

 

Momentos

Apresentação de José Luís Gonçalves no renovado Campo Pequeno - 21 de Setembro de 2006

(Comentário de Rui Bento Vasques).

FB SQ.png

 

MAIS PÚBLICO NO CAMPO PEQUENO, EM 2015

30.10.15 | barreiradesombra

DSC_3185.JPG

 

Mais espectáculos, mais púbico e mais atractivos caracterizaram a temporada sensacional de 2015, na Praça de Toiros do Campo Pequeno, em Lisboa

 

A temporada de 2015 fica desde já marcada por um aumento do número de espectáculos (de 11 para 13) e de um aumento de público, com a taxa média de ocupação por corrida a passar de 75,0% para 81,3%, em 2015, reflectindo um aumento de 6 pontos percentuais relativamente à temporada de 2014.

 

A percentagem de aumento de público cresceu 20,6% em 2015, relativamente a o ano anterior.

 

Foram lidados 69 toiros e 6 novilhos, pertencentes a 15 ganadarias, sendo o peso médio dos toiros lidados em corridas de 550, quilos (desvio-padrão de 44,9 quilos).

 

Quanto a artistas, apresentaram-se no Campo Pequeno 22 cavaleiros de alternativa, 5 praticantes, 3 matadores de toiros e dois novilheiros, originários de Portugal, Espanha, França e Colômbia. No que respeita a grupos de forcados, foram 21 os grupos que actuaram no Campo Pequeno.

 

Cresceu também o número de abonados que passou de 251 em 2014 para 378, em 2015, acentuando a tendência de recuperação verificada desde 2013.

 

As corridas transmitidas do Campo Pequeno pela RTP (duas), no seu conjunto ultrapassaram o milhão de espectadores (1023000).

 

Tiveram grande expressividade as homenagens ao Bandarilheiro António Badajoz (14 de Maio), ao Matador de Toiros Mário Coelho (18 de Junho), ao Cavaleiro José Mestre Batista (9 de Julho), ao Grupo de Forcados Amadores de Santarém, na passagem do seu primeiro centenário (23 de Julho) e ao decano dos Cavaleiros Tauromáquicos, D. Francisco de Mascarenhas (1 de Outubro).

 

A temporada de 2015 ficou também marcada pela inauguração do museu do Campo Pequeno, no dia 2 de Junho registando, até à data, um número de 8312 visitantes, provenientes de 86 países. O museu, elaborado com base em espólio da Sociedade de Renovação Urbana do Campo Pequeno e do Grupo Tauromáquico Sector 1, tem vindo a ser enriquecido com várias doações, destacando-se as do cavaleiro David Ribeiro Telles e D. Francisco de Mascarenhas e as ofertas das famílias de Jose Mestre Batista e João Branco Núncio.

 

Prosseguiu a recolocação de placas antigas evocativas de momentos históricos vividos na arena o Campo Pequeno e a colocação de novas placas, como as comemorativas dos 60 anos de toureio de Mário Coelho, dos 30 anos do falecimento do Cavaleiro José Mestre Batista e do centenário do Grupo de Forcados Amadores de Santarém.

 

A Academia de Toureio do Campo Pequeno continuou a sai actividade formativa, com especial ênfase nos alunos Diogo Peseiro que ascendeu à categoria de Novilheiro, tendo participado em 5 novilhadas e uma corrida de toiros e Sérgio Nunes (novilheiro praticante) que participou em 8 novilhadas e se apresentou em três corridas como “sobresaliente” de matador de toiros.

 

O Campo Pequeno reforçou a sua visibilidade nos media nacionais e estrangeiro de tauromaquia, alargou as suas parcerias institucionais e participou, de 21 a 24 de Outubro, na Feira Internacional de Macau, com o objectivo de divulgar a tauromaquia, como uma das expressões da cultura popular portuguesa junto dos povos asiáticos.

 

A empresa anunciou ainda o lançamento, dia 11 de Novembro do canal televisivo Campo Pequeno TV.

 

A TEMPORADA 2015 EM ANÁLISE - MEIA CENTENA DE ESPECTÁCULOS ACOMPANHADOS «IN LOCCO»

29.10.15 | barreiradesombra

IMG_4159A.jpg

A equipa fixa do Barreira de Sombra em 2015 foi composta por António Lúcio, José Andrade e Miguel Dias, com colaborações especiais e episódicas de Fernando Clemente (www.parartemplarmandar.com) e de João Dinis e Solange Pinto (www.touroeouro.com).

No Norte, com a sua Tauromaquia Norte/Sul, José Andrade trouxe até nós a sua visão crítica de espectáculos realizados na Póvoa de Varzim, Estarreja e Oliveira do Bairro, para além dos seus artigos de opinião, presentes em 27 programas que realizámos neste ano.

O jovem jornalista Miguel Viterbo Dias acompanhou as corridas de Almeirim, Corueche e de encerramento da temporada no Campo Pequeno (corrida de gala á antiga portuguesa a 1 de Outubro).

E com os restantes companheiros pudemos dar à estampa mais algumas crónicas e muitas e boas fotos de corridas e de tentadeiros.

É desta diversidade que procuramos fazer o melhor em prol da Festa Brava. A todos quantos facilitaram o nosso trabalho e começando pelas empresas e todos quantos colaboraram connosco, os nossos agradecimentos.

Lisboa, Praça de Toiros do Campo Pequeno foi, uma vez mais, a praça onde maior número de espectáculos presenciámos, num total de 9, seguindo-se as praças de toiros da Moita com 5 e Santarém com 4. Foram 20 praças onde marcámos presença e cujo escalafón ficou assim organizado:

PRAÇA

Total

Campo Pequeno

9

Moita

5

Santarém

4

Caldas da Rainha

3

Póvoa de Varzim

3

Sobral M. Agraço

3

Abiul

2

Almeirim

2

Arruda dos Vinhos

2

Coruche

2

Montijo

2

Salvaterra de Magos

2

Setubal

2

Tomar

2

Vila Franca de Xira

2

Azambuja

1

Estarreja

1

Mourão

1

Oliveira do Bairro

1

Toucinhos

1

 

Quanto à tipologia de espectáculos presenciados, temos

Tipologia de Espectáculo

Nº Total

%

Corridas à Portuguesa

35

70

Festivais

6

12

Corridas Mistas

5

10

Novilhadas

3

6

Só Matadores

1

2

 

Passemos, de seguida, aos quadros em que se encontram resumidos em número de corridas e de reses lidadas, as actuações de todos os artistas e ganadarias que vimos em 2015.

  • Cavaleiros de Alternativa

ARTISTA

CORRIDAS

TOIROS

Marcos Bastinhas

12

15

João Moura Jr

9

19

António Telles

9

17

Joaquim Bastinhas

9

12

Sónia Matias

9

9

Luis Rouxinol

8

12

Rui Salvador

8

11

João Telles jr

6

14

Filipe Gonçalves

6

8

Ana Batista

5

8

Manuel Telles Bastos

5

8

Tomás Pinto

5

5

João Moura Caetano

4

7

Gilberto Filipe

4

4

Diego Ventura

3

7

João Moura  

3

5

Tiago Carreiras

3

3

Pablo Hermoso de Mendoza

2

4

Duarte Pinto

2

3

Miguel Moura

2

3

Tito Semedo

2

3

Vitor Ribeiro

2

3

António D'Almeida

2

2

Francisco Palha

2

2

João Maria Branco

2

2

Sebastian Peñaherrera

2

2

Vitor Gonçalves

2

2

Brito Paes

1

2

Francisco Cortes

1

2

José Carlos Portugal

1

2

Marco José

1

2

Mateus Prieto

1

2

Paulo Caetano

1

2

Rui Fernandes

1

2

Alvarito Bronze

1

1

Ana Rita

1

1

Fermin Bohorquez

1

1

Jorge D'Almeida

1

1

Marcelo Mendes

1

1

 

  • Cavaleiros Praticantes

ARTISTA

CORRIDAS

TOIROS

Mara Pimenta

6

6

Luis Rouxinol Jr

5

6

Parreirita Cigano

4

5

Salgueiro da Costa

4

5

António D'Almeida

2

3

Cláudia Almeida

1

1

Francisco Parreira

1

1

Miguel Tavares

1

1

 

  • Cavaleiros Amadores

 

ARTISTA

CORRIDAS

TOIROS

António Núncio

3

3

Bernardo Salvador

3

3

Diogo Oliveira

1

1

Inês Silva Carvalho

1

1

Joaquim Brito Paes

1

1

Soraia Costa

1

1

Francisco Núncio

1

1

 

  • Grupos de Forcados Amadores

ARTISTA

CORRIDAS

TOIROS

Santarém

9

32

Vila Franca

8

23

Coruche

7

24

Alcochete

7

21

Apos. Moita

6

23

Ribatejo

6

14

Montijo

5

11

Montemor

4

13

Lisboa

4

12

Moita

4

10

Coimbra

3

9

Apos. Chamusca

3

8

Tomar

2

6

Arruda dos Vinhos

2

5

Caldas da Rainha

2

5

Salvaterra de Magos

2

5

ABV Alcochete

2

4

Beja

2

4

Alenquer

1

3

Portalegre

1

3

Amareleja

1

2

Azambuja

1

2

Cascais

1

2

Monsaraz

1

2

Ramo Grande

1

2

São Manços

1

2

 

  • Matadores de Toiros

MATADORES

CORRIDAS

TOIROS

Pedrito de Portugal

3

9

El Juli

1

3

Juan Jose Padilla

1

3

António João Ferreira

1

2

Juan Bautista

1

2

Juan del Alamo

1

2

Manuel Dias Gomes

1

2

Diego Urdiales

1

1

Lama de Gongora

1

1

Manuel Escribano

1

1

Manuel Jesus El Cid

1

1

Tomás Campos

1

1

 

  • Novilheiros e Praticantes

NOVILHEIROS

CORRIDAS

TOIROS

João Martins

4

5

Sérgio Nunes

3

3

Diogo Peseiro

2

3

João Augusto Moura

1

2

Alfonso Cadaval

1

1

João Silva Juanito

1

1

Manuel Dias Gomes

1

1

Paula Santos

1

1

Ruben Correia

1

1

Sérgio Gonçalves

1

1

 

  • Ganadarias

GANADARIA

CORRIDAS

TOIROS

Falé Filipe

7

26

Murteira Grave

5

26

Ascensão vaz

4

21

David Ribeiro Telles

4

19

António Silva

4

15

Passanha

3

14

Pinto Barreiros

3

11

Prudêncio

3

11

Vinhas

3

10

António Charrua

3

8

Cunhal Patrício

3

7

José Luis V.S. Andrade

2

12

Santos Silva

2

12

Vale Sorraia

2

7

Veiga Teixeira

2

7

Torre de Onofre

2

6

Jorge Carvalho

2

4

Luis Rocha

2

4

Rio Frio

2

3

José Lupi

2

2

Lopes Branco

2

2

Conde Cabral

1

6

Fernandes de Castro

1

6

Irmãos Dias

1

6

Manuel assunção Coimbra

1

6

Manuel Veiga

1

6

Paulo Caetano

1

6

Varela Crujo

1

6

Sociedade das Silveiras

1

5

Herdade de Camarate

1

3

João Ramalho

1

3

José Luis Pereda

1

3

Branco Núncio

1

2

Domingo Hernandez

1

2

Silva Herculano

1

2

Garcigrande

1

1

Guiomar Moura

1

1

José Palha

1

1

Mata do Demo

1

1

Nuñez Serrano Suner

1

1

Santa Maria

1

1

São Torcato

1

1

 

  • Directores de Corridas e Veterinários

DIRECTOR

CORRIDAS

Lourenço Luzio

10

Francisco Calado

9

Manuel Gama

9

Pedro Reinhardt

7

Tiago Tavares

5

Rogério Jóia

4

João Cantinho

3

Agostinho Borges

2

 

VETERINÁRIO

CORRIDAS

Jorge Moreira da Silva

11

João Maria Nobre

10

Francisca Claudino

6

José Luis Cruz

6

Hugo Rosa

5

Miguel Matias

5

Carlos Santos

3

José Manuel Lourenço

2

Matias Guilherme

1

 

PROTOIRO - Comunicado sobre Proposta Antitaurina dos Verdes no Parlamento Europeu

29.10.15 | barreiradesombra

sem nome.png

No dia de ontem o Parlamento Europeu aprovou uma emenda, apresentada pelo grupo dos Verdes, ao projecto de Orçamento Europeu para 2016, onde se pede que "Nem os dinheiros da PAC (Política Agrícola Comum) nem quaisquer outras verbas orçamentadas devem ser utilizadas para financiar atividades de tauromaquia em que o touro seja morto”.

 

Na verdade, esta emenda pede algo que não existe, uma vez que não existem apoios Europeus destinados à tauromaquia, como ontem revelou uma fonte da Comissão Europeia à Agência France Press: "Não há nenhum financiamento da UE para touradas afirmou, recordando que, desde 2003, os subsídios recebidos pelos agricultores "deixaram de estar ligados ao que produzem e em que quantidade para ficarem sujeitos ao respeito de determinados padrões" relacionados com o ambiente ou o bem-estar animal. Acrescentou ainda que a tourada está fora da alçada legislativa da Comissão, que "não tem competência para tomar medidas" na matéria.

 

O absurdo desta situação revela-se quando se sabe que a Comissão Europeia já respondeu publicamente cerca de 50 vezes a perguntas de diversos deputados europeus, esclarecendo que a tauromaquia não recebe financiamentos comunitários. Esta informação encontra-se no site do próprio parlamento europeu.

 

Esta proposta feita no Parlamento Europeu não passou de uma campanha mediática da parte de alguns grupos políticos radicais para tentarem gerar um efeito negativo sobre o sector da tauromaquia na Europa, através de uma proposta para o orçamento europeu. O alvo desta campanha foi a tauromaquia Espanhola e Francesa, onde o toiro é morto. Tratou-se de mais uma manobra demagógica que não tem fundamento legal, e não poderá ser aceite. Ao que tudo indica será recusada pelo Conselho da União Europeia.

 

Além da Comissão Europeia, também em Portugal, onde vários grupos antitaurinos têm veiculado a mesma mentira dizendo que a tauromaquia recebe 16 milhões de euros por ano, o IFAP (Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas) responsável pela gestão dos fundos europeus para a agricultura, desmentiu, categoricamente, a existência de apoios à tauromaquia, tal como o próprio Ministério da Agricultura, respondeu a esta questão colocada pelo Bloco de Esquerda, no final de 2012, pela deputada Helena Pinto, no parlamento.

 

A resposta não podia ser mais clara: “Não existem apoios públicos para fins tauromáquicos e “Não existe qualquer apoio que seja atribuído especificamente aos touros de lide, dado que, por um lado, os animais machos não usufruem de qualquer apoio directo e, por outro lado, a raça brava de lide não recebe qualquer apoio que a diferencie das outras raças autóctones”.

 

 

Esta Federação lamenta que uma vez mais um orgão politico com a relevância do Parlamento Europeu, seja instrumentalizado para votações que carecem de verdade e de fundamento legal, promovendo preconceitos taurofóbicos, num claro desrespeito pelos direitos e liberdades dos cidadãos europeus, e desprestigiando esta importante instituição.

 

ProToiro

Federação Portuguesa de Tauromaquia

A TEMPORADA DE 2015 DO «BARREIRA DE SOMBRA» EM ANÁLISE

25.10.15 | barreiradesombra

TEMPORADA 2015.jpg

  1. INTRODUÇÃO

As temporadas, em todas as áreas da cultura (e não só), ficam marcadas pelos êxitos e pelos fracassos. E qualquer temporada tauromáquica não é diferente da temporada de outras áreas. Os sucessos, ou êxitos, marcam positivamente cada ano e é desses que nos dá gozo falar e escrever. Porque “dos fracos não reza a história.”

Esta temporada de 2015, para o «Barreira de Sombra» foi, em termos de números de espectáculos assistidos, idêntica à anterior, já que presenciámos 50 espectáculos, dando primazia a uns quantos que acabaram por se revelar de verdadeiros acontecimentos. Pela sua importância e pela repercussão que tiveram junto do grande público.

2015 foi também o ano em que o novo Regulamento do Espectáculo Tauromáquico esteve na sua plenitude a ser aplicado mas sem que se vislumbrassem alterações profundas e significativas na melhoria do desenrolar do espectáculo.

Nesta temporada comemorámos 28 anos de existência, 28 anos ao serviço da Festa Brava, e apesar de não termos ido a tantas corridas quanto gostaríamos e seria expectável, estivemos naquelas que elegemos como as mais importantes (motivos de saúde travaram algumas saídas). Chegados ao fim da temporada, há a sensação de termos cumprido o nosso dever, já que não importa trabalhar muito mas trabalhar bem. E tivemos algumas pessoas connosco que permitiram mais qualidade e mais informação.

Mas, e como referido no início, as temporadas ficam marcadas por êxitos e por fracassos, também, e sempre, por gestos. E esta foi uma temporada em que aos gestos se somaram êxitos, fazendo com que alguns momentos fiquem para a História da lusitana tauromaquia. Sim, porque de fracassos ou falhanços não iremos falar. Isso sim, falaremos de êxitos e gestos que marcaram, em nossa opinião, a temporada de 2015.

Não é fácil elencar todos os êxitos que marcaram a nossa temporada de 2015. Ao correr da pena, e porque foi o maior de todos aqueles que presenciámos, o triunfo e correspondente saída em ombros de Julian López El Juli no Campo Pequeno (Lisboa), na noite de 18 de Junho, é o momento marcante da temporada de 2015. Se quiser escolher um triunfo significativo no toureio a cavalo, de todos quantos vi em 2015 ficar-me-ei com António Telles nas Caldas da Rainha na tarde de 15 de Agosto.

E em termos de pegas de caras, ficamo-nos pelas de Marcelo Lóia (ABV Alcochete) e de António Goes (Santarém), ambas no Campo Pequeno.

Como referi, estes destaques são um bocado ao correr da pena, porque muitos outros momentos ficaram bem marcados na memória e a valorizar esta temporada de 2015.

Porque não poderemos esquecer que o toureio a pé marcou forte presença, merece um destaque especial na nossa análise. E porque de toureio a pé se fala, a alternativa de Manuel Dias Gomes, 40º matador de toiros português, é outro momento.

Os ganadeiros enviaram bons produtos, essenciais para o triunfo dos toureiros e, com a exigência dos 4 anos cumpridos nos toiros em praças de 1ª categoria, impô-se um maior respeito e os triunfos tiveram outro valor. Como sempre, houve toiros bravos e com classe, alguns deles a voltarem para o campo, o que atesta o bom momento da ganadaria portuguesa.

Uma nota final: todos os números e comentários inseridos na análise á temporada 2015 apenas dizem respeito aos espectáculos presenciados pelos 3 críticos do programa e a escolha dos momentos é da única responsabilidade de António Lúcio com base nas crónicas da temporada.

António Lúcio

Panorama - PAN na Assembleia da República

24.10.15 | barreiradesombra

mdias1.jpg

 O nosso colaborador Miguel Viterbo Dias, no passado mês de Março lançoucom uns colegas de jornalismo um projecto de actualidade politica, disponível em www.opanorama.pt.

E sobre a eleição de um deputado pelo PAN nas passadas eleições, realizou um trabalho de muito interesse e que está disponível em http://opanorama.pt/2015/10/23/pan-tem-como-prioridade-abolir-a-tauromaquia-sector-nao-ve-riscos-para-ja/

Não perca.

Pág. 1/5