Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

ALGUMAS NOTAS SOBRE A FEIRA DA MOITA

01.09.15 | António Lúcio / Barreira de Sombra

IMG_0523.JPG

 A Feira Taurina da Moita, ontem apresentada oficialmente, tem muitos ingredientes para, se o tempo ajudar também, ser uma importante referência na temporada 2015 em Portugal. Tem aliciantes de sobra para que aqueles que se intitulam aficionados e defensores do toureio a pé e a cavalo possam encher literalmente as bancadas da “Daniel do Nascimento”.

Juan José Padilla é um toureio de enorme valor, demonstrado ainda mais após a violenta colhida que o deixou com marcas para o resto da vida. Impõe-se em cada tarde com o seu toureio e a resposta de Pedrito não poderá ficar-se por meias tintas. Terá de arrimar-se a fundo e mostrar que o seu toureio de arte e filigrana pode com a explosão de sentimentos provocada pelo matador espanhol.

Depois a corrida de quinta-feira. Um cartel de máxima competição e onde se comemoram 35 anos de alternativa de uma grande figura, Paulo Caetano, que seguramente quererá recordar momentos inolvidáveis vividos com montadas como o Vila Franca, o Tupi Lupi, etc. E tudo isto com Diego Ventura, a querer uma vez mais mostrar quem manda. João Moura Caetano não quererá perder a luta e, numa temporada importante em termos de triunfos e sem ter estado em Lisboa, vai seguramente mostrar o seu valor.

Sexta-feira é tempo de seis cavaleiros rematarem a tarde/noite de maior fulgor popular das Festas da Moita, a tarde do fogareiro. Um misto de veterania e juventude que fará deslocar muita gente até à praça de toiros.

E na quarta-feira haverá lugar aos novos, com uma novilhada mista que se espera tenha público e sirva de lançamento para os jovens toureiros.

No capítulo dos Forcados, os Amadores do Aposento da Moita pegarão em solitário a corrida de 5ª feira encerrando as comemorações dos seus 40 anos de existência, e na de sexta estarão em praça os Amadores da Moita e os Amadores de Alcochete, enquanto que na novilhada pegam os mais jovens do Aposento da Moita.

No que se refere a toiros, a primeira corrida terá um curro de Falé Filipe que poderá dar algumas garantias aos matadores; na quinta-feira serão lidados toiros de Paulo Caetano, um curro de muita presença e finalmente sairão os toiros de Dr. António Silva, outro curro impressionante. Que invistam é o que se espera.

Que os toiros invistam, os toureiros se arrimem e o público adira! Nós contamos estar lá para lhe contar todas as incidências.

Mano-a-mano Moura Jr – Telles Jr no momento certo e no local certo

01.09.15 | António Lúcio / Barreira de Sombra

João Moura Jr e João Ribeiro Telles Jr, que protagonizam na próxima quinta-feira, no Campo Pequeno, o mano-a-mano mais esperado da temporada, são unânimes em considerar que este encontro “vem no momento certo e no lugar adequado”. João Moura Jr vai mais longe e, parafraseando Júlio César ao passar com as suas tropas o Rubicão, diz mesmo: “Os dados estão lançados…só é preciso que caiam nos números certos”.

A temporada de 2015 tem sido de extrema importância para os dois cavaleiros. Para João Ribeiro Telles Jr, tem sido “uma temporada em crescendo. Tenho tido grandes actuações em praças marcantes e toureei quatro corridas seguidas com quatro lotações esgotadas (Campo Pequeno, Redondo, Alcochete e Abiul), correspondentes a quatro grandes triunfos. Nas outras corridas, os êxitos também têm surgido e isso deixa-me muito satisfeito, tanto mais quanto tenho conseguido transmitir aos aficionados a extensão e a profundidade do meu toureio”. Por seu turno, João Moura Jr classifica a sua temporada de “importantíssima”, pois foi o único cavaleiro português a actuar em Sevilha e Madrid, triunfando em ambas. Mais a mais, foi o único português a cortar uma orelha em Madrid, triunfou nas duas actuações no Campo Pequeno e destaca também a corrida de Moura, embora as suas actuações tenham praticamente sempre redondeado em triunfo. “Para se ser figura há que começar a alto nível exibicional, manter esse nível ao longo de toda a temporada e alternar com os cavaleiros mais importantes, tanto de Portugal como de Espanha. E é nesse tom que tem decorrido a minha temporada, pois além das maiores figuras portuguesas, toureei em Portugal e Espanha com as duas maiores figuras mundiais do rejoneio: Pablo Hermoso de Mendoza e Diego Ventura”.

João Ribeiro Telles Jr., considera benéfica para os artistas e para a festa a pressão que acontecimentos como este colocam nos intervenientes. “Essa pressão existe porque somos os cavaleiros que mais se têm destacado esta temporada. Atravessamos ambos um bom momento e isso não só nos motiva, como motiva o público a ir à praça”. Ainda abordando o tema “pressão”, João Moura Jr diz que “embora haja outros cavaleiros que me tenham ‘apertado’ ao longo da temporada, é da parte do João Ribeiro Telles Jr que sinto maior pressão”.

Há 30 anos, João Moura e João Telles protagonizaram também uma intensa rivalidade. Nesse tempo, os respectivos filhos ainda nem eram nascidos. Moura Jr recorda que seu pai foi o cavaleiro que, nos últimos 40 anos, “mais influenciou o toureio a cavalo no mundo, tendo deixado uma marca absolutamente indelével. Naturalmente que também me influenciou a mim…influenciou-me totalmente e, agora, o meu grande objectivo é chegar ao plano de figura a que ele chegou”. E, falando de seu pai, Telles Jr afirma: “O meu pai marcou-me em tudo! A sua arte e o seu sentimento do toureio, penso que eram únicos”.

Relativamente às ganadarias presentes neste mano-a-mano, João Moura Jr relembra que são três ganadarias de primeira categoria, duas delas (Pinto Barreiros e Murteira Grave, com um historial do maior prestigio, tanto em Portugal como em Espanha e França), e acrescenta ainda que a ganadaria Charrua, embora mais recente, é também de grande prestígio, opinião que é partilhada por João Ribeiro Telles Jr, como partilhado é o desejo de que os toiros invistam e proporcionem um grande espectáculo.

Os dois cavaleiros relembram também que os dois grupos de forcados que actuarão nesta corrida (Amadores de Santarém e Amadores de Montemor) constituem uma dupla de rivalidade histórica e que, devido ao grande momento que também atravessam, irão brindar os espectadores com mais uma grande actuação.

Sobre quem vai “ganhar” este mano-a-mano, João Ribeiro Telles vaticina”Sobretudo a festa, porque são estas corridas marcantes que a fazem evoluir. Quanto ao resto, espero que os toiros saiam bem e que o público esgote a praça. Eu irei a Lisboa dar o melhor de mim para que o 3 de Setembro fique para a história como uma noite memorável”. É também nesta linha que vai o “voto” de João Moura Jr: “o que posso garantir é que tudo farei para triunfar, pois a corrida reúne todos os ingredientes para ser um êxito!”.

O mano-a-mano João Moura Jr – João Ribeiro Telles Jr promete também acesa competição entre os grupos de forcados de Santarém e Montemor

01.09.15 | António Lúcio / Barreira de Sombra

São os dois grupos de forcados amadores mais antigos de Portugal. Voltam a encontrar--se dia 3 de Setembro, no Campo Pequeno, no mano-a-mano João Moura Jr – João Ribeiro Telles Jr. Santarém e Montemor protagonizam, há mais de 70 anos, uma rivalidade muito especial. Sã, mas muito vincada, uma rivalidade que é vivida, sobretudo, dentro da praça.

Diogo Sepúlveda, cabo do Grupo de Forcados Amadores de Santarém, em temporada de comemoração do centenário, considera esta temporada como “redonda”, destacando três das 16 actuações que o grupo leva: “a corrida de 1 de Maio, em Montemor-o-Novo, na qual ganhámos o troféu em disputa, a ‘Barra de ouro’, a de 6 de Junho, em Santarém, comemorativa dos 100 anos do grupo e a de 23 de Julho, no Campo Pequeno. Foram três grandes corridas, qualquer delas um verdadeiro hino ao forcado.

Por seu turno, António Vacas de Carvalho destaca, das 13 actuações do Grupo de Forcados Amadores de Montemor, de que é cabo, a corrida de 18 de Junho em Lisboa a qual “devido ao extraordinário ambiente que a envolveu e ao resultado artístico, será não apenas a corrida da temporada, mas a corrida de várias temporadas”. 

Ambos têm opiniões coincidentes quanto à rivalidade “Santarém-Montemor”. Para

Diogo Sepúlveda trata-se de “uma rivalidade saudável e com muita história e tradição. É sempre um atractivo para o aficionado ver estes dois grupos em competição”. “Histórica e sã” definem para António Vacas de Carvalho essa mesma rivalidade.”Estamos sempre dispostos a dar o melhor de nós em prol da competição e em prol da festa”, acrescenta.

Para dia 3, Diogo Sepúlveda deseja que “seja um triunfo para todos nós e que a figura do forcado saia, mais uma vez, enaltecida”, enquanto António Vacas de Carvalho considera esta corrida como um estímulo adicional, acentuado por decorrer no Campo Pequeno”.

Sobre o mano-a-mano João Moura Jr – João Ribeiro Telles Jr, o cabo do grupo de Santarém define-o como “o mais esperado, pois qualquer dos cavaleiros está a atravessar um grande momento de forma, pelo que a competição promete um grande espectáculo”. No entender de António Vacas de Carvalho, esta corrida será um momento alto da temporada. “Vão estar em praça os dois cavaleiros que mais se destacaram ao longo da temporada e, como tal, é uma corrida que interessa a todo o aficionado e ao público em geral, pelo momento artístico que cada um dos cavaleiros atravessa e pela diferença de estilos de cada um deles”.

João Ribeiro Telles em destaque na FLASH

01.09.15 | António Lúcio / Barreira de Sombra

site.jpg

O cavaleiro João Ribeiro Telles é o grande destaque da edição desta semana da revista Flash, com um especial de 6 páginas. O cavaleiro que se encontra num grande momento da sua carreira, preparando-se para ser um dos triunfadores da temporada de 2015.

A entrevista de fundo aborda o momento actual do cavaleiro, o mano-a-mano de 3 de Setembro com  Moura Jr., o seu casamento com Caetana Infante da Câmara e os desafios profissionais futuros.

Conheça o cavaleiro João Ribeiro Telles a fundo, na revista Flash, já nas bancas. 

"O ÚLTIMO FERRO" - POR HENRIQUE CARVALHO DIAS

01.09.15 | António Lúcio / Barreira de Sombra

IMG_20150819_175705.jpg

Quando o genial José Mestre Baptista faleceu, poucos se aventurariam na edição de um livro, ainda que pequeno no tamanho mas enorme no conteúdo, com fotos das últimas actuações do revolucionário cavaleiro nascido em São Marcos do Campo, Reguengos de Monsaraz.

Henrique Carvalho Dias, grande aficionado e fotógrafo de méritos reconhecidos, teve a ousadia de o fazer e, agora, trazer aos aficionados uma nova edição, em formato A4, com mais fotos, mais textos e a merecer a compra por parte dos bons aficionados.

Através de revistaostoiros.blogspot.com poderá encontrar a forma de adquirir o livro ou então efectuar os seus pedidos junto do autor pelo email revtoiros@zonmail.pt

Pág. 9/9