Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Crónica - Abiúl - Um caso! Por: Solange Pinto

03.08.15 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Mais que tudo o resto, ou melhor, antes que tudo o resto, há que referir o mais importante dado do festejo que lhe contámos em DIRECTO… Abiúl é um caso de sucesso, de entrega e sobretudo de paixão…  Os maiores triunfadores de Abiúl, são os organizadores que sonham a cada ano uma Feira séria e consensual.

Hoje, a corrida foi mista. Mais um dado, a enaltecer, por entre tantos outros, que aqui poderíamos referir. As ‘mistas’ têm público, tem afición e têm até competição por entre os intérpretes de diferentes ‘modalidades’ do toureio. Defrontaram-se em Abiúl, Rui Fernandes e David Fandilla ‘El Fandi’, este último em substituição de Antonio Ferrera, inicialmente anunciado.

Quanto a Rui Fernandes, destaca-se a lide do segundo do seu lote. O toiro que melhor serviu em comportamento e até apresentação, proporcionou uma actuação ‘à Fernandes’… Recebeu bem o oponente, cravou em ‘su sítio’ e bregou a duas pistas causando impacto junto das bancadas. Com o público já a ‘fervilhar’, deixou um muito bom par de bandarilhas. Frente ao terceiro do seu lote, que como os restantes para o toureio a cavalo, pertenceu à ganadaria de Samuel Lupi, esteve em plano agradável, chamando a dividir consigo o ‘tércio’ de bandarilhas, o rejoneador que ali esteve de ‘sobresaliente’, Sebastián Peñaherrera. Cumpriram com alegria e ritmo.

Falta a primeira das actuações do ginete da Charneca. Falemos pouco, porque foi para não recordar e muito ‘out’ do bom toureio de Fernandes. Este toiro, ou seja, o primeiro exemplar, foi escorridote e embora alto e compridote, sem a imponência que deveria ter para tão importante festejo.

No sector das jaquetas de ramagens, Montemor foi a ‘cor’ de serviço… Uma boa pega ao primeiro intento pelo forcado Filipe Mendes e duas à terceira tentativa por Luís Valério e Frederico Caldeira.

Como já referimos o festejo era misto e para tourear a pé, esteve David Fandilla ‘El Fandi’. O diestro granadino dispensa apresentações e o seu toureio tremendista, variado e baseado em capote e bandarilhas é por todos, conhecido. Foi um pouco de tudo isto o que houve em  Abiúl. De capote andou alegre, com largas afaroladas de ‘rodillas en tierra’ e outras ‘serpentinas’ e ‘chicuelinas’ mais… De bandarilhas fez as delícias do público, sobretudo com os seus sempre tão apreciados ‘violinos’ e de muleta, tentou sacar toda a potabilidade dos oponentes, fazendo-o, claro está, à sua maneira…

O segundo toiro do seu lote de três, da ganadaria de Paulo Caetano, foi de excelência, de grande voluntarismo e qualidade, pelo que Fandi mais se destacou nesta faena, prolongando-a ao sabor da durabilidade da investida do toiro. Em suma, o diestro esteve bem, dentro do seu conceito de toureio.

O ‘sobresaliente’ Joaquim Ribeiro ‘Cuqui’, saiu ao quite no segundo do lote de Fandilla, lanceando à veronica. Rui Fernandes e El Fandi saíram em ombros, numa tarde animada em que, repito, os máximos triunfadores, além do elenco do festejo, foram os organizadores, que pelo segundo dia consecutivo, ‘conseguiram’ preencher cerca de três quartos de lotação da mais antiga praça de toiros do país.

O espectáculo foi dirigido pelo Sr. Francisco Calado, com uma prestação apenas com a lacuna de não ter exibido o lenço azul para volta ao ganadeiro ou representante da ganadaria de Paulo Caetano, pelo segundo excelente toiro enviado para o toureio a pé.

Solange Pinto, www.touroeouro.com

BARRANCOS COM TOUREIROS PORTUGUESES (29, 30 e 31 de Agosto)

02.08.15 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Nuno Casquinha, Paco Velásques, e João Augusto Moura são so toureiros portugueses que lidarão e matarão a estoque toiros de Couto de Fornilhos nos dias 29 e 30, enquanto que no dia 31 será Cristian Canano a lidar reses da mesma ganadaria.

Os festejos têm início às 18h.

29 agosto - barrancos.jpg

 

OS CARTÉIS DE ARRUDA DOS VINHOS

02.08.15 | António Lúcio / Barreira de Sombra

praca_de_touros.gif

Segundo informação disponibilizada pelo site da Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos, terão lugar dois festejos taurinos, uma corrida de toiros e um festuval, nos dias 16 e 17 de Agosto, pelas 22h, com os seguintes cartéis:

 

Dia 16 - Corrida à Portuguesa

Touros: 3 Pinto Barreiro, 3 Eng.º Jorge de Carvalho


Cavaleiros: Rui Salvador, Luís Rouxinol, Miguel Moura
Forcados: Amadores de Vila Franca de Xira e de Arruda dos Vinhos
Prémios em disputa: Ganadaria, Grupo de Forcados, Lide a Cavalo

 

Dia 17 - Festival Tauromáquico Jovens Valores

Comemoração dos 90 anos da Praça de Touros de Arruda dos Vinhos 


Angariação de fundos a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arruda dos Vinhos e Bruno Carvalho

8 Novilhos: Ganadarias São Torcato, Santa Maria, David Ribeiro Telles, Falé Filipe, Eng. José Samuel Lupi, Conde Cabral e Eng. Jorge de Carvalho
Cavaleiros: Parreirita Cigano do Cartaxo, Francisco Parreira de Alenquer, António Nuncio (bisneto do Mestre João Nuncio), InêsSilva Carvalho (a nova revelação do Oeste)
Toureio a pé: Diogo Peseiro (Academia do Campo Pequeno), João Martins (Escola de Toureio José Falcão), Sérgio Nunes (Academia do Campo Pequeno), Ruben Correia (Escola de Toureio da Moita)
Forcados: Forcados Amadores de Montemor-o-Novo

 

 

AS CORRIDAS DE AGOSTO NO CAMPO PEQUENO

02.08.15 | António Lúcio / Barreira de Sombra

6 agosto - lisboa.png

A “Corrida do Emigrante” e a “Corrida dos três Mestres do Toureio a cavalo” são as duas propostas da empresa do Campo Pequeno para temporada tauromáquica no mês de Agosto, em Lisboa.

O cartel da “Corrida do Emigrante” é um cartel de triunfadores, tanto no que respeita a cavaleiros como a forcados.

Abre cartel Vítor Ribeiro que chega esta temporada ao Campo Pequeno com vários triunfos, destacando-se os obtidos em Santarém e em Setúbal. O colombiano Jacobo Botero, ele próprio um emigrante que deixou a sua pátria em busca da realização do sonho de ser cavaleiro tauromáquico, regressa ao Campo Pequeno, onde em 2014 recebeu a alternativa em noite de apoteose, depois de um sonoro triunfo em Évora. Quanto a Miguel Moura, para além de toda a carga artística que o seu apelido comporta, está nesta corrida por mérito próprio, pois foi o triunfador da corrida de 16 de Julho, no Campo Pequeno.

Todos estamos ainda recordados da magnífica actuação do Grupo de Forcados Amadores do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, no dia 2 de Julho, no Campo Pequeno. O seu cabo, Marcelo Lóia, fez uma pega de caras, por muitos considerada como “A Pega do Século” e a pega realizada por Daniel Santiago foi igualmente o que na gíria se designa por “um pegão”. Essa memorável actuação “rendeu” ao grupo sua repetição em Lisboa, desta vez para actuar ao lado dos Amadores das Caldas da Rainha, um grupo também de fortes tradições na arte de pegar toiros.

Lida-se um bonito curro da prestigiada ganadaria Maria Guiomar Cortes Moura, da Herdade das Lages (Monforte).

A corrida de 20 de Agosto, bem poderia ser apelidada de “A Corrida dos três Mestres do toureio a

20 agosto campo pequeno.jpg

cavalo”, por reunir três das mais importantes figuras dos últimos trinta anos: João Moura, António Telles e Luis Rouxinol. Três estilos diferentes, mas um denominador comum: a verdade do toureio a cavalo! Os “Três Tenores do Toureio a cavalo” juntos na respectiva Catedral Mundial: O Campo Pequeno.

As pegas estarão a cargo de três grupos de grande valor, em representação Ribatejo (Amadores da Chamusca) e do Alentejo (Amadores de S. Manços, que comemoram 50 anos de actividade) e o Real Grupo de Moura.

Será lidado um precioso curro de toiros da ganadaria Santa Maria, da Herdade do Zambujal do Conde.

Estes dois sensacionais cartéis enquadram-se na promoção de Verão, pelo que os preços dos bilhetes são 15 por cento abaixo da tabela normal do Campo Pequeno.

 

PASSANHAS DUROS PARA TRIUNFO DE FILIPE GONÇALVES NO QUINTO DA TARDE. LESÃO COM GRAVIDADE DE PEDRO GALAMBA DOS AMADORES DE CORUCHE

02.08.15 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros de Abiul – 01.08.15 – Corrida de Toiros

Director: Lourenço Lúzio -  Veterinário: João Nobre – Lotação: + de ¾

Cavaleiros: Joaquim Bastinhas, Filipe Gonçalves, João Moura Jr

Forcados: Amadores de Coruche e Aposento da Moita

Ganadaria: Passanha

PASSANHAS DUROS PARA TRIUNFO DE FILIPE GONÇALVES NO QUINTO DA TARDE. LESÃO COM GRAVIDADE DE PEDRO GALAMBA DOS AMADORES DE CORUCHE

Os toiros de Passanha não saíram fáceis e pediram contas aos toureiros e aos forcados, carregando forte, obrigando a procurar terrenos idóneos para cravar a ferragem. Todos eles muito bem apresentados e em tipo, destaque negativo para o comportamento dos dois primeiros, muito parado o que abriu praça e reparado da vista esquerda o segundo (não via nada por esse lado), e pela positiva o comportamento de terceiro e quinto.

Joaquim Bastinhas lidou com critério o seu primeiro, mansote e parado, procurando interessá-lo na montada e deixando uma série de quatro curtos e um par de bandarilhas de boa nota, com o público a aplaudir esta lide brindada ao actor Manuel Cavaco. No que foi quarto da ordem, andou com a habitual desenvoltura, com boa brega e sortes bem desenhadas para um conjunto de quatro ferros curtos e um de palmo com que rematou esta sua passagem por Abiul.

Filipe Gonçalves teve de entender-se com o segundo, reparado de vista para não dizer completamente “apagado” do farol esquerdo… O toiro só respondia ao som da voz, e Filipe Gonçalves resolveu a papeleta com classe em seis curtos, o último deles o melhor pisando terrenos de compromisso. Mas foi no quinto da tarde que assinou o triunfo maior numa lide bem medida na série de curtos, com boa brega, boa eleição dos terrenos e bons ferros que fizeram levantar o público das bancadas. O quinto foi de muito boa execução entrando bem de frente tal como seria o par de bandarilhas a duas mãos com o toiro nos médios, rematando com um ferro em sorte de violino.

João Moura Jr viu o seu primeiro saltar a trincheira mal saiu dos curros e no encalce do bandarilheiro. Rubricou uma boa actuação, com ferros para todos os gostos e boa brega frente a um toiro que transmitia e carregava nas sortes. No que encerrou praça a actuação não teve tanto impacto e prolongou em demasia, com a condescendência do director de corrida, em cinco ferros de palmo, três deles de violino, e que na minha modesta opinião, nem aquecem nem arrefecem numa lide que poderia ter tido outro sentido.

Tarde azarada para os Amadores de Coruche com dois forcados a saírem lesionados, casos do ajuda José Tomás (luxação da clavícula direita) e Pedro Galamba com fratura exposto de tíbia e perónio da perna esquerda ao tentar pegar o terceiro da tarde. Abriu praça o cabo Amorim Ribeiro Lopes que só à terceira se conseguiu fechar; Paulo Oliveira emendou com raça e á primeira o seu colega Galamba e José Marques fechou-se bem e à primeira no quinto da ordem. Melhor sorte tiveram os do Aposento da Moita com José Maria Bettencourt a consumar à segunda, Salvador Pinto Coelho e José Maria Águas ambos muito bem e ao primeiro intento.

Na direcção da corrida estiveram Lourenço Lúzio e o veterinário João Maria Nobre, numa corrida que teve excelente ritmo e demorou menos de 2h30.

António Lúcio

Pág. 9/9