Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

O cavaleiro Joaquim Bastinhas doou esta tarde um traje completo de cavaleiro tauromáquico ao futuro museu do Campo Pequeno, que brevemente abrirá aos aficionados e público em geral.

Destaca-se no, traje a casa azul, bordada a ouro, uma das primeiras usadas pelo artista na sua já longa carreira.

Na ocasião, Joaquim Bastinhas disse da sua satisfação de, com este gesto, “enriquecer o acervo do futuro museu do Campo Pequeno” e teve palavras de muito agrado pelo espaço onde o mesmo ficará instalado, no torreão principal da praça.

Por seu turno, a Administradora da Sociedade de Renovação Urbana do Campo Pequeno, Paula Resende, agradeceu o gesto de Joaquim Bastinhas e manifestou o desejo de que o novo museu venha um a ser um pólo vivo de cultura tauromáquica e uma mais-valia para a cidade de Lisboa.

IMG_6801.JPG

 

Praça de Toiros Celestino Graça – Santarém – 22.03.15 – Festival Taurino

Director: Lourenço Luzio – Veterinário: João Mª. Nobre – Lotação: 3500

Cavaleiros: Joaquim Bastinhas, Luis Rouxinol, Marcos Bastinhas, Tiago Carreiras, Ana Rita, Luis Rouxinol Jr, Mara Pimenta

Forcados: Amadores de Santarém, Amadores de Vila Franca

Ganadarias: Lopes Branco (1º), Silva Herculano (2º, 4º), Dr. António Silva (5º, 6º), Branco Núncio (3º, 7º)

O festival taurino realizado na Monumental Celestino Graça, em Santarém, pode bem ser caracterizado como um festival que decorreu como o tempo, com chuvinha miudinha no início e cinzento até anoitecer, longa tarde com mais de três horas e meia de espectáculo, de onde se destacou um bravo toiro de Núncio, muito bem lidado por Marcos Bastinhas pese um percalço que felizmente não teve consequências de maior.

Com efeito, o toiro saído em terceiro lugar, com ferro e divisa de Branco Núncio, teve imensa qualidade nas suas investidas, codicioso, arrancando-se de todos os lados desde que provocado, com alegria, a carregar depois dos ferros. Foi bravo e com raça e com ele se entendeu bem Marcos Bastinhas, com dois bons ferros compridos e um terceiro curto de excelente nota pela forma como entrou nos terrenos do toiro. Uma lide muito promissora em arranque de temporada.

A primeira actuação da tarde esteve a cargo de Joaquim Bastinhas frente a um colaborador exemplar de Lopes Branco, que mostrou também raça e classe. Bastinhas soube lidá-lo com a habitual maestria e a lide foi em crescendo nos curtos, os dois últimos de muito boa nota para rematar com o seu habitual par de bandarilhas exigido, como sempre, pelo público.

Luis Rouxinol teve por diante um manso e nada colaborador toiro de Silva Herculano. A sua lide teve altos e baixos, com um início em que teve de deixar os feros de forma sesgada e no final alguns quarteios mas sem conseguir elevar a fasquia.

Tiago Carreiras demorou algum tempo a entender as características do exemplar de Silva Herculano, mansote mas a deixar-se lidar. Uma actuação sem brilho na cravagem, quase toda passada, e só no final conseguiu alguns momentos que chegaram às bancadas, toureando em curto.

Ana Rita, em dia de aniversário, substituiu Sónia Matias. Lidou um exemplar de Dr. António Silva, mansote e a buscar tábuas. A sua actuação foi regular e no final cravou um ferro em sorte de violino e demorou uma eternidade para deixar outro violino, de palmo, o tal ferro que nada trouxe de mais-valia á sua actuação.

O sexto da já longa, cinzenta e fria tarde, era de Dr. António Silva e teve condições de lide nem sempre aproveitadas por Rouxinol Jr. Lide em tom morno, nem sempre nos melhores terrenos e dois ferros de melhor nota, numa actuação aquém do esperado.

Em sétimo e último lugar actuou Mara Pimenta frente a um novilho de Branco Núncio de boa qualidade e investidas nobres. Foi também uma lide morna, sem grandes destaques e onde o quarto ferro curto foi de boa nota.

A forcadagem complicou a sua própria vida e houve apenas 3 pegas de caras consumadas à primeira tentativa. Os Amadores de Santarém tiveram na cara dos novilhos e toiros, os forcados João Grave (3ª), David Inácio (3ª), António Goes (1ª) e Luis Sepulveda (1ª), enquanto que pelos Amadores de Vila Franca foram forcados de cara Francisco Faria (1ª9, Gonçalo Filipe (1ª9 e Nuno Vassalo (3ª).

A direcção do espectáculo esteve a cargo de Lourenço Luzio assessorado pelo veterinário João Maria Nobre, perante cerca de 3500 espectadores.

António Lúcio

 

Sol e Toiros 2015.jpg

Com edições regulares, no âmbito da tauromaquia, desde Junho de 2011, a FERTV através do seu Canal Sol e toiros, transmitido pela plataforma interactiva da Fer TV e MEO KANAL, com o código 809091, obteve no final do mês de Dezembro de 2014 um número record de visualizações, 16 milhões. Um número invejável e surpreendente, tanto mais que no seu primeiro e segundo ano de vida, o projecto tauromáquico visou sobretudo a implantação junto dos aficionados, empresas e artistas.

 Em termos médios mensais foram 45 000 visitas, o que atesta a popularidade do canal, não só em Portugal (Continental e Insular) mas também em Espanha, América Latina, França, Alemanha e Reino Unido.

Foram mais de 140 corridas de touros e 60 eventos ligados à tauromaquia que contaram com a presença de uma equipa do Sol e Toiros TV.

 A direcção do canal agradece a todos os que nos apoiaram, ajudando-nos a crescer e a amadurecer.

 O Sol e Toiros TV é um órgão de comunicação digital que se afirma hoje como um canal tauromáquico dedicado exclusivamente à cultura taurina e que tem vindo a produzir um trabalho de informação clara e objetiva, apostando na qualidade e originalidade dos seus conteúdos.

 No decorrer da sua evolução temos conseguido angariar cada vez mais espetadores, provenientes da nossa plataforma de internet e das redes sociais. Produzimos para uma televisão Japonesa, mexicana e peruana, surpreendemos e inovámos.

 Para a temporada de 2015 temos novas metas, queremos continuar a surpreender e a fazer chegar até si o melhor da tauromaquia, estando presentes nos principais eventos e nas corridas mais importantes. O nosso principal objetivo traduz-se numa única palavra, proximidade, queremos estar próximos dos principais intervenientes da festa e do público.

Para alcançar o nosso objetivo vamos marcar presença nos mais importantes acontecimentos de tauromaquia popular, pela primeira vez e com a excelência a que já os habituámos, vamos documentar corridas de rua, corridas de corda e capeias.

 Apresentamos um novo diretor para os conteúdos tauromáquicos e uma parceria com a Viatec, que nos vais permitir chegar a novos públicos, novos locais e trazer até si conteúdos produzidos nos Açores.

 O Sol e Toiros pretende manter a liderança e qualidade dos seus pressupostos editoriais. Para que a nossa liderança se mantenha esperamos continuar a contar com todas as empresas, cavaleiros, forcados e espetadores em geral que acreditam no nosso trabalho e connosco elevam a tauromaquia.

 Agradecemos a todos os que acompanham o nosso trabalho, a todas as sugestões, comentários e criticas, são elas que nos ajudam a melhorar e a elevar a qualidade dos momentos únicos que queremos continuar a levar até si.