Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

ALGUMAS COISAS QUE GOSTARIA DE VER CONCRETIZADO EM 2015

26.12.14 | barreiradesombra

Quando o ano de 2014 está prestes a atingir o seu términus, continuo a sonhar com algumas coisas QUE gostaria de ver concretizadas na temporada que virá.

  • Que os agentes da festa e entidades que os representam se unissem fortemente em prol de um espectáculo renovado, com ritmo e onde a emoção fosse uma constante;
  • Que os empresários dessem lugar nos cartéis aos que mais se destacam, ainda que contando com os mais antigos para os apadrinhar, saindo por diante e obrigando-os à competição;
  • Que a competição fosse uma constante, com os toureiros a disputarem os lugares e a entregarem-se a fundo na conquista do tal lugar que faz a diferença;
  • Que os alugueres das praças fossem em consonância com o real valor da mesma e que aos empresários que têm feito um bom trabalho lhes fosse dada possibilidade de o prosseguirem sem se submeterem a concursos que apenas servem para desmotivar alguns que poderiam ter ideias inovadoras dando continuidade ao seu trabalho;
  • Que se respeitassem as datas tradicionais de cada terra sem atropelos de montagem de corridas noutras localidades pouco distantes e fora de data;
  • Que o toiro-toiro, com presença, com idade, com trapio, fossem uma constante;
  • Que os toureiros disputassem essas ganadarias, algumas ditas duras, para as suas corridas mais importantes;
  • Que o toureio a pé tivesse maior presença nas nossas praças pois a sua presença é indispensável á renovação do espectáculo;

Que os órgãos de comunicação social, escrita, falada, da net, assumissem também um papel mais didáctico para além da cuidadosa escolha das fotos que ilustram crónicas e reportagens e que o português utilizado fosse mais correcto e mais isento de erros, assim como ao nível dos conhecimentos técnicos da lide.

Sei que são votos iguais aos de tanta gente mas, ainda assim, tenho esperança de ver alguns concretizados durante a próxima temporada.

Bom ano de 2015 com muitas e boas corridas.

VOTOS DE FESTAS FELIZES

24.12.14 | barreiradesombra

feliz natal.jpg

 

Caros amigos, para todos, votos de Festas Felizes na companhia daqueles que vos acompanham nos 365 dias do ano.

Muitos já terão perguntado o porquê do «Fora do Ar por tempo indeterminado», colocado no nosso e vosso blogue. Nada de especial, apenas e só o que entendi ser necessário como espaço temporal de reflexão e também porque quase nada de interesse acontece no Portugal das Toiradas. Uns quantos jantares de entrega de prémios, umas notícias curtas sobre algumas participações aqui e ali e pouco mais. Mas acima de tudo, um período de reflexão a que me obriguei em função de um conjunto de situações que tiveram lugar ao longo e no final da temporada e que me obrigaram a ponderar seriamente se deveria continuar com o «Barreira de Sombra» enquanto blogue e enquanto programa de rádio.

Por vezes é necessário parar para pensar sobre tudo e mais alguma coisa. Como disse na minha análise à temporada, fui a muito menos espectáculos do que habitualmente em consequência quer dos problemas de saúde que me afectaram quer da falta de interesse de muitos dos cartéis que nos foram sendo propostos ao longo da temporada. E como não um corredor de fundo, não corri atrás do prejuízo. Escolhi aqueles espectáculos que me poderiam dar mais garantias e que não me fossem ao bolso, literalmente.

A experiência do «Barreira de Sombra» na Feel FM foi absorvente e muito enriquecedora. Foi uma experiência de sucesso e o feed-back que recolhemos foi extraordinário. As entrevistas curtas que fizemos em algumas corridas e de que demos eco nas crónicas desses espectáculos, foram uma aposta que iremos manter em 2015. E esta é a primeira resposta às nossas reflexões: vamos continuar com o programa em 2015 na Feel FM.

Durante a temporada criamos alguns vídeos com todas as fotos que fizemos nas corridas a que assistimos e colocamo-los on-line no blogue. As visitas, nessas datas, subiram a pique. E são números reais os que temos no nosso contador de visitas, vindos de todas as partes do Mundo. Não temos a visibilidade de outros blogues (serve apenas de suporte ao programa) mas também o que nos move é a afición e darmos a conhecer as nossas opiniões e fotos sobre a festa brava.

Em 2014 diversificamos a cobertura da temporada e a Norte, com o José Andrade, estivemos em praças instaladas em sítios onde a Festa Brava tem expressão mas onde não se tinham realizado antes espectáculos tauromáquicos. Dessa paixão demos conta ao longo de 35 programas com a Tauromaquia Norte/Sul, uma forma diferente de abordar a temática com a opinião de José Andrade.

Uma vez mais não elegemos triunfadores nem demos prémios. Destacamos, isso sim, aqueles que entendemos que, através das crónicas que fizemos das suas actuações, triunfaram de alguma forma nesses espectáculos. Demos a conhecer o novo regulamento do espectáculo tauromáquico e fizemos uma cuidada análise do mesmo.

Reflectimos sobre o futuro. Futuro que alguns ainda não entenderam que começou ontem. A nossa Festa tem capacidade para seguir em frente e com qualidade e diversidade assim os agentes responsáveis pela Festa saibam unir e fazer convergir as boas vontades que também existem. E a comunicação social terá sempre um papel a dizer.

Quero deixar uma palavra de apreço a todos quantos nos ajudaram nesta temporada: de empresários a toureiros, ganadeiros e forcados e também às nossas famílias por entenderem que esta é a nossa grande paixão.

Votos de Feliz Natal e de um Bom Ano Novo e até dia 1 de Fevereiro em Mourão para a primeira da temporada de 2015!!!

Barreira de Sombra - Tempo de reflectir?

10.12.14 | barreiradesombra

jandrade.jpgApós um curto interregno de duas semanas, um descanso que impusemos a nós mesmos, sim, que esta coisa de escrever carece de pequenas paragens para reflexão, e nada melhor que aproveitar o fim das 35 emissões semanais na www.FeelFm.pt, e tudo o mais que envolveu a cobertura das 13 corridas que a Norte do Rio Mondego onde estivemos presentes, para tirar um pequeno descanso. E, feito que está o intervalo, aqui estamos de volta, na colaboração escrita no barreiradesombra.blogspot.pt.

Paramos para reflectir, dizíamos. Mas não paramos de acompanhar o que se vai passando no mundo dos toiros, seguindo com atenção o que se vai dizendo, escrevendo e mostrando em imagem, directa ou gravada, cá e nas redondezas.

À semelhança de uma lide perfeita, como mandam as regras, ao – parar, templar e mandar - paramos para reflectir, templamos o que fizemos, paramos para pensar no que esperamos poder fazer pela Festa.

E, se reflexão, por mais incrível que pareça, é uma das palavras mais usadas nos inquéritos de opinião, por aqueles que, aqui na vizinha Espanha, se interessam pela Festa dos Toiros, por cá, reflectir, é palavra que não consta no vocabulário do meio taurino. Todo o mundo sabe de tudo. Poucos são os que reconhecem que humildemente nada sabem. Temos a economia de casino no tecido produtivo do país. Ir a uma corrida de toiros, virou jogo de roleta. Como nesta coisa de jogos de fortuna e azar o cumprimento das regras é que mantém a constância do negócio, apesar dos resultados os casinos sofrem de ano para ano reveses nos dividendos a distribuir. No mundo dos toiros, com regras pouco claras, a sorte e o azar, se já não é constância atractiva, antes pode ser o golpe final fatal. Daí que seja urgente, necessário e incontornável, que se sentem a uma mesa, troquem ideias, confrontem opiniões, reflictam, os que vivem ou sobrevivem do e no mundo dos touros!

A temporada de 2014 em Portugal teve, e tem, muitos e bons motivos que merecem ser debatidos, reflectidos, confrontados e questionados.

Esta foi a temporada da entrada em vigor de uma nova regulamentação. Com regras novas, sobram motivos para uma primeira abordagem. Mas se não se quer incomodar o poder político, outros bons temas carecem de ser ponderados, a começar pelo papel dos meios de Comunicação Social na promoção, divulgação e elevação da Festa, dos seus agentes e dos seus aficionados. Mas se este é também um tema tabu, então, porque não discutir o papel dos intervenientes no espectáculo. Ou então, o que fazem, ou o que não fazem as organizações que representam, ou dizem representar os interesses da Festa.

Na vizinha Espanha, a reflexão sugerida nos inquéritos de opinião, vai já ganhando caminho, quer através da comunicação social, quer no seio das peñas, troca de argumentos que, originando discussão e debate, reúne contributos de um leque interessante de diversas e distintas personalidades, empresários, artistas, jornalistas, autarcas e aficionados de 'solera'.

Por cá, bem, por cá, a discussão é confundida com intromissão. E assim sendo, nem o pai morre, e só uns tantos ainda vão almoçando.

V.C. 10 Dez 2014

josé andrade

Pág. 1/2