Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

A TEMPORADA 2014 - AS EMPRESAS QUE ORGANIZARAM OS ESPECTÁCULOS ONDE ESTIVEMOS PRESENTES

26.10.14 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Estivemos em quase 30 praças de toiros ao longo desta temporada de 2014 e apenas 5 empresas organizaram 3 ou mais espectáculos e mais de metade daqueles a que assistimos. Se tivermos em conta esta short list de empresas, podemos apresentar o seguinte quadro:

Empresa

Praças

Nº de Espectáculos

Sociedade Campo Pequeno

Campo Pequeno (Lisboa)

9

 

Póvoa de Varzim

1

Aplaudir

Montijo

2

 

Póvoa de Varzim

1

 

Santarém

4

 

Moita

4

Tauroleve

Coruche

3

 

Vila Franca de Xira

3

 

Samora Correia

1

Jorge Carvalho

Arruda dos Vinhos

3

Junta de Freguesia de Abiul

Abiul

3

 

  1. Aplaudir (11espectáculos)

A empresa responsável pela gestão de praças como a Moita, Montijo (em parceria com a Bravura e Tradição), Santarém e uma corrida na Póvoa de Varzim, dispersou a sua actividade pelo País e montou bastantes espectáculos de 6 cavaleiros (naqueles onde estivemos presentes), permitindo diversidade mas diminuindo as reais possibilidades de triunfos confirmados na segunda lide.

Cuidou bem da questão toiro, em termos gerais, com alguns toiros de boa nota e bem apresentados, o que é de enaltecer.

No caso da Praça da Moita, o tempo instável e chuvoso prejudicou nitidamente a feira e obrigou à anulação de 2 dos 5 espectáculos.

Outra nota positiva foi a manutenção de preços baixos em todas as praças.

Nota final: 11 valores

  1. Sociedade Campo Pequeno (10 espectáculos)

A empresa que gere o Campo Pequeno em Lisboa e outras praças, entre elas a Póvoa de Varzim (espectáculos acompanhados por José Andrade, teve o mérito de conseguir 3 lotações esgotadas em Lisboa, o que atesta bem da qualidade desses cartéis e da sua capacidade de convocatória, registando-se nos espectáculos a que assistimos que apenas 2 tiveram toureio a pé, o que soube a pouco. Até porque a novilhada teve muita qualidade.

Repetiu alguns artistas quando podia ter aberto o leque a outros que justificaram na anterior temporada a sua chamada e alguns que mostraram ter valor e dariam uma lufada de ar fresco. Os Forcados, no geral, proporcionaram bons momentos.

No aspecto toiro, nem sempre as coisas rodaram pelo melhor, com algumas reses de escassa presença e trapio, ainda que cumprissem os pesos regulamentares. Pela sua qualidade destacamos o novilho de Murteira Grave que lidou José Garrido.

Nota final: 14 valores

  1. Tauroleve

A presença do toiro-toiro, com idade, peso e trapio, foi nota dominante nas suas organizações, mas no final, em Vila Franca falharam alguns toiros.

Teve o mérito de reaproximar o público à praça de toiros em Vila Franca. Em Coruche houve prestações razoáveis e o festival de Samora Correia teve momentos interessantes.

Destaque para a seriedade dos toiros lidados a pé no Colete Encarnado em Vila Franca.

Nota final: 12 valores

  1. Junta de Freguesia de Abiul

A nova equipa directiva da Junta de Freguesia levou por diante um conjunto de espectáculos com muito nível e mantendo a tradição do toureio a pé, aumentando o número de espectadores e com cartéis bem montados.

O toiro teve presença e os preços mantiveram-se inalterados.

Nota final: 13 valores

  1. Jorge Carvalho (Arruda dos Vinhos)

O nível de espectáculos foi mantido, tal como a tradição. Manteve o apoio aos jovens toureiros com um espectáculo de variedades taurinas e em Agosto com toureio a pé e concurso de ganadarias.

Nota final: 12 valores

TOIRO DE LOPES BRANCO VENCE TROFÉUS «BRAVURA» E «APRESENTAÇÃO»

26.10.14 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros de Santarém – 25.10.2014 – Corrida Concurso de Ganadarias

Director: Loureno Luzio – Veterinário: José Luis Cruz – Lotação: 1/5

Cavaleiros: Joaquim Bastinhas, Sónia Matias, Pedro Salvador, Filipe Gonçalves, Marcelo Mendes, Mara Pimenta

Forcados: Amadores de Santarém e Évora

Ganadarias: Falé Filipe (1º e 2º), Lopes Branco, Manuel Veiga, António Silva, Conde Cabral

TOIRO DE LOPES BRANCO VENCE TROFÉUS «BRAVURA» E «APRESENTAÇÃO»

A anunciada corrida concurso de ganadarias em benefício da Santa Casa da Misericórdia de Santarém, em final de temporada, teve escassa capacidade convocatória de público (não ultrapassaria as 2500 pessoas), numa tarde de belíssima temperatura e muito sol. O espectáculo, com mais de 3 horas de duração, teve no toiro de Lopes Branco, saído em 3º lugar, o vencedor dos dois troféus em disputa – Bravura e Apresentação – sendo júri os ganadeiros que lidaram neste espectáculo os seus produtos.

 

Por ordem de lide, saíu em primeiro lugar um bonito toiro de Falé Filipe (em substituição do de S. Martinho e extra-concurso), que teve qualidade apesar de no início descair para tábuas; o segundo, também de Falé Filipe era um cornalão bem posto, com raça mas a pedir meças; o terceiro, de Lopes Branco, em tipo, foi crescendo ao castigo e sem ser bravo serviu bem; o quarto, de Manuel Veiga, pareceu-nos reparado de vista e procurando orientar-se através dos sons e foi mansote; em quinto lugar saíu um imponente toiro de António Silva, anunciado com 610kg, no tipo da ganadaria, e que foi colaborador; e em sexto lugar saíu um toiro de Conde Cabral, bonito de tipo mas escorrido de carnes e que foi mansote.

 

Qanto às lides que foram acontecendo ao longo da tarde/noite, Joaquim Bastinhas cumpriu sem grandes alardes frente ao que abriu praça, numa lide correcta; Sónia Matias sentiu dificuldades frente ao segundo da corrida, terminando com dois bons curtos; Pedro Salvador entendeu bem o terceiro e teve dos melhores momentos da tarde, com dois ferros curtos de muito boa nota. A segunda parte abriu com Filipe Gonçalves a cumprir a papeleta e rematando com dois violinos do agrado do público; Marcelo Mendes foi de menos a mais na lide do quinto e, em curto, conseguiu dois grandes ferros; e a encerrar praça a jovem praticante Mara Pimenta, que teve uma queda aparatosa e felizmente sem consequências, teve uma positiva actuação.

 

No capítulo da forcadagem as coisas não foram fáceis e em especial para os eborenses. Os Amadores de Santarém mostraram muita segurança e consumaram por intermédio de António Goes, sem problemas à 1ª, João Grave a suportar dois violentos derrotes na primeira tentativa e a fechar-se com determinação na 2ª tentativa, e David Inácio com muita decisão a fechar-se à primeira. Os Amadores de Évora tiveram um tarde/noite para recordar e não pelos melhores motivos: no segundo da tarde, só a raça do forcado João Pedro Oliveira o fez consumar uma difícil cara à 3ª sofrendo fortíssimos embates nas outras duas; Ricardo Sousa à 4ª ao sopé e com o grupo a carregar forte tal cono sucederia no que encerrou praça e onde foi forcado da cara João Madeira. Tarefa dura e difícil para esta rapaziada que nunca virou cara às adversidades.

Na direcção da corrida esteve Lourenço Luzio, assessorado pelo veterinário José Luis Cruz.

Barreira de Sombra no www.FeelFm.pt - 31.ª - emissão 22/Outubro/2014

24.10.14 | António Lúcio / Barreira de Sombra

jandrade.jpg

 

Este é um espaço de opinião. Um espaço que semanalmente pode seguir no barreiradesombra.blogspot.sapo.pt, e ouvir, aqui, na www.FeelFm.pt.

          Sejam bem-vindos.

          Com a emissão da passada semana, aqui na FeelFm, completamos a nossa trigésima conversa.

Trinta semanas de diferentes matizes opinativos, trinta programas de diversificado trabalho em redor da Festa de Toiros, trinta temas e assuntos trazidos à antena, com uma opinião, um comentário, um ponto de vista próprio. Uma forma de ver e de sentir, norteados sempre com um principio Ético:- 'não vimos, não testemunhamos, não comentamos'.

A Festa de Toiros, como a país, está farto, cansado, de 'engenharia gramatical', de 'diz-que-diz', de 'boatos'.

Nem sempre o que se ouve é 'verdade', nem sempre o que se vê, é a realidade, nem tudo o que se diz parece ser o que quer dizer.

E porque gostamos e cultivamos a Ética, a verdade, a realidade, e ao fazê-lo, sabemos como isso causa perturbações no mundo fechado dos toiros, fácil é concluir do esforço necessário para manter trinta programas, falando de uma coisa que se gosta, porque se gosta, de forma independente, com seriedade, com sobriedade.

É a nossa opinião!

Claro! Sempre aqui ao abrir o nosso espaço o afirmamos, reclamamos, deixamos expresso e vincado.

A mescla de assuntos que trazemos a este espaço rádio, ou sobre os quais escrevemos, tem, teve, sempre como tema principal, a Festa de Toiros. Daí a nossa peregrinação, dentro da disponibilidade possível, por 'terras nunca d'antes navegadas', cobrindo com a nossa pequenina máquina fotográfica, o nosso bloco de notas, e a simpatia que cultivamos, muitos espectáculos tauromáquicos. Corridas de toiros, que montadas longe do circuito das grandes urbes, nem por isso, são menos interessantes e importantes. O público que preencheu e encheu muitas destas corridas, merece, mereceu, tem de merecer, o mesmo respeito que as ditas grandes praças, os ditos centros de 'puros aficionados'. O público, os aficionados, muitos dos artistas, e até ganadarias. Foi isso que procuramos muitas vezes transmitir, aqui na Rádio, comentando, dando conta do que vimos e registamos. Foi isso que procuramos expressar, deixar como mensagem, através da escrita no barreiradesombra.blogspot.sapo.pt.

Se salientamos, ou reputamos aspectos que nos pareceram de interessante, cobrindo manifestações que fugiram ao 'normal' comentário, que foram além da 'corrida', foi porque isso também tem a ver com a festa, com a tradição, com a cultura, coma razão porque se realizou este ou aquele espectáculo, nesta ou naquela tão insólita terra. E também, porque gostávamos que no mundo dos toiros, a sisudez não fosse desculpa para outras menos sérias faltas de respeitabilidade.

Por hoje é tudo. Até para a semana.          

Até lá, do Norte, com um abraço - josé andrade

OIÇA AQUI A PRIMEIRA PARTE DO BALANÇO DA TEMPORADA DO PROGRAMA "O TRIUNFO DA FESTA"

21.10.14 | António Lúcio / Barreira de Sombra

O programa «O Triunfo da Festa», de Luis Sarmento e emitido na RDP Internacional, teve a sua primeira emissão de balanço da temporada, como já aqui haviamos referido com as presenças de Solange Pinto e João Diniz do site Touro&Ouro e António Lúcio (Barreira de Sombra/Feel FM.

Clicando no link abaixo poderá ouvir o que disseramos quatro intervenientes nesta primeira abordagem aos temas quentes da temporada 2014.

http://www.rtp.pt/play/p662/e169591/o-triunfo-da-festa

A TEMPORADA 2014 DO BARREIRA DE SOMBRA

21.10.14 | António Lúcio / Barreira de Sombra

alucio.jpg

Já aqui abordámos alguns aspectos do que foi a nossa temporada de 2014, nomeadamente a distribuição geográfica e as ganadarias que vimos lidar, com os toiros e novilhos que mais se destacaram.

O Barreira de Sombra estreou este ano um novo formato: a web rádio. Um projecto deveras interessante, com jovens que sabem o que querem e devidamente alicerçado numa dicotomia entre a manutenção da tradição e as novas formas de comunicar, o que veio a ser uma mais-valia para este projecto que já leva 27 anos de existência e que alguns pensavam que, com a sua saída de uma rádio tradicional, caminharia rapidamente para o seu terminus. Enganaram-se redondamente porque o desafio foi por demais aliciante e as experiências que fizemos ao longo da temporada deram-nos enorme gozo. Desde logo porque pudemos colocar alguns sons recolhidos nas praças, com toureiros e empresários, nas crónicas que fizemos desses mesmos espectáculos. Depois porque criamos alguns vídeos com as fotos que fui tirando em cada corrida, mostrando mais ao visitante do blogue sobre o que se tinha passado, do ponto de vista da objectiva.

Mas mais importante ainda foi a colaboração do José Andrade que, semanalmente, nos deu uma visão apaixonada e diferente nas suas crónicas das corridas a que assistiu e nas opiniões que emitiu no seu Tauromaquia Norte Sul. E ainda, a estreia do Miguel Dias, mentor deste projecto da FEEL FM, como nosso cronista, começando com Coruche e indo até à Chamusca, com trabalhos muito interessantes para quem se inicia nestas lides. E não podia deixar de referir, também, a colaboração importante do Fernando Clemente com as suas fotos que ajudaram, e muito, ao nível elevado deste capítulo no nosso blogue.

Ao criarmos todas estas ligações, com áudio e vídeo no nosso blogue, com as importantes colaborações destes amigos, o Barreira de Sombra está reforçado e com ânimo bem forte para prosseguir na sua missão de promover e divulgar a festa brava e os seus valores.

A nossa temporada, como muitos se aperceberam, não foi de muitos espectáculos. A falta de interesse de alguns cartéis e a sua repetitividade em praças dentro do nosso raio de acção e também os problemas de saúde que me afectaram durante o ano, não permitiram que chegássemos às 60/70 corridas que tínhamos em mente estar presentes. Mas demos conta de uma interessante faixa de espectáculos que se realizaram fora dos grandes centros, e o mérito diga-se é inteiramente do José Andrade, e que provaram o enraizamento desta actividade e o interesse que desperta mesmo que a corrida se realize nas faldas de uma qualquer serra no norte do País.

Uma vez mais faltou concertação de esforços das entidades associativas para evitar um conjunto de situações que não ajudaram a uma maior presença de público em determinados espectáculos por coincidirem em dia e hora e com outros que distam 20/30 minutos em automóvel… E não conseguimos evitar que os anti conseguissem deixar marca no novo regulamento ao obrigar a que na publicidade se inscreva frase de que este espectáculo pode ferir susceptibilidade do espectador, só para dar um exemplo.

O Inverno, o período do defeso, deveria servir para que todas as entidades associativas e representativas das diversas classes, reflectissem sobre o que é necessário fazer para promover a imagem da festa brava, para que os empresários respeitem as datas tradicionais e os outros, que os senhores ganadeiros apresentem o melhor de cada camada, e assim por diante.

No capítulo da comunicação social taurina, deixo um alerta: que pensem bem no que escrevem e nas fotos que publicam alguns sítios. E a este capítulo voltaremos brevemente com a análise a cerca de 20 sites e blogues.

Uma certeza no final deste ano de 2014: voltaremos em força e com novas coisas em 2015 e de novo na FEEL FM!

PRÉMIOS DA TERTÚLIA TAUROMÁQUICA SOBRALENSE

18.10.14 | António Lúcio / Barreira de Sombra

C:\Documents and Settings\António Lúcio\Os meus

 

A Direção da Tertúlia Tauromáquica Sobralense decidiu atribuir os seguintes prémios para a temporada 2014:

 

Triunfadores da Temporada de 2014 no Sobral:

Ganadaria - Falé Filipe

Forcados   - Amadores de Lisboa

Espada - Manuel Dias Gomes

Cavaleiro - Luís Rouxinol Júnior

 

Galardão Destaque da Temporada de 2014:

Grupo de forcados amadores de Vila Franca de Xira

 

Menções Honrosas da Temporada de 2014:

Pedro Miranda - Grupo de forcados amadores de Lisboa

Ernesto Manuel - Bandarilheiro

 

A entrega dos mesmos será em data a comunicar posteriormente.

CAMPO PEQUENO: CONFIRMOU-SE A “TEMPORADA ÚNICA”

16.10.14 | António Lúcio / Barreira de Sombra

campo pequeno.jpgTrês lotações esgotadas, duas enchentes e uma taxa de ocupação média da ordem dos 75 por cento são os grandes destaques da temporada de 2014 no Campo Pequeno, segundo um balanço hoje divulgado pela empresa.

 

As lotações esgotadas corresponderam às corridas de 15 de Maio, 5 de Junho e 4 de Setembro, ao passo que as casas cheias, próximas também da “Lotação Esgotada”, ocorreram nos dias 24 de Julho e 2 de Outubro.

 

As duas maiores figuras mundiais do toureio equestre, Pablo Hermoso de Mendoza e Diego Ventura ficam associados às lotações esgotadas, enquanto a segunda apresentação de Ventura e a Corrida e Gala à Antiga Portuguesa ficam associadas a duas fortíssimas entradas de público.

 

Na temporada agora finda, composta por 10 corridas de toiros e uma novilhada, anunciada em Março como “Temporada Única”, verificou-se uma significativa recuperação de público relativamente a 2013, com um crescimento da ordem dos 20 por cento.

 

Para além das já referidas figuras internacionais do toureio a cavalo, actuaram na Monumental de Lisboa as maiores figuras do panorama nacional, os mais prestigiados grupos de forcados e foram lidados toiros das mais conceituadas ganadarias portuguesas.

 

Foram concedidas duas alternativas de cavaleiro: ao colombiano Jacobo Botero e ao português Miguel Moura, tendo ainda Tomás Pinto confirmado a sua alternativa.

 

A temporada ficou também marcada pelas homenagens ao Ganadero Mário Vinhas e ao Grupo de Forcados Amadores de Montemor, pela comemoração das suas Bodas de Diamante, ambas na corrida de 2 de Outubro. Outro facto marcante foi a corrida em que o Grupo de Forcados Amadores de Lisboa pegou seis toiros (7 de Agosto), na comemoração ao seu septuagésimo aniversário.

 

No âmbito da divulgação do espaço taurino do Campo Pequeno, foram retomadas, com assinalável êxito, as visitas à praça, sendo permitido o acesso a várias dependências.

 

Recolocaram-se, após restauro, mais placas comemorativas no átrio principal do edifício.

 

Foi reassumido o projecto do Museu Tauromáquico do Campo Pequeno, o qual brevemente conhecerá novos desenvolvimentos.

 

A RTP transmitiu do Campo Pequeno as corridas de 3 de Julho (Comemorativa dos 50 anos das Corridas TV) e a tradicional Corrida de Gala à Antiga Portuguesa, realizada a 2 de Outubro.

 

A anteceder a corrida de 10 de Julho, exibiu-se Reprise a Cavalo da Guarda Nacional Republicana.

 

Para reforçar promoção das corridas de toiros no ciberespaço, foi construído de raiz o site (http://www.campopequenotauromaquia.com), e reforçou-se a posição da Direcção de Tauromaquia nas redes sociais.

 

Os turistas de visita a Lisboa foram alvo de acções específicas de divulgação das corridas de toiros no Campo Pequeno, as quais se revelaram bem sucedidas.