Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

O Campo Pequeno abre as suas portas dia 7 de Agosto para a tradicional “Corrida do Emigrante”, na qual o Grupo de Forcados Amadores e Lisboa comemora 70 anos de actividade e pegará, como único grupo, seis imponentes toiros de Canas Vigoroux.

 

 

A lide a cavalo estará a cargo de Sónia Matias, Ana Batista Gilberto Filipe e Filipe Gonçalves. À alegria e entrega de Sónia Matias contrapõe Ana Batista um toureio mais moldado nos cânones do classicismo. Qualquer delas já registou importantes triunfos nesta temporada. Por seu turno, Gilberto Filipe vem ao Campo Pequeno na sua qualidade de triunfador da edição de 2013 da “Corrida do Emigrante”. Já Filipe Gonçalves integra este cartel como consequência lógica de ter sido um dos triunfadores da corrida TV Norte.

 

Comandado por Pedro Maria Gomes, digno sucessor de Nuno Salvação Barreto e de José Luis Gomes, o Grupo de Forcados Amadores de Lisboa comemora 70 anos de actividade numa corrida em que actua, como único grupo.

 

A ganadaria Canas Vigoroux foi uma das triunfadoras da temporada de 2013 no Campo Pequeno, razão pela qual volta a Lisboa, com um curro de extraordinária apresentação.

 

Entretanto, no próximo domingo, dia 3, às 17h30, realiza-se na Figueira da Foz, uma das praças geridas pela empresa do Campo Pequeno, a “Grande Corrida Correio da Manhã-Centro”.

 

Actuam os cavaleiros António Ribeiro Telles, João Moura Júnior e João Maria Branco e pegam os grupos de forcados amadores de Santarém e de Lisboa, capitaneados respectivamente por Diogo Sepúlveda e Pedro Maria Gomes, sendo lidados seis toiros de Romão Tenório de excelente apresentação.

 

Será uma corrida de grande competição entre o estilo clássico de Antonio Ribeiro Telles, a classe de João Moura Júnior e a raça de João Maria Branco.

 

No dia 15, às 22 H00, o Coliseu Figueirense será o palco para a “XIII Grande Corrida RDP-TV”, na qual estará em disputa u prémio para a melhor pega de caras, que será disputado entre os grupos de forcados do Ribatejo (cabo João Machacaz), Aposento da Chamusca (cabo Pedro Coelho dos Reis) e Coimbra (Cabo Luis Santos).

 

Lidam-se seis poderosos toiros de Luis Rocha.

 

Estarão em praça seis jovens cavaleiros com provas dadas de quererem e poderem vir a ser grandes figuras do toureio: Sónia Matias, Brito Paes, Manuel Ribeiro Telles Bastos, Tomás Pinto, Mateus Preito e o colombiano Jacobo Botero.

Aquando da chegada do mês de Agosto, a localidade de Coruche prepara-se para receber as suas festas em Honra de Nossa Senhora do Castelo mas também a tradicional Festa da Cerveja que nunca descura a vertente taurina.

 

Já este sábado, dia 2 na Praça de Toiros a partir das 17:00 anunciam-se diversas atividades entre as quais se destaca o espetáculo de Variedades Taurinas que terá o seu início marcado para as 22:00 horas. O elenco artístico será composto pelos jovens artistas Andreia Oliveira, Mafalda Robalo, José Moreira, Francisco Parreira e Manuel de Oliveira, bem como dos jovens forcados amadores de Coruche, que se enfrentam a exemplares da divisa de Mestre David Ribeiro Telles. A noite será ainda composta por solta de vacas e novilhos para os mais afoitos.

 

De 6 a 18 de Agosto, as Festas em Honra de Nossa Senhora do Castelo levarão inúmeros forasteiros a Coruche que poderão disfrutar dos inúmeros eventos previstos, onde os toiros terão um papel elevado na sua programação.

 

A empresa Tauroleve anuncia dois espetáculos por ocasião deste certame, nos dias 15 e 17 de Agosto.

 

A 15 de Agosto pelas 22:30 realiza-se pela primeira vez um concurso de recortadores internacional com toiros de fogo. Acrobatas portugueses, espanhóis e franceses farão as delícias do público diante de toiros de João Ramalho, numa coprodução com a empresa líder dos espetáculos populares espanhóis da Toropasíon.

 

No dia 17 pelas 18:00 a Monumental Praça de Toiros do Sorraia volta a abrir as suas portaras para palco da tradicional Corrida de Toiros das suas festas, que contará este ano com o cartel mais desejado por todos. Pela primeira vez nesta praça atuam em solitários três cavaleiros da Torrinha – António, Manuel e João Ribeiro Telles -, numa temporada marcada já por inúmeros êxitos alcançados pelos três cavaleiros. As pegas estarão a cargo dos amadores de Coruche, comandados por Amorim Ribeiro Lopes que se irão enfrentar a seis toiros da prestigiada ganadaria de Pinto Barreiros.

 

Nos dia 2, 15 e 17 de Agosto são muitos os acontecimentos que irão marcar a temporada em Coruche, e no qual os aficionados e público em geral não podem perder pitada.

 

Venha apoiar a Tauromaquia!

 Seja bem-vindo a este espaço de comentário e opinião de quem gosta de tauromaquia, e da tauromaquia. Um espaço que semanalmente pode acompanhar no barreiradesombra.blogspot.sapo.pt, e ouvir, aqui, na www.FeelFm.pt.

         

Como aqui havíamos destacado na parte final desta nossa conversa, passada semana, lá estivemos na praça de touros da Póvoa de Varzim. Do que vi, registei e fotografei, podem os ouvintes ler e fazer a sua opinião, acedendo e lendo o barreiradesombra.blogspot.sapo.pt, ou ao Jornal Olé. 

 

Mas, mas como em tudo, também nestas coisas de toiros, tauromaquia, também existem mas. E o mas, o mas aqui, está entre o que se conta, o que gostamos e não gostamos, coisa que, repetimos, vamos poupar os ouvintes ao suplício de ter de ouvir o que já então escrevi sobre a 18ª. Corrida Tv/Norte, mas, dizia, mas algumas coisas interessantes, que ficaram por dizer, e que por justiça e analise, queria aqui salientar. Só mais um ponto prévio:- apesar de ter assistido ao vivo à 18ª. Corrida Tv/Norte, voltei a revê-la na gravação que ainda está disponível nos canais dos operadores NÓS e MEO. Devia isso à minha curiosidade na avaliação que estes meios agora nos proporcionam, sopesando entre o que na praça se passa, o ambiente, e o modo como isso acaba sendo transmitido ao público que assiste pela televisão. E, apesar da impecável, rigorosa e dinâmica, realização do Manuel Rosa Pires, pois foi ele o responsável pela transmissão televisiva, ainda assim não foi possível oferecer ao telespectador, o ambiente de festa e entrega que o público nas bancadas viveu e distribuiu com generoso e caloroso carinho aos artistas.  Apelidei, no que sobre esta 18ª. corrida Tv/Norte escrevi, que a soma de tudo e de todos, foi um 'Hino à Alegria'. Bem! Pois, após o visionamento que aqui agora refiro, esse calor, esse entusiasmo, ficou-se muito aquém da realidade.

 

Sabemos que ainda não existem meios, mesmo a televisão, que permitam tal transmissão de manifestações de sentimentos, coisa que também nem a palavra escrita, ou o som ambiente, consegue superar. Mas o calor humano, o entusiasmo ali vivido, a entrega dos aficionados, ou não, do Norte, foram, são uma manifestação, um dos factores que deixa qualquer artista desvanecido, incapaz de por vezes, raciocinar com lógica, com a serenidade exigível. Portanto, esta a primeira constatação que queria destacar. O calor e o entusiasmo dos que assistiram ao vivo, foi um 'hino à alegria', com os artistas a fazerem parte do coro. Depois, também, uma referência para a boa música oferecida pela Banda do Samouco. Diversa e diversificada, a sua participação foi um concerto com acerto e muito aplaudido.  A Banda do Samouco soube oferecer aos aficionados do Norte boa música, bem tocada, envolvente, e  os aficionados, público, porque assim o entendeu, pediu essa musicalidade das suas interpretações como prémio para os artistas. Aliás, também assim o entendeu o senhor Francisco Calado, que com critério, dirigiu a corrida. Uma direcção de corrida feita com serenidade, acerto, muito oportuno na concessão de música, na avaliação do desenrolar das lides, um lavor  em que foi apoiado pelo dr. José Luís Cruz, assessor técnico/veterinário. Com directores de corrida assim, serenos, sensatos, seguros e discretos, até parece que tudo corre pelo melhor, mesmo quando existem imprevistos para resolver. Ficam os artistas menos tensos, o público mais disponível, a função mais facilitada e, sobretudo, mais dignificada.  Afinal a tourada e uma Festa, é a Festa dos Toiros.

 

Estas são algumas das 'pequenas' coisas que destacaria neste espaço, e que por escrito não referi, sobre a 18ª. Corrida Tv/Norte, da passada sexta-feira, na Póvoa de Varzim. Póvoa de Varzim, que tem já anunciadas mais duas corridas de toiros para o próximo mês de Agosto. No dia 9, um Sábado, pelas 22 horas, o cartel é composto por seis cavaleiros, Joaquim Bastinhas, Rui salvador, Marcos Bastinhas, Sónia Matias, Duarte Pinto e o praticante, Rui Guerra. Para pegarem os seis toiros da ganadaria de S. Martinho, estarão em praça, três Grupos de Forcados, o de Montijo, capitaneados por Ricardo Figueiredo, o de Salvaterra, dirigidos por Nelson Soares, e o de Coimbra, liderados por Luís Pires dos Santos. Este o cartel para o dia 9 de Agosto, mas no Domingo, dia 17, a praça de toiros da Póvoa de Varzim, vai voltar a ser o local para a alternativa de mais um cavaleiro. Um cavaleiro do Norte, o primeiro a ter alternativa, José Carlos Portugal. José Carlos Portugal, que terá com  padrinho nesta cerimónia de alternativa, Joaquim Bastinhas. Com o cartel ainda por fechar, fica para constar da agenda dos aficionados, a data, 17 de Agosto, o local, a Praça de Touros da Póvoa de Varzim, e os dois principais protagonistas e a cerimónia, alternativa de José Carlos Portugal, com Joaquim Bastinhas como padrinho.

 

E, sem que desse-mos por isso, o tempo foi passando, foi correndo, e já estamos no fim do mês de Julho, isto é, com meia temporada quase passada, ou ultrapassada. Meia temporada passada, um Novo Regulamento a cerca de 12 dias de trazer novas regras para serem aplicadas, e uns tantos daqueles problemas que se arrastam, que careciam de um jeito especial de solução. Por exemplo, a forma incompreensível como se montam corridas. Sabemos que negócios são coisa para uns quantos, mas, mesmo na gestão de negócios, quem está por fora, tocando guitarra, como diz aqui pelos meus lados, vai ficando perplexo com o desbaratar das oportunidades, a condução 'original', para não dizer absurda, de  tratar as coisas. Então não é que no passado domingo, salvo informação que nos escapou, não se realizou algum espectáculo tauromáquico, e no próximo, no dia 3, só na Zona  Centro do país, isto é, com distâncias entre 50 e 70 quilómetros, vão decorrer corridas de toiros. Assim, vamos ter corridas em Mira, na Praia de Mira, em Abiul/Pombal e na Figueira da Foz, e sem contar com Seia, que fica a cerca de uma hora e meia de qualquer destes locais. Enfim.

 

E para o fim, mas deste nossa crónica de hoje, uma referência à nossa ida até Mira, no próximo domingo, para ver uma corrida mista. Pedro Salvador, Tiago Carreiras, a cavalo, e Joaquim Ribeiro 'Cuqui' e Jorge Exposito a tourear a pé. Os toiros são do senhor Higino Soveral, e pastam ali próximo, em Montemor-o-velho, e serão pegados pelo Grupo de Forcados Amadores do Ribatejo, capitaneados por João Machacaz.

 

Ainda antes de despedir, uma palavra de sentida homenagem a António Morgado, que na passada sexta-feira desapareceu. Paz à sua alma.

 

E por hoje é tudo,  do Norte, com um abraço.        

 

José Andrade

Os "contra", os anti taurinos, dariam uma boa ajuda ao depauperado orçamento do nosso País. Na verdade, são tantas as figuras ridiculas que fazem, que certamente, se fossem obrigados a pagá-las, dariam um bom rendimento.

 

Dia 24 de julho de 2014, lá estavam os ridículos, os "contra", os utópicos antitaurinos, diante da praça de toiros do Campo Pequeno, protestando.

Quando começaram estas ações, a possibilidade de abordarem os aficionados, para os censurarem e insultar, chegou a gerar alguns confrontos físicos. Farisaicamente, logo por eles aproveitados para apelidarem de desordeiros os taurinos que, diziam, lhes tiravam, à força, o direito de se expressarem livremente.

 

A Autoridade, inteligente, vendo que o uso do evocado direito, era atendível mas gerador de conflitos, tomou uma atitude salomonica. Criou um retangulo balisado, onde coloca os contestatários, impedindo-os assim, de se aproximarem dos aficionados. Mas estes não acalmaram.

 

Porque o tempo de férias desmobiliza o fervor contestatário ou, por este estar a arrefecer, no dia 24 eram ainda menos do que é habitual. Nem preenchiam, condignamente, o retângulo. Ridícula e ingenuamente, tentando disfarçar a fraca representação, os 20/30 presentes distribuiam-se, estrategicamente, por todo o espaço dando assim, à primeira vista, a sensação de serem mais do que eram na realidade.

 

O ridículo espetáculo que representou toda esta encenação, só encontra atenuante no ser protagonizado por gente na faixa etária em que somos mais crédulos, espontâneos, românticos e imaginativos. Também, quando procuramos pretextos que nos proporcionem chamar a atenção. Dar nas vistas.

 

Dizer que são motivados pela revolta que lhes causa ver um animal, "torturado" por indivíduos sem escrúpulos ou sentimentos, que se deleitam com o sofrimento infligido ao toiro, foi o pretexto ideal que os "contra" encontraram. Até porque dá oportunidade de publicitar a bondosa e sensível índole que possuem. Opor-se às touradas é pois bonito, atinge o que se pretende, e esconde bem a verdadeira razão que os motiva - a busca de protagonismo. Pura hipocrisia....

 

Sei que a vida se encarregará de lhes roubar o espírito missionário, de modernos Noés que assumem. Contudo a contestação não acabará. Outros "noés" surgirão Faz parte do crescimento. Paciência. Porém, enquanto cá estiver e já não será por muito tempo, entretenho-me combatendo-os. Principalmente porque abusiva e ditatorialmente e por meio de duvidosas razões, me querem privar do meu espetáculo preferido.

 

Carlos Patrício Álvares (Chaubet)

Pág. 1/11