Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Depois da anulação e relançamento de alguns concursos para arrendamento de praças de toiros, voltamos a verificar – e de acordo com dados divulgados por alguns dos sites taurinos portugueses – que afinal há muito dinheiro para oferecer por esses alugueres ainda que nos últimos anos as lotações dessas praças na esmagadora maioria dos espectáculos aí realizados seja baixa por todos os motivos conhecidos.

 

Em Reguengos, aonde ninguém havia chegado à loucura dos 60 mil euros pretendidos pela entidade proprietária para exploração do tauródromo local por um período de 3 anos, 4 empresas apresentaram valores entre 30 mil e 45750 euros, o que dá uma média mínima de aluguer por espectáculo de 5 mil a mais de 7 mil euros… Quem vai pagar??? O público no bilhete e toureiros e ganadeiros no cachet que será, necessariamente, mais baixo!

 

Na Chamusca, praça castiça e que cumprirá 95 anos de existência este ano, Paulo Pessoa de Carvalho foi o vencedor do concurso disputado com outros 5 empresários que ofereceram entre 1000 euros + 10% do lucro e os 8500 euros por 2 anos do vencedor. Esta praça dá uma corrida da Feira da Ascensão e por vezes outra fora desta data móvel.

 

Em Coruche, as entidades proprietárias da praça rejeitaram todas as propostas apresentadas e que ofereciam percentagens diversas sobre bilheteiras e valores mínimos garantidos: João Telles oferecia 10% de duas corridas e 20% da de dia 17 de Agosto; a Tauroleve 12% com um mínimo de 36 mil euros e a Emoção um valor de 30 mil euros, todas pelo período de 3 anos. Em média esta praça dá 2 espectáculos em Agosto.

 

Na Moita do Ribatejo, João Pedro Bolota/Aplaudir levou a melhor sobre os outros 3 candidatos, ao oferecer 20 mil euros por esta época e mais 22500 por cada uma das duas seguintes. Esta praça, que dá, em média 6/7 espectáculos por temporada tem a particularidade de que, por força do caderno de encargos, um conjunto significativo de entradas em sector de sombra ser para os accionistas da SMT, o que encarece sobremaneira o custo do aluguer.

 

Será que os senhores empresários têm máquinas de fazer dinheiro e nós não sabemos? É que se fizermos contas a uma média de 2000 espectadores que pagem em média 25 euros por por bilhete, teremos uma receita bruta média de 50 mil euros... o que é manifestamente baixo para cobrir todas as despesas de um espectáculo tauromáquico normal...

Pág. 2

- Editorial. Finalmente há notícias. Director: Francisco Morgado

- Bilhete Postal. Senhor Presidente da ONU. Texto: Joaquim Tapada

- El Galego - II Gala do Toiro em Santarém

- Rui Bento e João Moura Jr. Nova equipa para 2014

 

Pág. 3

Entrevista: Vítor Ribeiro. Texto: Paula Figueiredo. Fotos: Cedidas por V. Ribeiro

 

Pág 4

- A forma estimuladora da generosidade. Texto: João Mascarenhas

- Mourão. E o Alqueva como sala de visitas… na planície alentejana proporciona um espectáculo inigualável.  Texto: Marco António Gomes. Fotos: Florindo Piteira

 

Pág. 5

- Porta dos sustos entregou trofeus. Texto: Marco Gomes.  Fotos: Porta dos sustos

- O renascer da Primavera. Dr. Varela de Matos (Advogado)

 

- Pág. 6

- Fotoreportagem. Gala da Tauromaquia do Clube Taurino. Texto: Ana Meira e Fotos: Fernando Clemente

 

Pág.7

- Patrício Cecílio - nasceu há 120 anos! Texto: Luís Miguel Barroso

- Notícia: Ganadarias Canas Vigoroux, António Silva, Luís Rocha e António Charrua no Campo Pequeno

- Publicidade: Restaurante Alfoz

 

Pág. 8

- Entrevista com o matador de toiros. Nuno Casquinha. Triunfador e líder do Escalafón no Perú. Texto. Fotos: António Lúcio

- Excelente Tenta no Vidigal no regresso de Nuno Casquinha a Portugal. Texto e Fotos: António Lúcio

 

Pág. 9

- Social Açores. III Fórum Mundial da Cultura Taurina. Fotos: Edgar Vieira

- Publicidade: D’Ornellas Boots

 

Pág. 10

- Açores – Ilhas Bravas. III Fórum Mundial da Cultura Taurina – 1º Dia. Texto: Bruno Bettencourt. Fotos: Edgar Vieira

 

Pág. 11

- Açores – Ilhas Bravas. III Fórum Mundial da Cultura Taurina – 2º Dia. Texto: André Cunha. Fotos: Edgar Vieira

 

Pág. 12

- Açores – Ilhas Bravas. Encerramento do Fórum Mundial da Cultura Taurina

Um olhar sobre 2016.  Texto: Pedro Correia. Fotos: Edgar Vieira

 

Pág.13

- Coisas & Loisas da nossa Festa

- Memórias da Festa e Pela Porta dos Sustos.  Por: Luís Miguel Barroso

- Nuno Marques em retrospectiva no Conversas de Cá! Texto: Luís Miguel Barroso. Fotos: cortesia de Biblioteca Municipal de Chamusca

 

Pág.14

- A temporada 2013 dos ganadeiros portugueses. Estatísticas da Associação Portuguesa de Criadores de Toiros de Lide.  Texto e grafismo: António Lúcio

- Notícia: Jantar/Conferência “Matadores de Portugal”

 

Pág. 15

- Notícia: Barreira de Sombra sem espaço na Oásis FM. Texto: António Lúcio

- Taurogastro. Carne brava com pimentos. Por: Ana Meira

- Ontem como hoje, Zé Agostinho será eterno. Texto: Marco António Gomes

- Pub Restaurante Quinta do Bispo – Évora

 

Pág. 16

- Publicidade: Casa Bastinhas com 2 Troféus. 

Exmos. Senhores;
Ao abrigo do mesmo direito de resposta exercido pela Federação Prótoiro, solicita o TouroeOuro, a publicação do escrito abaixo enviado, usufruindo
de 'honras de publicação' em espaço e formato idêntico à resposta da Prótoiro por vós publicada, em notícia ilustrada com a imagem que enviamos
em anexo.

A resposta do TouroeOuro à resposta da Prótoiro!

O TouroeOuro vem por este meio, esclarecer aquilo que lhe parece ser necessário para que não imperem 'dúvidas' de espécie alguma. O artigo 'Segredos de Ouro', de autoria de João Dinis (e não de Solange Pinto) como noutros órgãos de comunicação foi erradamente referido, nunca teve como objectivo difamar ou sequer pôr em causa o objecto de existência da Federação Prótoiro.
Tanto assim é, que dois dos elementos que compõem este órgão de comunicação, estiveram presentes numa reunião promovida pela dita federação quando a isso foi chamada.
A nós, TouroeOuro, nada mais nos move que a verdade na Festa e, supomos que, em igualdade de circunstâncias com a Prótoiro, a sua defesa e
protecção, pelo que não aceitamos insinuações que motivem uma ideia contrária a esta.
Agredecemos o esclarecimento submetido pelos Excelentíssimos Senhores João Santos Andrade, João Ribeiro Telles, José Fernando Potier, Paulo Pessoa de Carvalho e Arlindo Teles.
----

Agradecemos a atenção dispensada, com os melhores cumprimentos,

P'lo TouroeOuro
João Dinis - TouroeOuro.com

DIREITO DE RESPOSTA

 

Relativamente às informações prestadas pelo site “Touro e Ouro” no dia 17 de Fevereiro de 2014, e reproduzidas no “Farpas Blogue” no dia 18, vem a PRÓTOIRO, no exercício do seu direito de resposta, esclarecer o seguinte:

 

  1. As normas legais podem assumir diversas formas, como as “Leis”, que são publicamente debatidas e votadas na Assembleia da República pelos Deputados, ou os “Decretos-Lei”, que são debatidos e aprovados, em privado, pelos membros do Governo, em Conselho de Ministros. Ora, a norma legal que reclassificou etariamente a Tauromaquia como sendo “para maiores de 12 anos”, é um “Decreto-Lei”, ou seja, foi feito em Conselho de Ministros, em privado, e não pelos Deputados, em público, na Assembleia da República, pelo que as afirmações tecidas relativamente à actuação da PRÓTOIRO neste processo demonstram apenas, para além de ignorância, uma simples intenção de diminuir e difamar esta Federação.

 

  1. É absolutamente mentira que a Comissão Executiva da PRÓTOIRO se tenha reunido com a Direcção para tentar boicotar o que quer que fosse. Comissão Executiva e Direcção da PRÓTOIRO reúnem-se periodicamente para tratar de assuntos importantes para a Festa em Portugal, e não para discutir iniciativas privadas que nenhum prejuízo trazem à Tauromaquia como o seja um jantar de entrega de prémios promovido por uma associação de aficionados, como tantos outros houve durante o defeso. De facto, era bom que se compreendesse, de uma vez por todas, que a PRÓTOIRO, enquanto Federação institucional representativa do sector, não compete, nem pode nem quer competir com associações de aficionados. A PRÓTOIRO entende que as associações de aficionados são imprescindíveis à Tauromaquia e devem desempenhar um papel fundamental na sua defesa e promoção, como aliás já o desempenham inúmeras associações, grupos e tertúlias pelo país fora. Há tanto por fazer que todos juntos não somos suficientes. Portanto, e mais uma vez, qualquer tentativa de criar rupturas, quezílias ou divisões resulta apenas e tão só de vontades perversas de gerar destabilização e polémicas onde deveria haver uniões e consensos.

 

  1. A PRÓTOIRO, enquanto representante institucional do sector da tauromaquia em Portugal, está sujeita, evidentemente, ao escrutínio da opinião pública e a todas as críticas e opiniões, sejam elas mais brandas ou acérrimas, infundadas ou sólidas, justas ou injustas. Assim, aceita essas críticas com naturalidade e respeito. Aceita, também, a indiferença e até o boicote. O que não pode continuar a aceitar é o chorrilho de mentiras, insinuações e difamações que de há algum tempo para cá se têm transmitido acerca desta Federação. Criticar e opinar não é, nem nunca pode ser, sinónimo de mentir ou insinuar. Já era tempo de esta elementar distinção ser devidamente interiorizada por alguns que têm responsabilidades na comunicação da tauromáquica em Portugal.

 

Porto Alto, 18 de Fevereiro de 2014

 

A Direcção da PRÓTOIRO,

 

João Santos Andrade

Presidente da Associação Portuguesa de Criadores de Toiros de Lide

 

João Ribeiro Telles

Presidente da Associação Nacional de Toureiros

 

José Fernando Potier

Presidente da Associação Nacional de Grupos de Forcados

 

Paulo Pessoa de Carvalho

Presidente da Associação Portuguesa de Empresários Tauromáquicos

 

Arlindo Teles

Presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense

 

É já grande o ambiente em volta do V Festival Taurino da Rádio Campanário, que terá lugar no próximo dia 15 de Março na Praça de Touros de Vila Viçosa

A Rádio Campanário, informa que a partir desta terça-feira estão à vendas os bilhetes para este grande acontecimento taurino. Os bilhetes têm preço a partir de 15 euros e poderão ser adquiridos nos estúdios da Rádio Campanário ou reserva-los pelos números 268980222 / 961349379 e ainda em www.radiocampanario.com. De salientar ainda que os portadores do Cartão Municipal de Apoio Social, do concelho de Vila Viçosa, têm desconto de 50% para qualquer um dos setores.

Recordamos que o cartel é composto pelos cavaleiros António Telles, João Salgueiro, Rui Fernandes, João Moura Jr, Marcos Bastinhas e João Maria Branco, bem como os Forcados Amadores de São Manços, Académicos de Elvas e Monsaraz, perante novilhos/touros de Pinto Barreiros, Murteira Grave, Eng.º Luís Rocha, José Luís Cochicho, Francisco Romão Tenório e Torre d’Onofre.

"Junto enviamos reportagem fotográfica do I Jantar ATCT, onde se homenagearam pessoas e agentes da Festa que, pela sua particular importância, contribuem, ou contribuíram, de forma relevante para a Tauromaquia em Portugal.

 

Num ambiente familiar e transbordando afición, decorreu ontem o I Jantar ATCT, onde foram entregues os diplomas aos agora Sócios Honorários e atribuídas as Menções Honrosas que entendeu a Associação de Tradições e Cultura Tauromáquica, de particular relevância.

 

Não obstante as ostensivas e lamentáveis ausências, notadas diga-se de passagem, traduziu-se num enorme sucesso esta primeira edição, facto que merece por parte da ATCT especial referencia.

 

Exemplo de afición, digno de nota, merece-nos especial destaque a presença de Fernando Clemente que, apesar dos problemas de saúde com que se debate ultimamente, não deixou de nos acompanhar nesta ocasião, demonstrando, como sempre, o seu apoio à ATCT.

 

À restante imprensa que apoiou, divulgou, e promoveu o I Jantar ATCT, o nosso muito obrigado.

 

Agradecendo a todos os presentes,

 

A bem da Festa Brava,

 

A Direcção da ATCT"

 

--

Ricardo Dias Pinto

Presidente

ATCT-Associação de Tradições e Cultura Tauromáquica

www.atct.org.pt

https://www.facebook.com/atctauromaquica

Fotos: Fernando Clemente

 

 

 

 

 

 

Governo reclassifica espectáculos taurinos para “maiores de 12 anos” mas tal não altera a liberdade dos menores dessa idade de irem aos toiros

 

 

Foi ontem publicado em Diário da República o novo Decreto-Lei do Governo sobre classificação de espectáculos artísticos – decisão que foi tomada em 5 de Dezembro de 2013.

O Decreto-Lei define, claramente, a Tauromaquia como espectáculo artístico, mas passa a sua classificação etária de “maiores de 6 anos” para “maiores de 12 anos”.

 

Esta reclassificação etária não impede, contudo, os menores dessa idade de irem aos toiros. Como se pode ler no Decreto-Lei, (art. 22.º, n.º 3) a classificação etária é apenas um “aconselhamento”, e (art. 8.º, n.º 7) a falta de idade pode ser suprida pela responsabilização dos pais ou de um adulto que acompanhe a criança. Assim, e tal como já sucedia ao abrigo da anterior legislação (Decreto-Lei n.º 116/83, de 24 de Fevereiro), os pais podem continuar, como até aqui, a levar os seus filhos aos toiros.

 

Mas, apesar de não ter impacto na prática, esta reclassificação configura uma medida absolutamente arbitrária e sem qualquer fundamento científico, uma vez que os estudos e pareceres nacionais e internacionais indicam nitidamente que a Tauromaquia não tem qualquer influência negativa nas crianças. Por outro lado durante o processo legislativo também não foram ouvidas quaisquer entidades que pudessem dar um contributo sobre esta matéria, fossem ligadas à tauromaquia ou a instituições de protecção de menores – é, portanto, de uma manobra de bastidores camuflada mas claramente encomendada.

 

Trata-se, por isso, de uma tentativa de coagir a Liberdade cultural em Portugal e a Liberdade de os pais decidirem como devem educar os seus filhos pelo que a PRÓTOIRO irá despoletar todas as medidas legais ao seu alcance para revogar esta alteração.

 

 

PROTOIRO

Federação Portuguesa de Tauromaquia