Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

QUEM TEM MEDO... POR JOSÉ ANDRADE

05.11.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

É costume dizer-se 'quem tem medo, compra um cão'! Parece que os ditos 'taurinos de peito', ou se esqueceram deste aforismo, ou 'viraram' para a moda, e agora, também pertencem ao grupo dos 'Amigos dos Animais'. E em vez de comprarem um cão, atiram-se como cães a quem quer realizar iniciativas como a que está prevista decorrer na Praça de Toiros do Montijo. Têm medo de quê e de quem? Têm medo que se esqueçam deles para a realização de corridas de toiros à portuguesa? Ou têm graves problemas de consciência do que fizeram e fazem na concertação dos cartéis? A generosidade, fidalguia e galhardia dos Forcados, os artistas mais mal pagos – diria, miserável mente mal pagos e indignamente mal tratados na festa dos toiros – por certo que não se vai aproveitar do êxito ou não, deste tipo de actuação para outra coisa, que não seja, o que que sempre têm feito, demonstrar a sua raça, valentia e fidalga galhardia. Cavalheiros, mesmo sem sangue azul, são sempre cavalheiros. As excepções, só confirmam a regra. E definem quem é quem, e ao que anda.

 

Vem este escrito, esta minha opinião, a propósito dos três espetáculos que estão anunciados para  os dias 2, 3 e 17, na Praça de Toiros do Montijo, como 'Grandiosa demonstração de pegas'. Tinha prometido a mim mesmo, depois da opinião que sobre este tema emiti no decorrer do Programa 'Barreira de Sombra', do passado dia 21, na charla que vou semanalmente mantendo na Rádio Oásis, com o meu Amigo António Lúcio, não voltar ao tema. O que então disse e mantenho, pareceu-me suficiente como contributo. E se já tinha 'dado para esta festa', voltar ao assunto, só por um bom motivo. Isto é, só voltaria a perder tempo com tão ruins defuntos, se os tais ditos' taurinos de peito' persistissem em asneirar. E não é que asneiraram mesmo, ao que me dizem?! Asneiraram tanto e tão pouco, que até alguns 'amigos' que na comunicação social estavam ao seu lado, perante a estupidez instalada, e a arrogância pestilencial espraiada, por artes de magia, o que ontem era mau, hoje passou a óptimo. Com amigos assim, o 'João Pedro Bolota e Pedro Gonçalves' que se cuidem. Com tanto apoio, já estou como dizia um amigo meu dado a estas coisas da sociologia

comportamental, 'têm medo, mas como também têm medo dos cães, qualquer coisa lhes serve de desculpa... o que importa é fingir'. Finge-se que se é 'bom taurino'. Finge-se que se gosta de animais. 'Coitados dos animais! Com 'Amigos' que os deixam fechados nas varandas, marquises, nos apartamentos, gemendo e miando em paranoia castradora e demencial, mais vale terem 'inimigos', sejam eles aficionados, artistas tauromáquicos, domadores ou simples anónimos que respeitam a sua liberdade, raça e crenças naturais.

 

Hoje, agora, os 'perigosos desestabilizadores' foram os Forcados. Amanhã, quem sabe, os 'Recortadores'. Coisas dos tempos de quem tem medo!                                              

 

 José Andrade

INEXPLICÁVEL AUTISMO TAURINO, POR CHAUBET

05.11.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Chocou-me a pouca ou nenhuma atenção dada pela gente dos toiros à iniciativa tomada por João Pedro Bolota. Dos que se intitulam profissionais do toureio – os intervenientes e os organizadores de espetáculos; os que escrevem ou comentam sobre os mesmos; os que dizem apreciá-los - os aficionados; os que se gabam de correr riscos por gosto - os Forcados.

 

João Pedro Bolota, quando vestiu a farda de forcado, teve oportunidade de mostrar toda a sua valentia e aficion, sendo sempre lembrado quando se fala dos Grandes Forcados que Alcochete tem dado. Atualmente, como empresário, também conseguiu lugar de destaque, pondo frequentemente a aficion à frente dos interesses de empresário. Os três espetáculos que imaginou para os dias 2,3 e 17 de novembro no Montijo, com entradas a 5 Euros confirmam isso. O objetivo que pretendia alcançar, mais uma vez levado pela sua aficion, era congregar o maior número de assinaturas para, numa exposição à Assembleia da República, tentar a proibição das manifestações contra a Tauromaquia, a que se tem assistido à porta das praças de toiros. Mas aconteceu o impensável.
 
Cavaleiros, bandarilheiros, forcados (!!!), gente que é ou diz ser críticos ou comentadores tauromáquicos, aficionados às touradas, faltaram. Terá sido por súbito autismo que, tenho esperança seja passageiro, não terão compreendido a oportunidade, valor e alcance da diligência de J.P.B.? Quem precisa ou aprecia espetáculos tauromáquicos, desconhece a campanha que contra eles é feita? Como explicar a apatia, a indiferença até o boicote a que sujeitaram a ideia? E porque motivos? Aqui entra o individualismo, a ansia de protagonismo, o ciúme, a pequenez de vistas, a falta de personalidade.
 
Mas J.P.B. continua com o seu espírito de Forcado. Não se deu por vencido. Contra tudo e contra todos, levou avante o seu projeto. Não teve a projeção que ele pretendia nem a bilheteira o compensou, mas ainda bem que ele o realizou. Foi uma bofetada para todos aqueles que se dizem aficionados. Tomara que seja também uma chamada de atenção para o perigo que a Tauromaquia corre se continuarem com procedimentos idênticos. Os “contra”, os anti taurinos, não param de a atacar. Sem resultados palpáveis, é verdade, mas são persistentes e agressivos. Precisamos da ajuda de todos para a defender.
 
Os referidos espetáculos, constituíram uma vergonha para todos os da “família” taurina, que não quiseram colaborar na sua realização. Além da falta de público, J.P.B. teve que se socorrer de peões de brega espanhóis (imagine-se o que os espanhóis irão pensar da aficion dos nossos profissionais…).  Felizmente estiveram presentes forcados. Foram a base do evento – G.F.A.Ribatejo, Montijo, Azambuja, Chamusca, Arronches, Arruda, T.T.Montijo, Ap. V. Alcochete, Alandroal, Monforte, Salvaterra, Monsaraz. Mesmo assim os grupos mais credenciados, por iniciativa própria ou por recomendação da ditatorial ANGF, recusaram a sua colaboração.
 
Longe vai o tempo em que ao FORCADO AMADOR, todos os pretextos serviam para satisfazer o seu desejo de pegar toiros. Boa vontade mostrou o ganadeiro Dias Coutinho, ao fornecer os toiros.
 
Com estas ocorrências, os que esfregaram as mãos de contentes foram os  “contra”, os que atacam o espectáculo tauromáquico, tiveram inesperados aliados.
 
Carlos Patrício Álvares  (Chaubet)

JANTARES 6ªFEIRA COM OS PREMIADOS DA TERTÚLIA TAUROMÁQUICA SOBRALENSE

05.11.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Triunfadores da temporada 2013 em Sobral de Monte Agraço


Cavaleiro Profissional: LUIS ROUXINOL

entrega a 29-11-2013                                                                 Moderador – Maurício do Vale

Cavaleiro Profissional: FILIPE GONÇALVES

entrega a 6-12-2013                                                                   Moderador – Francisco Morgado


Forcados : AMADORES DA CHAMUSCA

entrega a 13-12-2013                                                                 Moderador – Raul Caldeira


Galardões Destaque da Temporada de 2013

Eng. JOSÉ SAMUEL LUPI

entrega a 10-01-2014                                                                  Moderador – João Queiroz

JOSÉ SIMÕES
entrega a 17-01-2014                                                                  Moderador – Joaquim Mesquita

 

VITOR RIBEIRO

entrega a 24-01-2014                                                                  Moderador – António Lúcio

 

 

AOS SOBRALENSES QUE CONTRIBUÍRAM PARA OS 100 ANOS DE FESTAS NO SOBRAL

entrega a 31-01-2014                                                                Moderador – Eng António Caroço

 

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DO SOBRAL DE MONTE AGRAÇO

entrega a 7-02-2014                                                                  Moderador – Dr Luís Melícias

 


Menções Honrosas da Temporada de 2013


Bezerrista : JUANITO SILVA

entrega a 15-11-2013                                                                Moderador – Dr. Vasco Lucas

 

FEIRA DE CAMPO

entrega a 22-11-2013                                                                Moderador – Sérgio Perilhão

HOJE, NO «BARREIRA DE SOMBRA« - 106.4 FM - 21H/22H

04.11.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Esta será a penúltima edição do «Barreira de Sonbra» relativa à temporada 2013.

 

A partir das 21h e até às 22h, teremos:

 

  • Sérgio Miguel, cabo dos Amadores de Arruda dos Vinhos, um dos Grupos apurados para a final do concurso de pegas no Montijo
  • A análise da temporada do nosso programa
  • Tauromaquia Norte/Sul com José Andrade

A não perder!!!

- O CAVALO, A CRIANÇA E NÓS, OS ADULTOS – por PAULO BEJA

04.11.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Sobral de Monte Agraço recebeu no passado sábado à tarde um espectáculo equestre na sua castiça praça de toiros já despida para o defeso taurino. Sem teia e com um tapete verde natural acabou por ser um espaço singular para  a montagem das limitações de um picadeiro e um palco terreno para este show em que a música, a dança e a equitação se fundem perfeitamente ao longo de hora e meia. A ideia conjunta da empresa Multi-Rádio, habituée nos grandes espectáculos nacionais de equitação promovidos por Luis Valença, o centro equestre de Cachoeiras e a academia de dança Vanessa Silva de Póvoa de Santa Iria acabou por resultar numa singela homenagem ao cavalo em todas as suas qualidades na equitação.

 

O cavalo, a criança e nós os adultos é pois o tema para 14 quadros tal qual uma revista à portuguesa, apresentados em voz off e onde em simultâneo, e com um guarda roupa fabuloso, o corpo de dança e os cavaleiros se interligam perfeitamente e interagem com o público como um todo. Perfeito!

Dando a primazia ao cavalo em liberdade, começamos esta viagem algures na América com uma dança índia em redor do cavalo de crinas ao vento e com as penas da tribo que o idolatra, para depois mostrar a paixão e o ensino do cavalo nos mais jovens, com o volteio, os primeiros obstáculos e uma fantasia da Disney onde até o Mickey sabe montar. Momentos especiais com cavaleiros de palmo e meio e são muitos, a aprender com Verónica Santos no centro equestre de Cachoeiras, assim como também há uma classe muito jovem de dançarinas  na academia da Vanessa Silva.

 

Com as grandes sonoridades e a magia da dança o espectáculo já cativou o público e é tempo de mostrar o cavalo em alta escola em “pas de deux”  e no toureio com as presenças dos cavaleiros tauromáquicos Paulo Jorge Santos e António Mendonça. Que se despedem destes quadros com um cheirinho a Sevilha, num passeio pela “feria com suas niñas guapas” nas montadas. Especial aqui os bailarinos tanto a dançar rumba flamenca como sevilhanas.

 

A solo ou a pares, os cavalos brilham na arena e os ritmos mudam no palco e os tributos aos ABBA e ao Moulin Rouge são simplesmente geniais e até nas bancadas deu vontade de dançar. Mas dois momentos ficarão na retina, em dois solos extraordinários de perfeita equitação e dois sentimentos especiais. Ao dedilhar da guitarra de fado a entrada da fadista Margarida Arcanjo enche a praça com a sua presença e voz e o cavalo de paulo Jorge santos parece perceber a magia do fado tal a suavidade de movimentos junto á fadista. Se fosse à noite com um bom foco a seguir estes minutos era sem dúvida o  momento mais alto do espectáculo. Por seu lado ao som de Carminho e Alboran Vanessa Silva mostrou-nos uma sensualidade quase angustiante e foi ela a grande protagonista de um solo acompanhada pela equitadora Verónica Santos. Aqui aconteceu a magia da dança com uma bailarina de excepção.

 

O carrocel com os cavaleiros do centro vieram mostrar também a ligação e entendimento das montadas com seis cavaleiras em praça a fechar os momentos mais sérios e artísticos deste espectáculo já a caminhar para o seu término e como cativador de novos alunos para as duas professoras idealistas desta gala o grande final trouxe-nos à pista os palhaços sem esquecerem o seu burrinho em momentos verdadeiramente hilariantes e antes da final com todos presentes fechou a gala um quadro natalicio com montagem de árvore de Natal e um Pequeno pai Natal a vir a cavalo, claro, trazer os seus presentes com todo o seu séquito. Apesar do pouco público a alegria e o prazer registado nos rostos mostrou que valeu a pena este esforço conjunto pois aconteceu magia na praça de toiros de Sobral de Monte Agraço. Hora e meia de espectáculo, muita entrega e vontade de voltar a ver em qualquer espaço multiusos até ao Natal. O cavalo, a criança e nós os adultos merece viajar pelo país.

 

Texto: Paulo Beja

FINAL DO CONCURSO DE PEGAS DIA 17 NO MONTIJO JÁ TEM FINALISTAS

03.11.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

As eliminatórias realizaram-se ontem e hoje na praça de Toiros do Montijo, com toiros de Dias Coutinho e em ambos os dias, com escassa presença de público, faltou um Grupo, sendo o último toiro pegado por elementos dos restantes cinco.

 

Na eliminatória de ontem, dia 2 de novembro, foram apurados os seguintes Grupos de Forcados Amadores:

1. Arruda dos Vinhos

2. Ribatejo

3. Arronches

 

E na eliminatória desta tarde, 3 de novembro, foram apurados os seguintes Grupos de Forcados Amadores:

1. Aposento do Alandroal

2. Tert. Tauromáquica do Montijo

3. Salvaterra de Magos.

 

A final será no dia 17 e de novo os toiros serão de Dias Coutinho.

FEIRA NACIONAL DO CAVALO LUSITANO - XXXVIII FEIRA NACIONAL DO CAVALO - XV FEIRA INTERNACIONAL DO CAVALO LUSITANO - Feira de São Martinho

03.11.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

Press release 1 Novembro

 

Aí está a Feira!

Arrancou na sexta-feira, 1 de Novembro, no coração do Ribatejo,mais uma edição da Feira de São Martinho, 38ª Feira Nacional do Cavalo e 15ª Feira Internacional do Cavalo Lusitano. As castanhas e o vinho, samarras e capotes, cavaleiros e amazonas estão de regresso ao Largo do Arneiro, em plena Capital do Cavalo, para mais uma semana de louvor à tradição.

 

Até dia 11 de Novembro, dia de São Martinho, decorre na Golegã mais um certame que promete atrair milhares de visitantes nacionais e estrangeiros para apreciarem os mais belos exemplares da raça lusitana.

 

Provas equestres, espectáculos, exposições e colóquios, entre outras actividades, fazem parte do programa. Uma das novidades deste ano é a realização do campeonato nacional de corridas de cavalos a galope e a trote - Grande Prémio Golegã 2013, que decorrerá no Hippos – Centro Nacional de Alto Rendimento de Desportos Equestres. 

 

O concurso de saltos de obstáculos marcou o início das provas equestres neste primeiro dia de feira. Já o Hippos recebeu a prova de ensino do concurso completo de atrelagem. No Equuspolis, foi inaugurada a exposição de pintura “Cavalos lusitanos um Sonho”, da autoria de Frédérique Lavergne. A pintora francesa interessou-se pelo cavalo lusitano há cerca de 15 anos e desde aí manteve o sonho de vir à feira da Golegã para conhecer mais intimamente este nobre animal, a sua morfologia, a sua expressividade e o seu carisma. Prova do seu talento, foi a escolha de uma pintura sua para ilustrar o cartaz da feira deste ano.

 

Já na Casa-Estúdio Carlos Relvas abriu a exposição de fotografia “Ribatejo, o outro lado da cor”, composta por trabalhos de fotógrafos amadores do Ribatejo. Trata-se de um grupo de 150 elementos, cada um com a sua linguagem própria para captar os temas da região. O presidente da Câmara, Rui Medinas, agradeceu ao grupo ter escolhido a Casa Relvas e a Golegã, ícones da fotografia e do Ribatejo, para a apresentação dos trabalhos. Esta mostra, a 20ª do grupo, é composta por 29 fotografias a preto e branco. Para visitar até final do ano. 

 

2 Novembro

O São Pedro tem colaborado com São Martinho e a temperatura amena deste sábado contribuiu para a vinda de muitas pessoas à Capital do Cavalo neste segundo dia de feira. Apesar de ainda estarmos no início do certame, é de crer que o número de visitantes aumente de dia para dia. O largo do Arneiro esteve muito bem composto, e ao longo deste sábado o público assistiu ao concurso de saltos de obstáculos. Já na Quinta da Labruja decorreu a maratona do concurso completo de atrelagem. De manhã bem cedo, 22 cavaleiros partiram para o concurso de resistência equestre. O cavaleiro eborense Filipe Fialho montando a égua Azeitona classificou-se em quarto lugar no CEI 1* 80 km, sagrando-se assim vencedor do Troféu Alltech International Endurance Cup 2013, conquistando uma entrada para os Alltech FEI World Equestrian Games 2014, a realizar na Normandia.

 

Além das provas equestres, decorreu no Equuspolis a apresentação do livro “S. Martinho - Golegã”, uma publicação de gravuras da autoria de Serrão de Faria sobre a feira da Golegã. “27 anos depois do primeiro livro onde a figura central era o cavalo, surge agora um sobre as pessoas e todo um mundo que vive em torno do cavalo”, explicou o autor. Para Rui Medinas, presidente da Câmara Municipal da Golegã, não poderia ter sido mais oportuno o lançamento do livro onde se podem encontrar várias figuras que quase já são ícones da feira de São Martinho.

 

Informa: FNC

A TEMPORADA 2013 DO BARREIRA DE SOMBRA

01.11.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Como vem sendo habitual, ao finalizar cada temporada tauromáquica, fazemos um curto balanço do que foi a nossa actividade na cobertura de corridas de toiros/espectáculos tauromáquicos. Este ano, iniciámos a nossa temporada a 1 de Fevereiro no tradicional festival de Mourão e demos por concluída a época no dia 13 de Outubro na Feira da Piedade em Santarém. Foi uma temporada com uma considerável diminuição do número total de espectáculos presenciados, fruto do pouco interesse de alguns dos cartéis mas também dos elevados custos das deslocações e refeições que suportamos para assistir a esses espectáculos. Ainda assim, marcámos presença em 52 espectáculos (45 por António Lúcio e 7 por José Andrade) e demos a conhecer mais 4 crónicas através de Paulo Beja. Fernando Clemente deu a conhcer aos visitantes do nosso blog centenas de fotos de tentaderos e de alguns espectáculos, ajudando a valorizar o nosso trabalho de defesa e promoção da festa brava.

 

Diversificámos a nossa presença por diversas praças, algumas onde já não íamos há alguns anos como Almeirim e Alcácer do Sal, mantendo uma razoável cobertura na região Norte do País e também na região Oeste e Ribatejo, contando ainda com a incursão a Badajoz para assistir a uma interessante novilhada. Foram 25 as praças onde estivemos presentes (27 se contarmos com as crónicas de Paulo Beja) e onde presenciámos os 52 espectáculos que fizeram a nossa temporada 2013.

 

No que toca à categoria de espectáculos presenciados, a esmagadora maioria foi com cavaleiros e forcados, como se pode verificar na classificação seguinte:

 

 

Quanto às praças onde estivémos presentes, dividimos a nossa classificação entre aquelas onde estivemos três ou mais vezes (e foram 6) e as que visitámos duas ou menos vezes. Entre parêntesis estão assinaladas com um (D) as praças desmontáveis.

 

Como se pode verificar, destes cinquenta e dois espectáculos a que assistimos, apenas seis foram realizados em praças desmontáveis e a média estimada de espectadores foi de 2896 por espectáculo, havendo um significativo número de praças em que esta média foi bem abaixo e em sete praças foram acima desta média. Sempre que houve bons espectáculos a presença do público correspondeu, tirando algumas excepções que confirmam a regra.

Pág. 6/6