Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA - AGORA SÓ NA NET EM http://barreiradesombra.blogs.sapo.pt

18.11.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Caros amigos, boa noite.

 

Pois é… terminámos na passada semana as emissões regulares do «Barreira de Sombra» nos 106.4fm da Rádio Oásis em Sobral de Monte Agraço e o hábito perdura. Mas durante o defeso iremos estar sempre presentes neste espaço do blog e esperamos conseguir manter o seu interesse e inclusive, incrementar o número de visitas diárias.

 

Por motivos de saúde interrompi a temporada a 13 de Outubro e já não estive presente nos últimos espectáculos da temporada, nem sequer na semana antecedente a essa data na encerrona de António Telles na “Palha Blanco” em Vila Franca de Xira. Ontem, e com o coração a bater mais forte, lá me desloquei até ao Montijo, como era obrigação de muitos, para assistir à final do concurso de pegas em que seis grupos se enfrentaram com seis toiros-toiros de D. João Dias Coutinho e cujo resultado está já nestas páginas do barreiradesombra.blogs.sapo.pt.

 

Estes três espectáculos – não pude assistir aos outros dois – estiveram envoltos em polémicas várias, a maioria delas estéreis mas que criaram algum ambiente negativo em torno do espectáculo, divorciando forcados, aficionados, toureiros. A verdade é que o público compareceu em número manifestamente baixo mas aceitável dado serem espectáculos novos e algo fora de época mas os que foram desfrutaram de bons momentos.

 

A participação de matadores e novilheiros espanhóis para pararem os toiros e tourearem um pouco de muleta depois das pegas consumadas, foi mais um erro estratégico dos portugueses que preferiram dizer mal por tudo quanto era sítio, não colaboraram com uma iniciativa que teve o seu mérito e perderam a oportunidade de lidar 18 toiros… Mas também é verdade que a maioria prefere as vaquitas e novilhas de tenta, uns bezerros para tentar…

 

Ontem, no Montijo, os que estiveram aproveitaram. Escutaram olés e aplausos do público que, teoricamente, apenas ia ver os forcados e as suas pegas de caras. Parece um paradoxo, não é? Iam aplaudir os Grupos de Forcados e acabaram rendidos ao toureio a pé e muito em especial ao matador de toiros Israel Lancho.

 

Como diria o grande Fernando Pessa. E esta hein???

A TEMPORADA 2013 DO BARREIRA DE SOMBRA (4)

18.11.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Vimos lidar 315 toiros e novilhos de 51 ganadarias nos 52 espectáculos a que assistimos em 2013 e cujas crónicas publicámos no barreiradesombra.blogs.sapo.pt. Destes, 24 toiros foram de 7 ganadarias espanholas. Houve magníficos toiros, e destaco o de Herdeiros de Paulino da Cunha e Silva lidado no concurso de ganadarias do Montijo e um de José Lupi lidado na feira de Setembro na Moita, os curros de António Silva (3 toiros muito bons) e Canas Vigoroux em Lisboa, e o de Paulo Caetano na Barquinha, como os melhores de 2013. Decepcionaram claramente os Partido de Resina em Alcochete e os de Monteviejo em Alcochete só para dar dois exemplos. A nossa lista ficou composta da seguinte forma:

 

GANADARIA

CORRIDAS

TOIROS

Passanha

9

36

Grave

4

18

Oliveiras

6

17

António Silva

3

13

Canas Vigoroux

5

12

Vinhas

5

12

Ortigão Costa

2

12

Rio Frio

5

11

Prudêncio

5

10

Varela Crujo

3

10

David R.Telles

4

9

Falé Filipe

4

9

José Lupi

4

9

Jorge Carvalho

3

8

Palha

3

7

Ascensão Vaz

2

7

Herds. Conde Cabral

2

7

Manuel Veiga

2

7

São Torcato

2

7

Paulo Caetano

1

7

António Charrua

1

6

Brito Paes

1

6

El Freixo (E)

1

6

Higino Sobral

1

6

Luis Rocha

1

6

Monteviejo (E)

1

6

Partido de Resina (E)

1

6

Pégoras

1

6

Branco Núncio

4

4

Herds. Paulino Cunha e Silva

3

3

Assunção Coimbra

1

3

Fernandes de Castro

1

3

Fermin Bohórquez (E)

2

2

Inácio Ramos

2

2

Romão Tenório

2

2

Sommer d'Andrade

2

2

Vale Sorraia

2

2

José Salvador Herds

1

2

Veiga Teixeira

1

2

Benjumea (E)

1

1

Cebada Gago (E)

1

1

Dias Coutinho

1

1

Herds. Cunhal Patrício

1

1

João Ramalho

1

1

José Infante Câmara

1

1

José Luis Pereda

1

1

Lopo de Carvalho

1

1

Mª Guiomar Moura

1

1

Manuel Coimbra

1

1

Miura (E)

1

1

Vitorino Martin (E)

1

1

DATAS PARA RECORDAR… 18.NOVEMBRO.1973

18.11.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Na Golegã, em final de Feira do Cavalo, três cavaleiros e três matadores de toiros, os Forcados do Ribatejo, davam corpo a mais um dos festivais taurinos que sempre marcaram a temporada portuguesa e eram expressão dos mais elevados valores em que o toureio a cavalo e o toureio a pé eram transmissores.

 

Afinal, não nos podemos esquecer que sendo a Golegã a capital do cavalo, não menos verdade é que a escola de Mestre Patrício Cecílio se dedicava desde sempre ao toureio a pé e daí saíram grandes nomes da nossa tauromaquia.

 

Pois a 18 de Novembro de 1973 e nesse dito festival, prestou provas para bandarilheiro praticante o nosso bom amigo Manuel Jacinto.

PROTOIRO DÁ ESTOCADA FINAL NA VIANA ANTI-TOURADAS

18.11.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Protoiro avança em tribunal com ação para declarar a nulidade da declaração de Viana do Castelo como cidade anti-touradas

            Em 2009 o Presidente da Câmara Defensor Moura declarou, de forma autoritária, prepotente e ilegal a cidade de Viana do Castelo “Cidade Anti-Touradas”, com o objetivo ilegal de proibir a realização desses espectáculos.

 

            Fruto dessa tentativa, o município de Viana do Castelo comprou a praça de toiros, que se encontra ao abandono e não recebeu touradas durante 3 anos.

 

            Em 2012 a PRÓTOIRO, juntamente com o movimento de cívico “Vianenses pela Liberdade”, pôs fim à ditadura cultural em Viana e voltou a trazer as touradas à Princesa do Lima, mostrando que nenhum presidente de um município português tem poderes legais para proibir a realização de touradas.

 

            Em 2013 repetiu-se o sucesso e voltou a celebrar-se a Liberdade Cultural, podendo afirmar-se que, graças à intervenção da PRÓTOIRO, Portugal é o único país do mundo taurino onde não há cidades anti-touradas.

 

            Para arrumar este assunto definitivamente e para acabar com o embuste legal promovido pelos Presidentes da Câmara de Viana, a PRÓTOIRO avançou agora com uma acção judicial para declarar nula aquela declaração de “cidade anti-touradas”.

 

            Em conclusão, a PRÓTOIRO dá a estocada final na Viana anti-touradas e na prepotência dos autarcas Defensor Moura e José Maria Costa. Agora é apenas uma questão de tempo até que a Lei e os Tribunais os submetam à legalidade, na certeza de que Viana do Castelo voltará a ser uma cidade livre de autoritarismos, celebrando os seus mais de 400 anos de história taurina.

 

PROTOIRO