Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

PALHA NÃO TOUREIA GANADARIA DIAS COUTINHO E SAI DO CARTEL EM ALCOCHETE; ENTRA MATEUS PRIETO

09.08.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Em comunicado enviado aos órgãos de comunicação social, o empresário António Manuel Cardoso “Néné” informa que o cavaleiro Francisco Palha não actuará na corrida concurso de ganadarias de domingo, 11, em Alcochete por se ter recusado a lidar o toiro de Dias Coutinho, facto que o apoderado do cavaleiro, Rafael Vilhais, também evidencia na carta dirigida à empresa Toiros e Tauromaquia e que a seguir reproduzimos. São estes os 2 comunicados:

CHEGAR, VER E VENCER: MAGNÍFICO CURRO DE CANAS VIGOROUX, O TRIUNFADOR DA CORRIDA DE HOMENAGEM AO EMIGRANTE

09.08.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros do Campo Pequeno – 08.08.13 – Corrida à Portuguesa

Director: Nuno Nery – Veterinário: Jorge M. Silva – Lotação: 2/3

Cavaleiros: Luis Rouxinol, Sónia Matias, Ana Batista, Gilberto Filipe, João Telles Jr, Jacobo Botero

Forcados:  Amadores de Vila Franca e Coruche

Ganadaria: Canas Vigoroux

 

CHEGAR, VER E VENCER: MAGNÍFICO CURRO DE CANAS VIGOROUX, O TRIUNFADOR DA CORRIDA DE HOMENAGEM AO EMIGRANTE

 

Falamos sempre de que falta o elemento principal, o toiro. O toiro com idade, peso e trapio. O toiro bravo, de investidas claras, capaz de proporcionar sensação de perigo emoção na arena e transmitir esses predicados a quem assiste à corrida. O toiro não faltou desta vez em Lisboa. O toiro saiu à arena em pleno, com investidas claras, francas, alguns deles a carregarem forte nas sortes e depois dos ferros. Toiros que investiram com raça; toiros que galoparam; toiros a empurrar quando sentiram os forcados nos seus terrenos. Após a reinaguração da praça de toiros do Campo Pequeno, os toiros que pastam na zona de Castanheira do Ribatejo, Vila Franca de Xira, deram a Pedro Canas Vigoroux, seu proprietário, um saboroso triunfo neste regresso à arena da capital e foi merecidíssima a sua chamada à arena. E, refira-se, não foi por falta de colaboração dos toiros que os triunfos não foram sonantes e poderiam ficar registados nos anais.

 

Luis Rouxinol teve, em dia de aniversário natalício (45 anos) uma actuação de mais a menos, cumpridora na ferragem comprida e diminuindo de intensidade nos últimos curtos onde sofreu alguns toques perfeitamente desnecessários. Os segundo e terceiro curtos foram de boa nota e também o par de bandarilhas final.

 

Sónia Matias mostrou o seu bom momento e aproveitou as investidas do segundo da noite para estar bem na série de curtos, cravando bem e procurando sempre uma brega de forma a deixar o toiro bem colocado. Os dois últimos curtos foram os seus melhores e rematou a sua actuação com um ferro de palmo.

 

Ana Batista teve uma noite não. Não acertou com os dois primeiros compridos que se partiram e caíram; não se encontrou nas distâncias; não conseguiu o triunfo que certamente ambicionava e merece e as suas montadas também ajudaram a que não acontecesse. Outras melhores actuações virão porque a Ana tem saber e valor para muito mais e muito melhor do que aquilo que vimos.

 

Gilberto Filipe voltou a mostrar que merece outro tipo de oportunidades e de corridas. Mostrou á-vontade, conhecimento dos terrenos e facilmente encontrou as distâncias para cravar bons ferros, lidar bem com o toiro na garupa. Foi uma lide de muito interesse e que o  grande público soube reconhecer, aplaudindo fortemente os dois últimos curtos e o de violino com que rematou a sua actuação.

 

João Telles Jr está num bom momento da sua carreira e isso viu-se na forma alegre e desenvolta como abordou a sua lide ao bom quinto toiro da corrida. Na ferragem curta optu por cites de largo, com pronunciadas batidas ao pitón contrário que, por vezes, deixam o toiro um pouco longe do alcance do braço. Ainda assim, pelo que arriscou nessas viagens e pela forma expressiva como cravou, o público reagiu com fortes aplausos.

 

Em sexto lugar actuou o rejoneador colombiano Jacobo Botero que assinou uma lide de agrado geral, com bons ferros, boa brega e a chegar ao público com bastante facilidade. Foi uma lide agradável e justificou a sua presença neste cartel.

 

Quanto aos forcados, quer os Amadores de Vila Franca quer os Amadores de Coruche realizaram algumas boas pegas de caras, provocando fortes aplausos nas bancadas. Pelos Amadores de Vila Franca abriu praça Pedro Castelo com uma boa intervenção à segunda tentativa, seguido por Bruno Casquinha, muito bem à primeira e Ricardo Patusco na melhor pega da noite também á primeira. Pelo Grupo de Coruche Ricardo Dias esteve bem na cara do toiro e fechou-se à primeira; José Tomás realizou uma rija pega ao primeiro intento e Alberto Simões apenas à terceira conseguiu concretizar frente ao sexto da ordem.

 

Direcção correcta de Nuno Nery assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva, com a praça a registar cerca de 2/3 da sua lotação preenchida.

VIANA DO CASTELO - MAIORIA QUER TOIROS NAS FESTAS DA AGONIA

09.08.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

COMUNICADO MOVIMENTO DE CIDADÃOS “VIANENSES PELA LIBERDADE”

 

Vianenses querem touradas em Viana e no programa das Festas da Senhora da Agonia

 

 

Para desmascarar de uma vez por todas as mentiras que vêm sendo ditas pelo presidente da câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, e pelo seu antecessor, Defensor Moura, sobre a falta de tradição taurina em Viana e sobre a falsa ideia de que os vianenses não quererem touradas em Viana, o movimento “Vianenses pela Liberdade” pediu a uma empresa com créditos firmados e reconhecidos no mercado, a Eurosondagem, que realizasse um estudo de opinião, no concelho de Viana, para que este assunto se pudesse discutir com dados objectivos, credíveis e verdadeiros.

 

Os resultados são claros e traduzem aquilo que todos nós sentimos em Viana: os Vianenses querem touradas em Viana!

Mas os resultados apurados indicam isso e muito muito mais, vejamos:

  • 52,2% dos vianenses querem touradas em Viana e que estas façam parte do programa oficial das Festas da Senhora da Agonia.

 

  • 59% dos Vianenses acha que a existência de touradas em Viana é importante para o turismo e economia do concelho.

 

  • 57,5% dos vianenses querem a praça de toiros  de Viana do Castelo tenha touradas e outros espetáculos, sendo um espaço multiusos.

 

Com estes dados objectivos ficou definitivamente desmistificada a ideia de que Viana do Castelo seja um concelho anti-touradas.

Toda esta polémica resulta assim e apenas de uma mentira construída para enganar os Vianenses.

 

José Maria Costa e Defensor Moura – o autor material deste embuste - devem agora retratar-se e pedir desculpa aos Vianenses pela forma abusiva como se quiseram fazer donos da liberdade e da cultura do povo de Viana. 

DIA 22 NO CAMPO PEQUENO - XLIX Corrida TV

09.08.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Para a corrida mais antiga do calendário taurino português, a “Corrida TV”, que este ano atinge a sua quadragésima-nona edição, estarão quinta-feira, dia 22, na arena do Campo Pequeno, três jovens cavaleiros tauromáquicos, pelos quais passa a continuidade da multissecular Arte de Marialva”: João Moura Caetano, João Ribeiro Telles Jr. e João Maria Branco. Moura Caetano e Telles Jr., apesar de jovens, constituem já duas certezas no panorama do toureio equestre nacional e internacional. Quanto a João Maria Branco, que tomou alternativa no início desta temporada, no Campo Pequeno, revela um crescimento artístico notável, constituindo uma das grandes esperanças da nova vaga de cavaleiros tauromáquicos portugueses.

 

As pegas estarão a cargo dos grupos de forcados amadores de Alcochete e do Aposento da Moita, capitaneados respectivamente por Vasco Pinto e José Pedro Pires da Costa, .dois dos mais categorizados grupos da actualidade, que são presença habitual nos grandes acontecimentos tauromáquicos. Os Amadores do Aposento da Moita virão a esta corrida com a memória do grave acidente sofrido há um ano, na “XLVIII Corrida TV”, pelo seu companheiro Nuno Carvalho “Mata”, em consequência do qual ficou tetraplégico.

 

Serão lidados seis preciosos toiros de Maria Guiomar Cortes Moura, ganadaria de encaste Murube-Urquijo, procedente da ganadaria de Irmãos Moura. Estreou-se em Setembro de 1963, em Portalegre.