Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

PÓVOA DE VARZIM - 3 DE AGOSTO DE 2013 - O REGRESSO DE DIEGO VENTURA E RUI FERNANDES À PÓVOA NÃO FOI UM 'DUELO'... PORQUE AS 'ARMAS', VOLTARAM A ENCRAVAR

05.08.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Se já na XVII Corrida TV/Norte, no passado dia 26 de Julho, num espectáculo que mereceu transmissão em directo, o menos, foram aquilo que justifica o espectáculo, os toiros, e neste caso, os toiros da ganadaria Passanha, na nocturna do passado sábado, ou porque não gostem dos consagrados e reconhecidos bons ares marítimos da Póvoa, ou porque se dão mal com a noite, os Passanhas voltaram a não agradar. E este não agradar, convenhamos, é simpático e caridoso. Algo regulares na apresentação, entre os 435 e os 525 quilos, o gás de saída, pouco deu mais que umas duas voltas de aquecimento, e uns tantos arremessões descompassados. Dois deles eram mesmo bons saltadores, de trincheira, coisa que fizeram sem grande cerimónia, e que se outro mérito não teve, alegrou a concorrência, e animou quem por lá estava. Mas se os Passanhas passeiam, ao que dizem, a sua codicía e bravura por outras estrangeiradas paragens, a entrega, valor e muito profissionalismo, estiveram a cargo dos cavaleiros e dos forcados.

Rui Fernandes, veio à Póvoa, onde tem grande aficion, aliás, como ficou já demonstrado na corrida que abriu esta temporada de 2013, para mostrar que sabe, quer, e pode. Sabe montar, tourear, lidar e entender o que lhe toca em sorte. Quer agradar, animar e alegrar os que vêm ver. Pode com qualquer hastado, em que condições ele se apresente. Se o seu primeiro era uma 'bonita pedra' de adorno, no seu segundo de lide, deixou três curtos de boa nota, muita vontade e muita entrega. Foi o menos feliz no sorteio, mas ombreou na capacidade de entrega e empenho.

 

Diego Ventura, merecia muito mais gente naquela noite. Ficou deslumbrado com a forma como tinha recebido na Póvoa na corrida em que, pela primeira vez vinha ao Norte. Logo aí prometeu, e se comprometeu em voltar. Cerca de meia casa soube a pouco, para quem sabia que este cartel na Praça da Póvoa, uma semana depois da televisionada corrida TV/Norte, era um sinal na festa. Mas quem viu, testemunhou a entrega, o desejo de montar um espectáculo de toureio e rejoneo, a forma simpática como animou e puxou o público para animar. O recurso a cerca de dez das suas montadas, dos seus cavalos toureiros, procurando sacar o (im)possível, foi muito justamente compreendido e entendido pelo público que sempre o aplaudiu em pé, vibrando e empolgado. O remate com o 'Morante', sempre aguardado e utilizado, é o delírio, tanto mais que os dois ferros de palmo com que com ele rematou a lide, foram de saber e querer.

 

Francisco Palha, é outro dos cavaleiros que veio à Póvoa e deixou semente de simpatia. Aquela entrada em praça, sem ares de comprometimento, ou falso comprometimento, um sorriso natural e de quem está entre amigos, para uma função que quer e gosta, ou eu me engano muito, ou é, foi, a chave certa, para abrir a porta difícil na arte de representar e apresentar-se numa praça de toiros. Lidar, mostrou Francisco que sabe. E lidou bem, por sinal o último, de todos, o que espremido, mostrou que ter uma gota de sumo. O único senão, é aquele, o eterno, 'aquele, mais um ferro', que quase voltava a estragar um muito interessante trabalho de lide.

 

Pegaram os Grupos de Forcados de Montijo e de Coruche. Pelo Grupo do Montijo, capitaneado por Ricardo Figueiredo, Élio Lopes à 1ª., pegou o primeiro da noite. Ricardo Parracho à 5ª., o terceiro de lide, e Isidoro Cirne, à 1ª., o quinto.

 

Pelo Grupo de Coruche, dirigido por Amorim Lopes, pegou o segundo da noite, à 2ª. tentativa, Luís Carlos, numa grande pega. José Sousa, com muito bons braços, e bem ajudado, à 1ª. pegou o quarto, e João Peseiro, talvez a melhor pega da noite, à 1ª., o sexto.

 

Apesar da temperatura, neste inicio de Agosto, estar um pouco ventosa e mais baixa que por exemplo nos dias anteriores à corrida, as bancadas registaram um público muito próximo de meia casa. Público que voltou a inundar as redondezas à volta da Praça de Toiros, só que desta vez, que tivesse-mos conseguido registar, puderam apreciar o aquecimento dos cavalos, sem os gritinhos daquela 'meia dúzia de inefáveis pandegos' que sempre gostam de mostrar que gostam de protestar.

 

Na direcção da corrida este, mais uma vez, atento, discreto, sensível e eficiente, o Senhor Nuno Nery, assistido na parte técnica veterinária pelo senhor dr. José Luís Cruz.

 

José Andrade

HOJE, NÃO PERCA MAIS UM «BARREIRA DE SOMBRA» EM 106.4FM

05.08.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Hoje, a partir das 21h, na sintonia de 106.4fm ou www.radiooasis.pt, não perca mais uma emissão do «Barreira de Sombra».

 

  • António Manuel CArdoso "Néné" fala da Feira Taurina de Alcochete e da corrida de 15 de Agosto em Reguengos;
  • As crónicas das corridas de Lisboa (dia 1), Nazaré e Póvoa de VArzim (dia 3);
  • Os próximos cartéis

Nota: por motivos de falha informática, não nos foi possível colocar on-line a crónica de dia 3 na Póvoa de Varzim, da autoria de José Andrade.