Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

NÃO PERCA A EMISSÃO DO «BARREIRA DE SOMBRA» DESTA SEGUNDA-FEIRA

30.06.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

A emissão de segunda-feira dia 1 de Julho do «Barreira de Sombra», a partir das 21h e em 106.fm ou www.radiooasis.pt, terá muitos motivos de interesse:

 

  • Paulo Beja fala-nos da prova de praticante de João MArtins em Albufeira
  • Analisamos as corridas de Montijo e Torres Vedras
  • João P.Bolota falar-nos-á de Setubal (dia 6), Póvoa e Montijo (ambas com Diego Ventura)
  • Tauromaquia Norte/Sul com José Andrade e o Presidente do Clube de Caçadores falam da corrida de inauguração da temporada na Póvoa de Varzim
  • Os próximos cartéis

 

MAGNÍFICA NOITE DE TOIROS EM TORRES VEDRAS. GRANDES ACTUAÇÕES DOS CAVALEIROS FRENTE A BONS TOIROS DE DAVID R. TELLES

30.06.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros em Torres Vdras – 29.06.13 – Corida à Portuguesa

Director: Francisco Calado – Veterinário: José Manuel Lourenço – Lotação: cheia

Cavaleiros: Luis Rouxinol, Filipe Gonçalves, João Moura Caetan

Forcados: Amadores de Vila Franca e Aposento da Moita

Ganadaria: David Ribeiro Telles

MAGNÍFICA NOITE DE TOIROS EM TORRES VEDRAS. GRANDES ACTUAÇÕES DOS CAVALEIROS FRENTE A BONS TOIROS DE DAVID R. TELLES

 

A temperatura estava excelente, o ambiente era óptimo, e os toureiros estiveram em muito bom plano, proporcionando uma magnífica noite de toiros àqueles que quase esgotavam a lotação da praça de toiros instalada na zona sul da Feira de São Pedro em Torres Vedras, mostrando que o público corresponde aos bons cartéis. Um curro de exemplar e irrepreensível apresentação, e na generalidade com muita qualidade, com ferro e divisa de David Ribeiro Telles, emprestou brilho maior às lides e foram jsutificadas as chamadas à arena dos representantes da ganadaria, após as lides de 4º e 6º da ordem.

 

Com este ambiente, Luis Rouxinol abriu praça frente a bom toiro e deu-lhe uma lide de nota superior pela forma como esteve na brega, nos remates e cravagem da ferragem, procurando viajar recto e temlado, com reuniões ajustadas e ferros de muito mérito, rematando a sua actuação com um bom par de bandarilhas. Cumpriu o que lidou em quarto lugar e com ele desenvolveu uma boa lide, procurando os melhores terrenos, bregando com critério e cravando bem. Deu volta em ambos e no quarto da ordem acompanhado de Manuel Telles, em representação do ganadeiro.

 

Filipe Gonçalves teve por diante um toiro de muito trapio e que, por vezes, tinha uma mangada mais forte, sofrendo por isso alguns toques. Mas a sua lide teve bastante mérito pois apesar disso, bregou bem, mediu bem as distâncias e cravou ferros de valor, rematando com dois de violino, adornando-se nos remates das sortes com piruetas que foram do agrado do público. No quinto da noite, voltámos a ver Filipe desenvolver boa brega e cravar bons ferros, para rematar a lide com um muito bom par de bandarilhas com o toiro colocado no médios. Deixou excelente ambiente.

 

João Moura Caetano esteve bem a lidar o seu primeiro e edeu-lhe vantagens para os compridos com cites de largo. Mas foi na ferragem curta que esteve em bom plano, com sortes bem desenhadas, com entradas ao pitón contrário e ferros bem cravados ante o aplauso do público. Uma primeira lide de muito boa nota e que teria continuidade e reamte no sexto da ordem. Foi uma lide mais, clássica, mais templada na preparação e execução das sortes, bem de frente e em viagens rectas até ao limite da jurisdição para cravar 3 ferros de muito boa execução e que calaram fundo nos aficionados. Uma boa passagem de Moura Caetano por Torres Vedras.

 

Em competição nas pegas estiveram os Amadores de Vila Franca e do Aposento da Moita. Por Vila Franca, três pegas de boa nota, todas ao primeiro intento, por intermédio de Rui Graça, António Faria e Pedro Loureiro, enquanto que pelos do Aposento da Moita foram caras Francisco Baltazar à 3ª, José Maria Águas, dura à 3ª e Salvador Pinto Coelho também à terceira e a sesgo.

 

Os toiros de David Ribeiro Telles, todos com 4 anos e média de 510 kilos, cumpriram na generalidade, à excepção do segundo que teve mais problemas. Justificada a chamada do ganadeiro à arena após as lide do 4º e 6º.

 

Dirigiu bem Francisco Calado, assessorado pelo  veterinário José Manuel Lourenço e no início do espectáculo guardou-se um minuto de silêncio pela morte de José Maria Cortes.