Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

NÃO PERCA A EMISSÃO DO «BARREIRA DE SOMBRA» DESTA SEGUNDA-FEIRA

30.06.13 | barreiradesombra

A emissão de segunda-feira dia 1 de Julho do «Barreira de Sombra», a partir das 21h e em 106.fm ou www.radiooasis.pt, terá muitos motivos de interesse:

 

  • Paulo Beja fala-nos da prova de praticante de João MArtins em Albufeira
  • Analisamos as corridas de Montijo e Torres Vedras
  • João P.Bolota falar-nos-á de Setubal (dia 6), Póvoa e Montijo (ambas com Diego Ventura)
  • Tauromaquia Norte/Sul com José Andrade e o Presidente do Clube de Caçadores falam da corrida de inauguração da temporada na Póvoa de Varzim
  • Os próximos cartéis

 

MAGNÍFICA NOITE DE TOIROS EM TORRES VEDRAS. GRANDES ACTUAÇÕES DOS CAVALEIROS FRENTE A BONS TOIROS DE DAVID R. TELLES

30.06.13 | barreiradesombra

Praça de Toiros em Torres Vdras – 29.06.13 – Corida à Portuguesa

Director: Francisco Calado – Veterinário: José Manuel Lourenço – Lotação: cheia

Cavaleiros: Luis Rouxinol, Filipe Gonçalves, João Moura Caetan

Forcados: Amadores de Vila Franca e Aposento da Moita

Ganadaria: David Ribeiro Telles

MAGNÍFICA NOITE DE TOIROS EM TORRES VEDRAS. GRANDES ACTUAÇÕES DOS CAVALEIROS FRENTE A BONS TOIROS DE DAVID R. TELLES

 

A temperatura estava excelente, o ambiente era óptimo, e os toureiros estiveram em muito bom plano, proporcionando uma magnífica noite de toiros àqueles que quase esgotavam a lotação da praça de toiros instalada na zona sul da Feira de São Pedro em Torres Vedras, mostrando que o público corresponde aos bons cartéis. Um curro de exemplar e irrepreensível apresentação, e na generalidade com muita qualidade, com ferro e divisa de David Ribeiro Telles, emprestou brilho maior às lides e foram jsutificadas as chamadas à arena dos representantes da ganadaria, após as lides de 4º e 6º da ordem.

 

Com este ambiente, Luis Rouxinol abriu praça frente a bom toiro e deu-lhe uma lide de nota superior pela forma como esteve na brega, nos remates e cravagem da ferragem, procurando viajar recto e temlado, com reuniões ajustadas e ferros de muito mérito, rematando a sua actuação com um bom par de bandarilhas. Cumpriu o que lidou em quarto lugar e com ele desenvolveu uma boa lide, procurando os melhores terrenos, bregando com critério e cravando bem. Deu volta em ambos e no quarto da ordem acompanhado de Manuel Telles, em representação do ganadeiro.

 

Filipe Gonçalves teve por diante um toiro de muito trapio e que, por vezes, tinha uma mangada mais forte, sofrendo por isso alguns toques. Mas a sua lide teve bastante mérito pois apesar disso, bregou bem, mediu bem as distâncias e cravou ferros de valor, rematando com dois de violino, adornando-se nos remates das sortes com piruetas que foram do agrado do público. No quinto da noite, voltámos a ver Filipe desenvolver boa brega e cravar bons ferros, para rematar a lide com um muito bom par de bandarilhas com o toiro colocado no médios. Deixou excelente ambiente.

 

João Moura Caetano esteve bem a lidar o seu primeiro e edeu-lhe vantagens para os compridos com cites de largo. Mas foi na ferragem curta que esteve em bom plano, com sortes bem desenhadas, com entradas ao pitón contrário e ferros bem cravados ante o aplauso do público. Uma primeira lide de muito boa nota e que teria continuidade e reamte no sexto da ordem. Foi uma lide mais, clássica, mais templada na preparação e execução das sortes, bem de frente e em viagens rectas até ao limite da jurisdição para cravar 3 ferros de muito boa execução e que calaram fundo nos aficionados. Uma boa passagem de Moura Caetano por Torres Vedras.

 

Em competição nas pegas estiveram os Amadores de Vila Franca e do Aposento da Moita. Por Vila Franca, três pegas de boa nota, todas ao primeiro intento, por intermédio de Rui Graça, António Faria e Pedro Loureiro, enquanto que pelos do Aposento da Moita foram caras Francisco Baltazar à 3ª, José Maria Águas, dura à 3ª e Salvador Pinto Coelho também à terceira e a sesgo.

 

Os toiros de David Ribeiro Telles, todos com 4 anos e média de 510 kilos, cumpriram na generalidade, à excepção do segundo que teve mais problemas. Justificada a chamada do ganadeiro à arena após as lide do 4º e 6º.

 

Dirigiu bem Francisco Calado, assessorado pelo  veterinário José Manuel Lourenço e no início do espectáculo guardou-se um minuto de silêncio pela morte de José Maria Cortes.

GRANDE LIDE DE ROUXINOL A UM BRAVO TOIRO DE PAULINO DA CUNHA E SILVA: ENORME PEGA DE CARAS DE JOÃO MACHACAZ

29.06.13 | barreiradesombra

Praça de Toiros do Montijo – 28.06.13 – Corrida Concurso de Ganadarias

Director: Rogério Jóia – Veterinário: Carlos Santos – Lotação: + ½ casa

Cavaleiros: Luis Rouxinol, João Maria Branco, Miguel Moura

Forcados: Amadores do Ribatejo, T.T.Montijo, Montijo

Ganadarias: Paulino da Cunha e Silva, Branco Núcio, José Lupi, Cunhal Patricio, Rio Frio, Romão Tenório

GRANDE LIDE DE ROUXINOL A UM BRAVO TOIRO DE PAULINO DA CUNHA E SILVA: ENORME PEGA DE CARAS DE JOÃO MACHACAZ

 

A Corrida da Adega de Pegões, que uma vez mais se realizou na arena montijense, teve uma boa moldura humana a presenciá-la e uma grande lide de Rouxinol a abrir praça frente a um bravo, encastado e codicioso toiro de Paulino da Cunha e Silva que, justamente, ganhou o troféu “Bravura” em disputa nessa corrida. O outro prémio, o de “Apresentação” foi para o toiro de Romão Tenório lidado em último lugar. Quanto aos restantes prémios, o de “Melhor Lide” foi para Miguel Moura (lide ao sexto toiro) e motivou divisão de opiniões, e o de “Melhor Pega” para João Machacaz na pega ao primeiro da noite, suportando sózinho na arena violentos derrotes do toiro.

 

Luis Rouxinol montou cátedra na lide que deu ao primeiro da noite. Uma lide como há muito se não via, com uma brega intensa a suportar as cargas do toiro, codicioso e com muita mobilidade, deixando-o bem colocado e cravando ferros de muita categoria. Uma lide intensa, com reuniões justas e remates poderosos das sortes, frente a um toiro bravo que não dava tréguas e que tornou ainda mais importante todo o conjunto desenhado por Rouxinol na arena do Montijo. Deveria ter vencido o troféu em disputa para a melhor lide pois foi isso que fez com maestria: lidar! No seu segundo, mansote e com dificuldades visuais, Rouxinol procurou os melhores terrenos para cravar a ferragem, sortes sesgadas muitas delas, mas o toiro não dava para outros cometimentos.

 

João Maria Branco teve duas lides que não convenceram os mais exigentes e numa delas nem quis dar volta à arena com o forcado.. No primeiro, mansote e distraído, havia que pisar-lhe os terrenos, mais em curto. Dois curtos de boa nota souberam a pouco. E no quinto da noite esteve melhor na brega que na cravagem, notando-se alguma pressa em fazer as coisas o que, em nosso entender, o prejudica. Com mais tempo, mais rodagem, os triunfos fortes acabarão por surgir pois tem valor e capacidade para tanto.

 

O mesmo se pode dizer do jovem Miguel Moura. O seu primeiro era bem propício para o êxito, pelas condições que mostrou no decurso da sua passagem pela arena. Houve dois bons curtos e ficou a sensação de que poderia ter dado mais um passo em frente e alcançado o triunfo forte. No que encerrou praça, de muito volume e pouco andamento que saíu solto e andarilho mas melhorou ao longo da lide, proporcionou bons momentos de brega e nos remates das sortes emque viajou de largo e atacou o toiro, com batidas pronunciadas ao pitón contrário que foram do agrado da generalidade do público. Recebeu, no final, o prémio a “Melhor Lide”.

 

No capítulo das pegas de caras, o destaque vai para a enorme pega de João Machacaz dos Amadores do Ribatejo, á segunda, sózinho na arena, de peito aberto batendo as palmas ao toiro, fechando-se com enorme raça e suportando dois violentos derrotes antes que o restante Grupo saltasse à arena e consumasse a sorte. Ainda pelos do Ribatejo, Mário Gonçalves fechou-se com raça à primeira tentativa. Os Amadores da T.T. Montijo pegaram os seus toiros por intermédio de Rodrigo Carrilho à terceira e Luis Carrilho numam pega perfeita no cite e na reunião, ao primeiro intento. Finlamente, os Amadores do Montijo tiveram na cara dos toiros Ricardo Parracho que se fechou bem na segunda tentativa e Élio Lopes numa excelente cara ao primeiro intento a encerrar a noite.

 

Por ordem de lide, saíram toiros de Paulino da Cunha e Silva (500kg, 5 anos, bravo, codicioso e com muita mobilidade); Branco Núncio (485k, 5 anos, mansote distraído), José Lupi (505kg, 4 anos, que cumpriu); Cunhal Patricio (525kg, 4 anos, manso e a descair para tábuas); Rio Frio (525kg, 4 anos, manso, de arreões), Romão Tenório (660kg, 4 anos, sonsote).

 

Excelente e criteriosa direcção de corrida a cargo de Rogério Jóia assessorado pelo veterinário Carlos Santos.

24.ª SEMANA DA CULTURA TAUROMÁQUICA CELEBRA UNIVERSO TAURINO, DE 28 DE JUNHO 4 JULHO

28.06.13 | barreiradesombra

Esta sexta-feira, 28 de junho, tem início a 24.ª edição da “Semana da Cultura Tauromáquica”, em Vila Franca de Xira. A iniciativa celebra o universo taurino, prolongando-se até 4 de julho, véspera do começo da 81.ª edição da festa maior que é o “Colete Encarnado”.

 

O programa é composto por momentos diversificados, entre exposições, colóquios e iniciativas de maior ação e espetáculo.

 

As exposições apresentam temas e formas de expressão muitos variadas e podem ser apreciadas em diversos locais da cidade.

 

Para os colóquios, no Salão Nobre da Câmara Municipal e na Praça de Toiros Palha Blanco, conta-se com a participação de personalidades conhecedoras e reconhecidas no meio.

 

Entre as iniciativas de maior ação e espetáculo contam-se, entre outros, aulas práticas de toureio, um peddy-paper taurino, a iniciativa “tertúlias na rua” ou um espetáculo de recortadores a não perder.

 

Com esta iniciativa, a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira pretende continuar a defender esta expressão cultural, enquanto marca identitária duma região.

São parceiros da iniciativa o Clube Taurino Vilafranquense, a Escola de Toureio José Falcão, a empresa “Tauroleve”, o clube de campismo “As Sentinelas” e a Junta de Freguesia de Vila F. Xira.

FIGURA ÍMPAR DO CAMPINO RETRATADA NA EXPOSIÇÃO “O CAMPINO. IMAGINÁRIOS DE UMA IDENTIDADE”

28.06.13 | barreiradesombra

Dia 28 de junho, pelas 21h30, inaugura, no Celeiro da Patriarcal, em Vila Franca de Xira (Rua Luís de Camões, n.º 130) a exposição “O Campino. Imaginários de uma Identidade”. A mostra é dedicada e esta figura de referência dos campos ribatejanos e ímpar no mundo, dando a conhecer representações visuais de várias facetas da vida deste profissional, ficando patente até 13 de outubro.

 

Ao todo, será possível apreciar mais de 280 peças entre trabalhos de fotografia, postais, vídeo, desenho, pintura, gravura ou escultura. Trabalhos provenientes não apenas do acervo da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, mas também de variadas instituições locais e nacionais, bem como privados, que ajudaram a dar corpo à edificação de um trabalho amplamente representativo, que se apresenta distribuído pelas seguintes áreas temáticas: Trabalho, Descanso, Festividades, Religiosidade, Retrato e Reconhecimento.

 

Após a inauguração está prevista a atuação de fadistas de Vila Franca.

 

FALECEU JOSÉ MARIA CORTES

27.06.13 | barreiradesombra
Hoje, 27 de Junho,cerca das 12h, faleceu José Maria Cortes, 29 anos de idade, em consequência da brutal e vil agressão de que foi alvo no passado domingo em Alcácer do Sal. Um bravo forcado que há uma semana nos permitira vibrar com mais uma brilhante pega de caras. Esta noite pelas 20 horas, na igreja de S. João de Deus á Praça de Londres serà rezada misssa em sua intenção. Á família enlutada e ao Grupo de Forcados de Montemor apresentamos as nossas sentidas condolências.y

Pág. 1/10