Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

ASSOCIAÇÃO DOS DIRECTORES DE CORRIDA E ANTÓNIO GARÇÔA TROCAM COMUNICADOS

23.04.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

De seguida tanscrevemos, na íntegra, os comunicados que nos foram enviados por António Garçôa e pela ATDC.

 

As ilegalidades continuam na ATDC, por António Garçôa

 

“Exmºs Sr.s

Venho por este meio informar que no presente momento a ATDC (Associação Tauromáquica de Directores de Corrida) e os seus órgãos sociais não detém qualquer legitimidade de actuação ou representação dos seus membros associados, uma vez que a eleição dos novos Órgãos Sociais no passado dia 17 de Abril foi feita na base da ilegalidade estatutária.

 

Com base na ilegalidade está o incumprimento do Capitulo II, Artigo 5 ( dos sócios e suas categorias) em que foi apresentada uma lista para corpos gerentes constituída por elementos que não são sócios da ATDC, como o Sr. Nuno Nery, que apresentou a sua demissão na Assembleia Geral de 17 de Março de 2011, facto esse aceite pela AG e respectivamente lavrado em acta numero quatro ( 4) de acordo com a alínea a) do numero1 do artigo 9.º

 

Prova disso é a listagem feita chegar juntamente com a convocatória para a Assembleia Geral realizada este mês em que na listagem, não se sabe assinada por quem, uma vez que a rubrica não é perceptível e o Presidente da Mesa da Assembleia Geral já tinha entregue a sua demissão, dos associados com quotas por regularizar não consta o nome do sr. Nuno Nery, nem me foi a mim ou à direcção, apresentada em tempo útil qualquer pedido de reintegração do mesmo, bem como qualquer proposta de sócio feita por escrito para os restantes constituintes dos novos corpos gerentes e que são os 5 novos Directores de Corrida.

 

Mais informo, que previamente dei instruções  ao Sr. Pedro Reinhardt, Secretário da Direcção, para entregar a todos os novos elementos, as propostas de sócio, de forma a legalizar a sua aceitação como membros associados e até à A.G. de 17 de Abril nada me foi comunicado ou pedido para assinar respeitante a essa mesma integração dos novos elementos.

 

Na qualidade de presidente até ao passado dia 17, foi-me escondida diversa informação, que oportunamente publicarei, nomeadamente entrevistas a sites/blogs da especialidade, trocas de emails entre entidades e que ameaça "largar os cães" à IGAC !


Deixo a pergunta : Quem são os cães?

 

Deixo o repto, irão as outras associações representativas do sector, nomeadamente as Associações de Toureiros, Empresários, Forcados, Ganaderos, Veterinários e Protoiro legalmente constituídas, bem como o órgão da tutela a IGAC, reunir/receber ou trabalhar com uma associação ilegal?

 

Será que as decisões tomadas em conjunto terão um carácter decisivo e vinculativo numa mesa de discussão?

 

Deixo a pergunta no ar....

 

P.S. - Para não ser conivente com ilegalidades abandonei por livre vontade a A.G., sem que o Sr. Nuno Nery, tivesse apresentado a sua reintegração, quer oralmente ou por escrito.

 

Melhores cumprimentos;
António Garçoa”

 

COMUNICADO DA ATDC SOBRE O TEXTO DE ANTÓNIO GARÇÔA

COMUNICADO

Tendo a Direcção da ATDC tido conhecimento na data de 22/04/2013, de um comunicado publicado em alguns sites taurinos, efectuado presumivelmente pelo senhor António Garçoa, ex-presidente desta Associação, vimos por este meio informar o seguinte:

 

A - O entendimento dos Órgãos Sociais da ATDC, consiste no facto da inexistência de qualquer ilegalidade quanto à constituição, formação e legitimidade destes.

 

B - Os sócios que se sentirem lesados quanto à legalidade destes Órgãos Sociais da ATDC, deverão por si próprios e nos termos do art. 396 e seguintes do Código do Processo Civil, recorrer contenciosamente das deliberações em causa.

 

C - Aliás, é desejo da Direcção da ATDC que o façam e consequentemente, lançamos o desafio para tal iniciativa, de quem se possa sentir lesado, no sentido de que definitivamente todos os interessados possam perceber os trâmites legais em causa, evitando que se digam disparates na praça pública.

 

D - A Direcção não voltará a pronunciar-se sobre este assunto, a não ser nos Tribunais, caso haja algum sócio interessado em aceitar tal desafio.

 

Cordiais Cumprimentos

A Direcção”

 

BREVE HISTORIAL DO GRUPO DE FORCADOS AMADORES DA TERTÚLIA TAUROMÁQUICA TERCEIRENSE

23.04.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

O Grupo de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense foi fundado em 1973, tendo sido o seu primeiro cabo João Hermínio Ferreira, na altura já conceituado como pegador de toiros destemido. Sob o seu comando, o Grupo atuou nas diversas praças açorianas, tendo ocorrido várias deslocações de elementos do Grupo para atuarem nos Estados Unidos, mas nunca havendo uma deslocação de todo o Grupo. Nas Sanjoaninas de 1989, após 16 anos de liderança, João Hermínio cede a jaqueta e o comando do Grupo a António Baldaya.

 

Sob o comando deste, o Grupo atinge a sua maturidade, alcançando prestações assinaláveis não só nas praças açorianas, mas também nos Estados Unidos da América, Canadá e Portugal Continental, tendo atuado ao lado dos principais Grupos do país, nunca deixando os seus créditos por mãos alheias. Neste período destaca-se, pela sua importância, a atuação na noite de 27 de Maio de 1999 na primeira praça do país, o Campo Pequeno.

 

Em 2001, mais precisamente a 27 de Junho, durante o Concurso de Ganadarias da Feira de São João, Adalberto Belerique pega o primeiro toiro da corrida e recebe das mãos de António Baldaya a jaqueta de Cabo do Grupo, passando a comandá-lo daí em diante.

 

De 2001 até hoje, este Grupo tem sido presença assídua nas principais arenas do país, sempre integrando cartéis de nomeada. Destacando-se em 2003, a apresentação numa das praças mais emblemáticas para a forcadagem, Montemor, tendo também atuado em Vila Nova de São Bento. No mesmo ano, atuou na primeira corrida da Casa do Pessoal da RTP, nos Açores, com transmissão em direto no canal RTP1. Ainda nesse ano, encerra-se com 6 toiros nas Sanjoaninas, comemorando assim o seu 30º aniversário.

 

Em 2004, participa na Corrida Real em Salvaterra de Magos.

 

Em 2005, atua em solitário na 2ª Corrida da Casa do Pessoal da RTP, com transmissão em direto no Canal RTP1.

 

Em 2006, apresenta-se em Coruche e nas encostas do Douro, em São João da Pesqueira.

 

Em 2007, volta ao Campo Pequeno, atuando neste e nos dois anos seguintes, sempre em corridas televisionadas pelo canal TVI. Ainda em 2007, apresenta-se também na praça de Moura. Em 2008, na ilha Terceira, encerra-se com 6 toiros de diversas ganadarias regionais e nacionais, na comemoração do seu 35º aniversário, onde atuaram para além dos elementos atuais, os antigos, ficando bem patente as diversas gerações que constituem esta instituição.

 

Para além dos vários prémios alcançados ao longo do seu historial, em 2009, vence o Concurso de Cernelhas em Évora, disputado entre todos os Grupos de Forcados do país. Em virtude disso, apresenta-se na Praça de Évora no ano seguinte.

 

Em 2011, regressa ao Campo Pequeno, na Corrida do jornal Correio da Manhã, para pegar em solitário os toiros Rego Botelho, na apresentação desta ganadaria açoriana naquela Praça. No mesmo ano, apresenta-se na Feira de Maio da Moita do Ribatejo.

 

Em 2012, após terminar a época açoriana, o Grupo desloca-se ao continente para participarem em espetáculos em Albufeira e Garvão.

 

Nos últimos anos realiza alguns treinos em ganadarias nacionais e tem sido presença assídua em Sevilha, na ganadaria Partido de Resina, ex-Pablo Romero, a convite do ganadeiro, onde efetua um treino e uma jornada de promoção dos Açores e da sua Cultura Taurina.

 

A época de 2013 será revestida de especial simbologia, por se tratar do 40º aniversário da fundação do Grupo. Um extenso plano de atividades e atuações está a ser elaborado para comemorar esta data, do qual se destacam para já, a atuação no Campo Pequeno a 6 de Junho e a Corrida Comemorativa, onde se fardarão atuais e antigos elementos, para pegarem 6 toiros,  a 24 de Junho, nas Sanjoaninas da ilha Terceira. Estão ainda previstas mais deslocações ao continente e também fora do país.

 

Para além dos marcos atrás referidos, este Grupo, ao longo da sua existência, tem sido um bastião de Defesa e Promoção da Festa Brava. Tem integrado todos os carteis na Ilha Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico, Faial, Santa Maria e São Miguel, bem como diversas corridas nos EUA e Canadá. Ainda no ano passado, actuou a 07 de Julho, em Dundalk, arredores de Toronto, Canadá, a convite do empresário local.

 

Da história do Grupo fazem parte diversas organizações de Festivais Taurinos e Corridas de Toiros, bem como colóquios e eventos de promoção da Festa Brava.

 

Esta Instituição tem ainda um Grupo Juvenil que funciona como escola, onde os miúdos desde os seus 8 anos têm o seu primeiro contacto com esta Arte, e posteriormente dão os primeiros passos na mesma. Esta Escola serve também para incutir nos jovens valores como: Amizade; Lealdade; Humildade; Atitude; Coragem e Valor, entre outros, que são essenciais não só na sua vida de Forcados, mas em toda a sua existência.

ACADEMIA DE TOUREIO DO CAMPO PEQUENO NA GANADARIA SILVA HERCULANO

23.04.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

A Academia de Toureio do Campo Pequeno esteve presente, no passado dia 18, na Herdade dos Valhascos, pertencente à Ganadaria Silva Herculano. Foram tentadas 6 reses de excelente qualidade, permitindo que todos os alunos demonstrassem os ensinamentos que têm recebido do Maestro José Luís Gonçalves e do bandarilheiro Américo Manadas. Deste modo, a Academia do Campo Pequeno segue a sua preparação para a actual temporada, que vem sendo, um ano mais, plena de treinos práticos. Mais uma vez viveram-se excelentes momentos de toureio, seguindo-se de um não menos excelente almoço. De salientar a forma extraordinária como o Sr. Henrique Herculano recebeu todos na Ganadaria e a sua enorme simpatia.

 

Texto: Elisabete Vidal

Fotos: Fernando Clemente