Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

EXCELENTE NOVILHO DE FALÉ FILIPE E BOA FAENA DE PESEIRO, BOAS ACTUAÇÕES DOS CAVALEIROS NO FESTIVAL DA CIRE EM TOMAR

06.04.13 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros “José Salvador”- Tomar – 06.04.13 – Festival Taurino

Director: Nuno Nery – Veterinário: José Luis Cruz – Lotação: ½ casa

Cavaleiros: Rui Salvador, Brito Paes, Francisco Zenkl, Bernardo Salvador

Forcados: Amadores da Tert.T. Montijo e Amadores de Tomar

Espadas: Sérgio Santos Parrita, Diogo Peseiro

Ganadarias: Prudêncio, José Luis Vasconcelos S. D’Andrade, Rio Frio, José Salvador Herds. (2), Falé Filipe

EXCELENTE NOVILHO DE FALÉ FILIPE E BOA FAENA DE PESEIRO, BOAS ACTUAÇÕES DOS CAVALEIROS NO FESTIVAL DA CIRE EM TOMAR

 

A louvável iniciativa do cavaleiro Rui Salvador em promover um festival taurino em benefício do CIRE foi correspondida com um dia de sol e boa temperatura e uma boa moldura humana que com a sua presença ajudou a que os resultados financeiros fossem positivos. No campo artístico, andaram bem os cavaleiros mas foi o jovem novilheiro Diogo Peseiro a recolher os maiores aplausos do público com uma boa faena ao excelente novilho de Falé Filipe que lhe tocou lidar, numa tarde onde se estreou como cavaleiro amador Bernardo Salvador.

 

Rui Salvador lidou um toiro de Prudêncio que cumpriu e ao qual soube lidar com acerto, colocando-o nos melhores terrenos. Encontrou bem as distâncias e cravou um bom comprido, o segundo, entrando bem nos terrenos do oponente e na série de curtos deixou seis, doss quais segundo e terceiro de muito boa nota com vigorosas entradas ao pitón contrário.

 

António Brito Paes entendeu-se com um manso de Vasconcelos e Sousa D’Andrade e teve uma lide em crescendo, entendendo-se com o novilho, pisando-lhe os terrenos e cravando cinco ferros curos com destaque para o deixado em terceiro lugar em sorte frontal bem executada e com reunião justa. Em suma, uma boa lide.

 

Francisco Zenkl enfrentou um novilho de Rio Frio que serviu e andou em plano aceitável, divertindo-se durante a lide, deixando alguns ferros meritórios para quem pouco toureia.

 

Estreou-se nas arenas o jovem Bernardo Salvador com um novilho de José Salvador Herds. que era escasso de forças e se congestionou numa queda, e com o jovem cavaleiro a cravar apenas um comprido e um curto e o exemplar a ter de ser recolhido. Mostrou decisão e vontade de agradar sendo muito acarinhado pelo público.

 

Os Forcados Amadores da Tert. T. Do Montijo tiveram uma boa prestação com duas pegas de caras concretizadas ao primeiro intento por intermédio de Tiago Gaião e Valter Gouveia, enquanto que os Amadores de Tomar consumaram a única pega à 2ª tentativa por intermédio de João Paulo pois o seu segundo exemplar foi devolvido.

 

Sérgio Santos “Parrita” viu o exemplar de José Palha que lhe tinha sido destinado ser devolvido por coxo e lidou o sobrero de José Salvador Herds. que não teve qualidade e impossibilitou que pudesse criar a sua faena de muleta. Cravou dois bons pares de bandarilhas.

 

Diogo Peseiro foi o triunfador da tarde. Recebeu o novilho de Falé Filipe, que teve excelentes condições e um pitón esquerdo extraordinário, com uma larga afarolada de joelhos seguida de boas verónicas e preencheu com acerto o tércio de bandarilhas. Com a flanela estirou-se em magníficos naturais, correndo bem a mão, dando profundidade a cada muletazo. Também pelo lado direito aproveitou as boas condições do novilho, não deixando de rematar com passes de peito e outros adornos, numa actuação de muito bom nível.

 

O festival foi bem dirigido por Nuno Nery assessorado pelo veterinário José Luis Cruz.