Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

«BARREIRA DE SOMBRA» A CAMINHO DO FINAL: FALTAM 6 PROGRAMAS

21.10.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

Em 1987, quando me iniciei nestas lides da comunicação, e mais propriamente na rádio, estava longe de pensar em aguentar estes anos todos.

 

Mas o bichinho da afición sempre vai mais longe e cumpriram-se 25 anos de existência que parece-me, passaram despercebidos a uns quantos. Nada a que não estejamos habituados. Aliás, a comunicação social taurina passa despercebida a muita gente excepto quando dá jeito que ajude na promoção de espectáculos ou actividades, de toureiros em fase de lançamento, e muitos eteceteras.

 

A actividade que venho mantendo, regularmente, nestes 25 anos de rádio, já me levou a vivenciar experiências noutros países e, mais importante ainda, a aprender imenso sobre as diferentes realidades taurinas e culturais, quer seja em Portugal quer noutros países da Europa ou da América. Mais ainda, a partilhar as minhas ideias, a minha forma de ver e sentir a Festa Brava em muitos meios de comunicação social, em congressos, e em tertúlias.

 

A actividade iniciada em 1987 na então Rádio Europa em Torres Vedras com o programa «Da Barreira... ao Redondel» e ainda de forma incipiente, levar-me-ía, muitos anos mais tarde às outras aventuras dentro da comunicação social tauromáquica com a minha estreia no «Correio da Manhã» (já havia escrito no «Nova Verdade», de Alenquer) e nas transmissões televisivas das Corridas da casa do Pessoal da RTP. Para além de uma colaboração com uma crónica no desaparecido «Sol e Toiros», colaborei, ao longo destes 25 anos, com:

 

- Rádio Europa, depois Europa FM

- Oásis FM 106.4

- Rádio Ribatejo, em Azambuja, com Paulo Beja, António Salema, Catarina Bexiga e Pedro Pinto

- Rádio Voz de Alenquer, com Catarina Bexiga

- Rádio Popular, Pinhal Novo, com Paulo Beja

- Rádio Sorraia, com Joaquim Mesquita,

- Rádio Voz de Almeirim, com Eduardo Leonardo e Marcelo Mendes

- Jornal Nova Verdade, Alenquer

- Jornal Correio da Manhã

- Jornal O Ribatejo

- Jornal Vida Ribatejana, a pedido de João Mascarenhas

- Jornal Olé

- Revista de Toiros, de Henrique Carvalho Dias

- RTP

- Site Tauromaquia ´Portuguesa On-Line, com Fernando Dias

- Site Toiros&Cavalos, com Eduardo Leonardo, Joaquim Trancas Lucas, Joaquim Mesquita, Catarina Bxiga, Rui Levesinho, Paulo Pereira

- Revista Contra-Barreira

 

Para além desta actividade jornalística, fui convidado a integrar as respectivas Comissões Organizadoras dos III Congresso Nacional de Tauromaquia, em Salvaterra de Magos, e do VIII Congresso Mundial de Cidades e Vilas Taurinas, na Moita do Ribatejo, e a participar nos mesmos com duas palestras, e moderar dois importantes temas neste último.

 

Em dois anos consecutivos fui convidado a apresentar dois livros de dois toureiros de renomada carreira: primeiro «De Costas Voltas para o Mar», de Paulo Caetano, numa Equimagos em Salvaterra de Magos; depois «Vitor Mendes», o livro sobre a carreira do maestro de Marinhais, nem mais nem menos que em Stevinson, na Califórnia, EUA.

 

O apoio dos leitores e ouvintes, o respeito dos profissionais do toureio, a forma como sempre a Direcção da Oásis FM me tratou e deu total liberdade para conduzir o programa e, acima de tudo, a verticalidade e frontalidade com que sempre me movimentei e norteei nesta actividade, que é o meu hobby, o meu vício, permitiriam que me retirasse hoje e agora com o sentimento de ter cumprido o sonho e atingido muitas mais metas do que aquelas que algumas vez pensei atingir e que prémio algum poderá pagar.

FERNANDO SANCHÉZ DRAGÓ E A UNIVERSALIDADE DA FESTA DOS TOIROS: EM 2005 E NA MOITA DO RIBATEJO

21.10.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

Estávamos no final do VIII Congresso Mundial de Cidades e Vilas Taurinas, na Moita do Ribatejo. Numa dessasnoites teve lugar uma palestra a cargo do filósofo espanhol Fernando Sanchez Drago, intitulada “A Festa de Toiros e a sua Universalidade”, sendo moderador António Lúcio.

 

“A Festa de Toiros é a única verdadeiramente universal”, assim se expressou Fernando Sanchez Drago no início da sua palestra sobre a universalidade da festa de toiros. Uma palestra absorvente, com a componente história e filosofia a marcarem fortemente a sua alocução, mas onde não faltaram também episódios pitorescos que Drago, como poucos, soube contar.

 

Falou do profundo simbolismo que sempre há em cada Congresso de Cidades e Vilas Taurinas pois sempre se encontram exemplos de cidades criadas em torno do toiro ou da vaca, dando como exemplo Astorga, em Espanha.

 

“São os cidadãos que decidem o que será a sua cidade”, frisou Sanchez Drago, devido aos símbolos existentes no seio do inconsciente colectivo de uma sociedade, os denominados arquétipos. Referiu, como exemplo, a vaca que representa a mãe-terra e o touro que representa o poder másculo que permite a reprodução.

 

E foi mais longe, logo de início, ao afirmar que “A Festa  dos Toiros não é só a tauromaquia: o toiro é um deus.” E deu como exemplo, o culto do boi  Ápis no Egipto e que tem em Alexandria a sua cidade; ou na India; ou ainda, a afirmação do Dalai-Lama (com quem Sanchez Drago se encontrou em 1986) que assistiu a uma corrida de toiros em Espanha pela televisão e lhe disse ter achado muito interessante; ou ainda, em Bali, onde o morto era colocado dentro de um toiro de madeira e cartão antes de ser incinerado; como também numa ilha do Japão onde Sanchez Drago descobriu uma praça de toiros igual às nossas e onde há uma festa anula em que dois toiros se defrontam.

 

Posto isto, Sanchez Drago concluiu que “a festa de toiros não é só um espectáculo, só desporto, só caça, só ballet. É um sacramento, uma religião”, para prosseguir afirmando que “ignorar isto conduz a pensar que a corrida é cruel; pelo contrário, é, isso sim, uma homenagem ao toiro e como sacramento exige um sacrifício. O toiro é um deus e, como tal, a sua morte permite a regeneração da condição humana.”

 

Sanchez Drago vai ainda mais longe e afirma que “uma pessoa culta não pode ser anti-taurina.” Procurou, depois, definir o que é arte. E esta é, em seu entender, “a busca do sublime através de três vectores: a verdade, a bondade e a beleza.” A tauromaquia, para Sanchez Drago, propõe-nos ver que “há um código de honra, de ética. Na tauromaquia tudo é real e verdadeiro. O toureiro enfrenta uma escola de vida quando toureia. O toureio é o homem mais inteligente porque rapidamente tem que se inteirar de tudo. Tudo se improvisa, nada se repete no toureio. Quem se conhece a si próprio, sabe o que quer e o que deve fazer. É o carácter que molda o destino e a vocação do indivíduo.”

 

Sanchez Drago falou-nos da história da Atlântida, do Egipto, da conquista do México e das particularidades dos símbolos e do animal totémico de conquistador e conquistado ter permitido, não apenas a conquista, mas a manifestação e manutenção da festa de toiros nesses locais.

 

O SIGNIFICADO SEXUAL DA FESTA DE TOIROS

 

Sanchez Drago falou-nos do “ruedo” circular ou redondo como sendo o Mundo. As corridas de toiros que têm de ser à tarde e não à noite, por força da essência solar do toureio. Da arena que tem de ser regada com o sangue do toiro e do toureiro. E dos simbolismos e paralelismos sexuais que existem.

 

Ao entrar na arena, com um traje justíssimo, envolto num capote, com meias cor de rosa, quando faz o “paseíllo”, o toureiro é/representa um elemento feminino, ao passo que o toiro, com toda a sua imponência e pujança é o elemento masculino. Só que, durante a toda a corrida, vão mudando os papéis e vão-se apoderando mutuamente um do outro. Tudo termina no momento da estocada: a penetração da espada (símbolo fálico) no alto das agulhas, o vértice do triângulo sexual feminino. É o cume da lide, o momento álgido, em que o toureiro passa, com a morte do toiro, a ser o elemento verdadeiramente masculino.

 

CONCLUSÃO

 

Sanchez Drago teceu um conjunto de considerações que rematou com a afirmação de que cobrir as praças de toiros é um sacrilégio pois que se perde totalmente a essência solar do toureio. Sanchez Drago terminou afirmando que “O toiro significa a tradição. Um povo sem tradição não tem futuro.”

 

ANULADA A CORRIDA DE ARRUDA DOS VINHOS

21.10.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Foi anulada a corrida que esta tarde deveria ter tido lugar em Arruda dos Vinhos e que se anunciava como 1ª Corrida das Associações do Concelho. A anulação foi decidida perto das 3 da tarde e dado o piso estar impraticável em virtude das chuvas que se têm feito sentir.

FALECEU, EM ÉVORA, O GANADEIRO MURTEIRA GRAVE

19.10.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

De acordo com notícia veiculada esta manhã pelo site mundotoro.com, faleceu esta madrugada em Évora o Engº Joaquim Manuel Murteira Grave, criador da ganadaria que se anunciava em Espanha como Murteira Grave e em Portugal como Grave. Tinha 90 anos de idade. Hoje haverá uma missas na capela da família em Évora, pelas 6 da tarde e amanhã, após as 10h, o seu corpo será incinerado.

 

Á família enlutada apresentamos as nossas condolências.

PRÉMIOS DA TERTÚLIA TAUROMÁQUICA SOBRALENSE ENTREGUES NOS JANTARES DAS SEXTAS-FEIRAS

17.10.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

Ao invés do que tem acontecido desde a sua fundação, a Tertúlia Tauromáquica Sobralense decidiu, este ano, entregar cada troféu num dos habituais jantares de sexta-feira, entre Novembro e Dezembro, permitindo assim um maior convívio entre os premiados e os tertulianos. O programa será o seguinte, por ordem cronológica:

 

2.Nov. – Prótoiro – orador Dr. José Manuel Lourenço

 

9.Nov. – Novilheiro Diogo Peseiro – orador João Queiróz

 

16.Nov. – Ganadaria São Torcato – orador Dr. Vasco Lucas

 

23.Nov. – Cavaleiro praticante Salgueiro da Costa – orador Catarina Bexiga

 

30.Nov. – Cavaleiro amador Luis Rouxinol Jr – orador Maurício Vale

 

30.Nov. – Cavaleiro Luis Rouxinol – orador Maurício Vale

 

7.Dez. – Cavaleiro João Telles Jr – orador Engº. João Melícias Duarte

 

14.Dez. – Campinos Gabriel e Joaquim Silva – orador Dr. Sérgio Perilhão

ARTE & EMOÇÃO - PROGRAMA Nº 32 – SINOPSE - 20-10-2012

17.10.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

No último Arte & Emoção deste ano vamos apresentar um resumo retrospectivo da temporada 2012 – os acontecimentos mais significativos, as grandes pegas da época e os artistas que mais se destacaram.

 

Oportunidade ainda para ver a reportagem da corrida de 9 de Outubro em Vila Franca de Xira e como decorreram os dois espectáculos do passado fim-de-semana em Santarém.

OLÉ JORNAL DE TAUROMAQUIA Nº 282 - NAS BANCAS DIA 17 DE OUTUBRO – QUARTA-FEIRA

16.10.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Destaques desta semana: http://jornalole.blogspot.pt/

 

- Editorial de Francisco Morgado: As Máquinas do Tempo

- Bilhete postal de Joaquim Tapada: Ilustre cavaleira Sónia Matias - Boa Amiga

- C.Pequeno comunica Suspensão do festival taurino de 18 de Outubro

- Livro “Soberano Lusitano”

- JORNAL OLÉ - Altera o seu ritmo semanal

- Vila Boim – 5 de Outubro

- Vila Boim – 6 de Outubro

- Vila Franca de Xira – Feira de Outubro: Noite Inspirada de António Telles. Grupo de Vila Franca pegou os seis Palhas
- Toureio a pé viveu dia de emoções
- Sábado Taurino em Santarém - Corrida da tarde. Fazer o bem, sem olhar a quem…
- Santarém: A noite foi dos mais novos…
- Setúbal – Praça Carlos Relvas. Bravo Ganadaria Passanha!
- Tauromaquia Atlântica: De Praça - Antes do espectáculo começar!
- Festival em S. Manços. A favor do grupo de forcados local
- Nuno Casquinha corta 2 orelhas em Huaripampa
- Canencia (Madrid) Palha e Moura Jr. a ombros
- Luzes e Sombras de Joaquim Letria: Vão uns, vêm outros…
- Corrida e jantar no 45º aniversário dos Forcados de Azambuja – 20 de Outubro
- Tertúlia Tauromáquica Sobralense
- Memórias da Festa de Luís Miguel Barroso
- Coisas & Loisas da nossa Festa
- Salvaterra de Magos com Corrida a 28 de Outubro
- Agenda Taurina

 

SALVATERRA DE MAGOS COM CORRIDA A 28 DE OUTUBRO

15.10.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

A Praça de Toiros de Salvaterra de Magos receberá no próximo dia 28 de Outubro pelas 16 horas uma corrida de toiros à portuguesa que colocará ponto final à temporada 2012 neste mesmo tauródromo.

 

No seguimento dos espetáculos levados a efeito ao longo da sua temporada de estreia da empresa Emoção em colaboração com a Tauroleve, volta a anunciar-se nesta emblemática arena ribatejana um curro de toiros de uma das mais prestigiadas ganadarias portuguesas - Pinto Barreiros!

 

A ganadaria mãe da cabana brava portuguesa será um dos grandes atrativos desta corrida que contará no seu elenco com os três jovens cavaleiros que mais se destacaram no decorrer da temporada: Filipe Gonçalves, Manuel Telles Bastos e Duarte Pinto, assim como com dois grupos de forcados da primeira fila como são o caso dos Amadores de Santarém e Coruche, capitaneados respetivamente por Diogo Sepúlveda e Amorim Ribeiro Lopes.