Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

OS DESTAQUES DO «BARREIRA DE SOMBRA», SEGUNDA, 1 DE OUTUBRO ÀS 21H

30.09.12 | barreiradesombra

 

O programa de tauromaquia da Oásis FM «Barreira de Sombra» terá amanhã como convidado especial o cavaleiro de Bucelas e triunfador na passada quinta-feira em Lisboa, David Oliveira.

 

Retomaremos também a nossa conversa com  José Andrade que, a partir de Vila do Conde, acompanhou os mais importantes acontecimentos taurinos da região Norte, em Barcelos, Póvoa de Varzim (4 espectáculos), Oliveira do Bairro, Trofa, Ponte de Lima, Viana do Castelo, Torreira e Baião, para além de ter partilhado connosco a corrida de 9 de Setembro em Sobral.

 

Destaque ainda para os próximos cartéis.

 

A não perder, entre as 21h e as 22h em 106.4fm ou www.radiooasis.pt.

 

ARTURO SALDIVAR TRIUNFA EM AGUASCALIENTES ANTES DE SE APRESENTAR EM VILA FRANCA

29.09.12 | barreiradesombra

O matador de toiros Arturo Saldivar alcançou um assinalável triunfo no passado dia 24 de Setembro numa das corridas que integram a importante Feira Taurina de Aguascalientes (México).

 

Depois de uma primeira lide condicionada pela pouca qualidade do oponente, Saldivar – um dos toureiros mais destacados da atualidade -, logrou uma grande faena e após uma estocada inteira, recebeu duas orelhas como prémio, que lhe permitiram a saída em ombros no final do espetáculo.

 

Arturo Saldivar atua no próximo dia 7 de Outubro em Vila Franca – naquele que é o seu debute em Portugal Continental – atuou e foi proclamado triunfador das Sanjoaninas 2012 -, numa corrida que está a criar grande expetativa no público, já que se lidam em confronto direto toiros das importantes ganadarias de Murteira Grave e Assunção Coimbra. O cartel da I Corrida pela Diferença é igualmente composto pelos cavaleiros Luis Rouxinol e Pedro Salvador, assim como pelo espada português Manuel Dias Gomes, estando as pegas a cargo dos amadores do Ribatejo e Chamusca.

DAVID OLIVEIRA (APLAUDIDO) E PEDRO NORONHA (PROTESTADO) VENCEM TROFÉUS EM DISPUTA

28.09.12 | barreiradesombra

Praça de Toiros do Campo Pequeno – Lisboa – 27.09.12

Final do I Ciclo de Novilhadas das Escolas de Toureio

Director: Pedro Reinhardt – Veterinário: Jorge Moreira da Silva – Lotação: 1200

Cavaleiros: Maria Mira, David Oliveira, Luis Rouxinol Jr (amador)

Forcados: Amadores de Azambuja

Espadas: Pedro Noronha (V.F.Xira), João Rodrigues (Moita), Diogo Peseiro (C.Pequeno)

Ganadaria: Paulo Caetano

 

DAVID OLIVEIRA (APLAUDIDO) E PEDRO NORONHA (PROTESTADO) VENCEM TROFÉUS EM DISPUTA

 

Caro director Francisco Morgado: agradeço-lhe ter-me dado a oportunidade de escrever as linhas que se seguem sobre a Final do I Ciclo de Novilhadas das Escolas de  Toureio que teve lugar na noite de quinta-feira, 27, no Campo Pequeno em Lisboa e onde não houve unanimidade quanto aos triunfadores.

 

Afinal, as novilhadas foram, todas elas, espectáculos de variedades taurinas, onde se lidaram erales, novilhos e até toiros, e tourearam cavaleiros amadores e praticantes, praticantes de novilheiros e bezerristas, logo, não podendo ou devendo ser avaliados todos da mesma forma ou pela mesma bitola pois encontram-se em estádios diferentes de aprendizagem e evolução.

 

Mas, já que foram englobados todos no mesmo ciclo e sem distinções, coube aos júris avaliar a prestação dos diversos artistas nesta Final. Para o toureio a cavalo fui convidado a integrar o júri a par de Joaquim Tapada e Patrícia Sardinha, enquanto que para o toureio a pé foram os professores das 3 escolas – Vítor Mendes, José Luis Gonçalves e Luis Procuna – com o crítico João Queiróz a avaliar as prestações dos 3 intervenientes. E os premiados foram o cavaleiro David Oliveira, para gáudio dos seus apoiantes, e Pedro Noronha, decisão contestada nas bancadas. Concorde-se ou não com as decisões dos júris, as crónicas do espectáculo darão a conhecer a sensibilidade de cada um dos escribas.

 

Triunfador foi também o ganadeiro Paulo Caetano, pela qualidade dos seis exemplares que trouxe à arena lisboeta, com um quinto com raça e bravo, a par dos restantes que se revelaram nobres e com classe. Merecida, pois, a volta áà arena após a lide desse quinto da noite.

 

Pela porta pequena saiu, uma vez mais, o delegado técnico tauromáquico Pedro Reinhardt, incapaz de sentir e entender, para premiar com música a tempo certo, o que de bom realizavam na arena os três aspirantes no toureio a pé. Não manteve o critério no que concerne ao toureio a cavalo, demonstrando a sua preferência, quando deveria agir como juiz, com isenção, imparcialidade e unidade de critério.

 

Analisemos, então, o espectáculo.

 

TOUREIO A PÉ

Três jovens apresentaram-se à compita pelo prémio à melhor lide, depois de terem participado em cerca de uma dezena de espectáculos, e cumpriram o sonho de se apresentarem de luces na principal arena do País: Pedro Noronha, João Rodrigues e Diogo Peseiro, representando as Escolas de Toureio José Falcão, Moita e Campo Pequeno.

 

Pedro Noronha cumpriu com o capote e desenvolveu uma faena de muleta em que cumpriu no essencial, alternando momentos de maior interesse e por ambos os pitóns, com outros de menor fulgor e de mando e temple, faltando-lhe, na minha modesta opinião, transmitir alguma emoção no toureio que colocou em prática. O júri decidiu entregar-lhe o prémio, não sem protestos de parte dos poucos aficionados e público presente. Nota 6 na minha avaliação.

 

Em segundo lugar actuou João Rodrigues que também cumpriu no capote e com as bandarilhas, onde esteve desenvolto. Com a muleta vimos uma diferente disposição, uma maior capacidade interpretativa, com bons muletazos ao natural, ligando bem e chegando às bancadas. Como pecou por ter prolongado em demasia a sua lide e escutou 2 avisos, dou-lhe também nota 6 (em 10).

 

Diogo Peseiro foi, para mim, e muitos mais, aquele que mais disposição para ser toureiro mostrou, frente a um bom novilho. De sorriso agaiatado na face, lanceou bem de capote e cravou dois pares de bandarilhas de muito mérito. A faena de muleta foi a mais completa, a de melhor expressão artística, com excelentes naturais a fazer soarem fortes os olés e com o jovem a entregar-se, mandando e templando os passes.Uma actuação “em novilheiro” premiada pelo grande júri: o público e os aficionados. Nota 8!

 

TOUREIO A CAVALO

A segunda parte do espectáculo foi destinada ao toureio a cavalo, com os praticantes Maria Mira e David Oliveira e o amador Luis Rouxinol Jr. O prémio, como referido, recaiu em David Oliveira.

 

Maria Mira (nota 4) teve fraca prestação, sentido dificuldades para deixar a ferragem, nervosa, com pouca rodagem para se apresentar em Lisboa. A ferragem ficou desigual e fora de sítio, destacando-se apenas no último curto que foi o seu melhor.

 

David Oliveira (nota 6), que recebeu o bravo quinto novilho à porta de currais, sofreu forte toque contra as tábuas numa carga mais forte do oponente, e não começou bem com os compridos. Teve o mérito de saber “aguentar-se” com a bravura do nº 71 e de o lidar, cravando-lhe ferragem de mérito. Foi uma actuação em crescendo, mostrando que há ali qualidades para trabalhar.

 

O amador Luis Rouxinol jr. (6) teve uma lide de classe e raça, sem toques, com boas preparações e bons remates aproveitando a nobreza de investidas do novilho.Com sentido de lide, colocou-se de frente, entendendo bem as distâncias e deixou alguns bons ferros, rematando com dois bons de palmo.

 

OS FORCADOS

Os Amadores de Azambuja, a comemorarem 45 anos de existência, complicaram a sua própria vida no quinto da noite por inoperância do forcado da cara. Fernando Coração mandou para a cara do primeiro novilho o forcado Vinicius Campos que se fechou com determinação à primeira, seguido por Daniel Reis que só à 5ª consumaria e Gonçalo Filipe que se fechou bem ao primeiro intento.

 

A assessorar Pedro Reinhardt, e no campo veterinário, esteve o Dr. Jorge Moreira da Silva. Registou-se fraca presença de público.

 

Nota: texto integral da crónica a publicar no jornal OLÉ e, por isso, iniciado com um agradecimento ao director do jornal, Francisco Morgado.

ARRUDA DOS VINHOS - 1ª CORRIDA DAS ASSOCIAÇÕES DO CONCELHO

26.09.12 | barreiradesombra

Numa organização do Grupo de Forcados de Arruda dos Vinhos, realizar-se-á no próximo dia 21 de Outubro pelas 17h, a denominada I Corrida das Associações do Concelho e que conta no cartel com os cavaleiros de alternativa Filipe Gonçalves e Marcelo Mendes e o praticante David Oliveira, bem como os Forcados do Ribatejo, Tertúlia do Montijo e Arruda, frente a 6 toiros de Oliveiras Irmãos.

CHIBANGA – DOCUMENTÁRIO ESTA NOITE NA RTP 1

26.09.12 | barreiradesombra

 

“Documentário centrado na figura de Ricardo Chibanga, o primeiro africano matador de touros em toda a História, que há quatro décadas foi um mito para a sua geração. Triunfou nas praças portuguesas, espanholas e mexicanas (entre outras), pela sua destreza, a sua elegância e a sua ousadia. Originário de Moçambique, Chibanga cresceu no mesmo bairro dos arredores de Lourenço Marques (atual Maputo) que os futebolistas Hilário e Eusébio, com os quais jogou durante a infância com uma bola de trapos. A sua improvável ascensão a matador, ocorrida a milhares de quilómetros de casa, resultou de uma atitude de grande dedicação, persistência e ao mesmo tempo sacrifício. Com recurso a imagens de arquivo e depoimentos (incluindo as memórias do próprio), revivem-se os momentos de glória de um toureiro que foi apreciado por Picasso e Salvador Dali. Chibanga, que é hoje proprietário de uma arena desmontável, com a qual deambula para organizar touradas durante a época tauromáquica, habita na Golegã, onde parte do documentário foi gravada.”

 

Fonte: http://www.rtp.pt/programa/tv/p28091

 

Foto: José Andrade

ARTE & EMOÇÃO - PROGRAMA Nº 29 – SINOPSE - 29-9-2012

26.09.12 | barreiradesombra

 

No próximo Arte & Emoção iremos ver as reportagens da agradável corrida de 22 de Setembro no Montijo e do espectáculo em que Parrita toureou 6 toiros de diferentes ganadarias.

 

Vamos ainda ao encontro da ganadaria de Francisco Luís Caldeira e continuaremos a falar sobre a morfologia do toiro de lide.

 

Mas o grande destaque do programa prende-se com os 80 anos do Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca de Xira.

Pág. 1/7