Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

ESTA NOITE NO «BARREIRA DE SOMBRA»... 106.4FM

27.08.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

A corrida de dia 1 em Santo Isidoro vai ter o maior destaque com as presenças em estúdio dos cavaleiros Luis Rouxinol e Marcelo Mendes que, aqui, lançam o desafio radiofónico para o mano-a-mano do próximo sábado. Também Luis Rouxil Jr vai estar em estúdio.

 

Pai e filho tourearão em Sobral de Monte Agraço nos dias 9 e 10 e sobre essa corrida também iremos falar.

 

A não perder entre as 21h e as 22h nos 106.4 da sua Oásis FM ou em www.radiooasis.pt.

NEM A CHUVA IMPEDIU O TRiUNFO DOS TOUREIROS

25.08.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros da Figueira da Foz – 24.08.12 – 7ª Corrida RDP/Centro

Director: Agostinho Borges – Veterinário: José Luis Cruz – Lotação: 2/3

Cavaleiros: António Telles, Pablo Hermoso de Mendoza, Paulo Jorge Santos

Forcados: Amadores de Montemor  e Vila Franca

Ganadaria: Passanha

 

NEM A CHUVA IMPEDIU O TRiUNFO DOS TOUREIROS

 

A chuva que caíu durante a tarde e na própria corrida afastou um número considerável de espectadores, pois, com este cartel e em condições normais de meteorologia, a assistência sera seguramente bem superior. Mas isso não desmotivou os toureiros que fizeram por agradar aos cerca de 3000 espectadores presentes, assinando boas exibições e boas pegas de caras.

 

António Telles entendeu-se bem com primeiro da noite e conseguiu uma boa lide, destacando-se na cravagem do segundo curto em sorte frontal muito bem executada. Frente ao quarto da noite manteve o nível e foi justamente aplaudido pelo público.

 

Pablo Hermoso de Mendoza teve um primeiro toiro que não ajudou muito á brega e aos remates mas que colaborou na sortes e a ferragem foi meritória. No quinto da noite vimos Pablo ao seu melhor nível, com bons ferros curtos, especialmente segundo e terceiro em sorte frontais bem executadas e após a cravagem do 4º, a sego, num desplante arrojado apeou-se da montada mesmo frente ao toiro, fazendo explodir a maior ovação da noite.

 

Paulo Jorge Santos jogava na Figueira, com apresença da televisão e neste cartel, uma cartada importante na sua carreira. E no seu primeiro teve uma lide de muito valor e mérito, com boa brega e bons ferros, fortemente aplaudido pelo público. Não manteve tão alto o nível na primeira metade da segunda lide mas teve de novo bons momentos quer na brega quer na cravagem.

 

Os Amadores de Montemor tiveam em Francisco Borges na pega ao 5º da noite a sua melhor pega de caras, com o forcado a fechar-se bem na cara do toiro, enquanto que João Cabral só à terceira conseguiu consumar frente ao que abriu praça e António Vacas de Carvalho deu por consumada a pega ao primeirointento apesar de ter ficado fora da cara do toiro mas com um braço num dos cornos e o grupo a ajudar a compô-lo na cara. Por Vila Franca de Xira foram forcados de cara Pedro Castelo numa excelente pega de caras à 1ª, secundado por Márcio Francisco e Ricardo Patusco, ambos bme e à primeira tentativa.

 

Os toiros de Passanha serviram em moldes gerais, dentro do tipo e das investidas próprias deste encaste, sendo mansotes.

 

Dirigiu com acerto Agostinho Borges assessorado pelo veterinário José Luis Cruz.

CRÍTICA E PÚBLICO DE ACORDO: TRIUNFO INQUESTIONÁVEL DE SALGUEIRO DA COSTA

25.08.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros do Campo Pequeno – 23.08.12

Director: Ricardo Pereira – Veterinário: Jorge Moreira da Silva – Lotação 80%

Cavaleiros: João Moura, António Telles, João Salgueiro, Manuel Telles Bastos, Salgueiro da Costa, Miguel Moura

Forcados: Cascais, Aposento da Chamusca, Ramo Grande

Ganadaria: Passanha

 

CRÍTICA E PÚBLICO DE ACORDO: TRIUNFO INQUESTIONÁVEL DE SALGUEIRO DA COSTA

 

A anunciada corrida das dinastias, com um concurso de pegas entre três grupos de forcados, bem que se poderia dizer que foi a corrida dos triunfadores, tal a qualidade das actuações dos seis cavaleiros em praça, de algumas das pegas, e dos toiros de Passanha que foram excelentes colaboradores no êxito artístico da noite de quinta-feira em Lisboa. Mas a corrida ficaraia marcada por uma actuação extraordinária de Salgueiro da Costa que fez levantar das bancadas público e até alguns dos mais exigentes críticos nacionais, assinando um triunfo inquestionável frente ao quinto da noita.

 

Salgueiro Da Costa tem vindo, paulatinamente, a afirmar-se nesta segunda metade de temporada, como um valor seguro. A sua lide, em Lisboa, fez-nos recuar muitos anos atrás para nos recordarmos daqueles ferros, a mostrar-se em cites de praça a praça, a provocar o toiro, a entrar nos seus terrenos com entradas ao pitón contrário de fazer suster a respiração, mas cravando bem no alto e dentro da sua jurisdição, para rematar a preceito a sua lide, desde logo com os ferros compridos. Depois, dois dos ferros curtos, antecedidos de belas preparações, foram de antologia, citando, deixando-se ver, provocando a investida e partindo de encontro ao toiro, para com uma batida ao pitón contrário o desviar levemente da trajectória e cravar dois grandes ferros.

 

O veterano João Moura abriu praça com uma lide dentro do seu estilo, com alguns momentos de brega vistosa e bons ferros ora com quarteios bem marcados ora a sesgo e rematando com dois bons ferros de palmo.

 

António Telles teve uma lide bem sóbria mas com alguns momentos em que a sua enorme classe esteve patente nos cites frontais e na cravagem de boa ferragem curta, com bons pormenores de brega e rematando bem as sortes.

 

João Salgueiro esteve em Lisboa uma vez mais para mostrar a qualidade do seu toureio e o seu primeiro comprido é de antologia, de praça a praça e com uma reunião super ajustada. A primeira parte da sua lide é de grande categoria, com dois ferros de muito boa nota mas, depois, até consumar a cravagem do terceiro, perdeu-se em algumas passagens em falso. Remataria a sua actuação com outro curto de muito boa nota.

 

Manuel Telles Bastos mostrou que é um toureiro já madura, com uma boa concepção de toureio e cinco curtos em sortes frontais que foram bastante aplaudidas pelo grande público.

 

Em sexto lugar  exibiu-se Miguel Moura que, seguindo a escola de seu pai, esteve em plano bastante aceitável para um jovem praticante, sem grandes alardes mas a cumprir na ferragem da ordem, rematando a sua actuação com dois de palmo.

 

Para as pegas anunciaram-se três Grupos de Forcados em competição: Cascais, Aposento da Chamusca e Ramo Grande. Pelos Amadores de Cascais foram caras Luis de Camões que apenas à terceira concretizaria frente ao primeiro da noite e o cabo Joel Zambujeira que à segunda tentativa  e com excelente intervenção do primeiro ajuda consumaria no 4º da ordem. Pelo Aposento da Chamusca, Coelho dos Reis mandou para a cara o jovem Francisco Montoya  que consumou ao segundo intento e Bruno Rodrigues que efectuou uma boa pega á primeira e que foi premiada como a melhor da noite. Finalmente, os açoreanos do Ramo Grande concretizaram por intermédio de Manuel Pires uma boa cara à segunda tentativa e Nuno Pires encerrou praça com uma boa pega ao primeiro intento.

 

A ganadaria Passanha enviou um curro muito rematado e atacado de carnes para esta corrida, cumprindo na generalidade e destacando-se de todos o quinto da ordem, com trapio, anunciado com o pso de 520kg e marcado com o nº 59.

 

Direcção de corrida criteriosa de Ricardo Pereira assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

 

BAIÃO, 23 DE AGOSTO 2012 - MARCO JOSÉ SOBRESSAIU A CAVALO, JOAQUIM CONSOLADO, DOS AMADORES DE SALVATERRA, NAS PEGAS

24.08.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Baião voltou a quase esgotar a praça de toiros, na já tradicional corrida que, por altura das Tradicionais Festas em honra de S. Bartolomeu, patrono da vila, na 3ª. quinta- feira de Agosto, ali tem lugar.

 

Ir aos toiros, para os baionenses, ou baioneses, na tarde do dia da feira grande, mais que uma tradição, é um ritual, com inscrição obrigatória na agenda das obrigações desse especial dia. Assim voltou a ser nesta quinta-feira, dia 23 de Agosto de 2012. Em praça, iriam actuar os cavaleiros: Mestre, Manuel Jorge Oliveira, Marco José, e Ana Rita, que lidariam seis novilhos/toiros da ganadaria Benjumea, que seriam pegados, se assim a tanto ajudasse a arte, pelos Grupos de Forcados Amadores do:- Montijo, Salvaterra e Coimbra.

 

Manuel Jorge Oliveira é, indiscutivelmente, um Mestre na arte de cavalgar, lidando toiros. Foi assim na lide dos dois hastados que lhe tocaram em sorte. Sempre por cima, soube conduzir a cravagem dos compridos no seu primeiro, pequenote e distraído, que despachou com quatro curtos em demonstração de quem sabe, sabe. E porque efectivamente Mestre Manuel Jorge Oliveira sabe, soube sacar o impossível no seu segundo, o 4º. da tarde. Um exemplar disposto a defender a sua crença no meio da praça, mas que foi incapaz de resistir aos ataques de um Mestre.

 

Marco José entrou em lide com uma montada que denunciava um visível nervosismo, mas com a qual provou a condição do seu 1º. Benjumea da tarde. Mudou de montada, e trouxe um cavalo que nunca havia enfrentado sequer uma vaca, um potro jovem, animal nobre e sereno, com que colocou um comprido e um curto de boa nota. E porque o som do Benjumea soava a capacidade de lide capaz de alegrar, a montada que foi buscar, para mais dois curtos e dois de palmo de nota alta, com que rematou a sua primeira prestação, só podia ser um dos seus cavalos craque. E se no seu primeiro de lide o respeitável já estava conquistado, na lide do 2º., quinto da tarde, ficou provado o ditado, ‘não há quintos maus’. Toureio de frente, de largo e também em curto, foram sete colocações a comprovar que não é por acaso que recebe elogios da crítica, e o público se empolga e aplaude com gosto. Foi por isso que recebeu o prémio da tarde.

 

Ana Rita veio a Baião, onde tem grande afición, deliciar os aficionados, e ganhar novos seguidores. Com o seu estilo muito próprio de lidar, frenético, tremendista e agora também com tons de rejoneo, Ana Rita deixou na lide do seu 1º., onde os ferros a violino, dois, remataram a série de curtos, gosto para o que podia vir na lide do 6º. E se no 6º., o Benjumea exigiu muito labor, encrençado no centro da arena, Ana Rita foi incansável na arte de dar a volta à papeleta. E deu. Regista-se os dois curtos com a 2ª. montada, e os dois violinos, com a 3ª.

 

Nas pegas, o prémio para a Melhor Pega foi para Joaquim Consolado, do G.F. A. Salvaterra, ao 5º. à 1ª., muito bem executada. Deste grupo, Carlos Travessa, pegou à 2ª, o 2º. de lide. José Martins, do G.F.A. da Tertúlia do Montijo, à 1ª., no 1º., e o cabo, Márcio Chapa, à 2ª., ao 4º., devido a um derrote no alto, em torniquete, no 1º. intento. Pelo Grupo de Coimbra, pegaram, Rui Martins, no 3º., à 3ª, por deficiente colocação e ajuda, e José Freire, à 2ª., no 6º., ficando com um pé fracturado, o único a ter de ser retirado da praça e com visita ao hospital.

 

Dirigiu a corrida com acerto o senhor Nuno Nery, vítima da incompreensão do público, por manifesto desentendimento do mesmo público para com anuência sua para com um pedido de um dos intervenientes, assessorado na parte técnica pelo senhor dr. Veterinário, Miguel Matias.

 

Crónica de José Andrade

XLVIII GRANDE CORRIDA TV: UMA EFEMÉRIDE NO CALENDÁRIO TAURINO DO CAMPO PEQUENO

22.08.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

A grande corrida TV regressa dia 30 ao Campo Pequeno para realizar a sua XLVIII edição. Sem dúvida a corrida mais prestigiada do calendário taurino português, a corrida TV reencontra-se com as suas origens já que foi nesta praça que ela” nasceu”, a 25 de Julho de 1963.

 

Na edição desta noite estarão em praça os consagrados cavaleiros Joaquim Bastinhas e João Salgueiro para alternarem com um dos cavaleiros mais importantes da nova geração: João Ribeiro Telles Jr. As pegas estarão a cargo de dois grupos de forcados com notável historial; Os Amadores de Portalegre e os Amadores do Aposento da Moita.

 

Quanto a toiros, esta corrida é um autêntico duelo de ganadarias ribatejanas, aqui representadas por duas das suas divisas mais importantes: Infante da Câmara, Herdºs. e Manuel Assunção Coimbra. A ganadaria Infante da Câmara está profundamente ligada à história do Campo Pequeno pois de lá saíram os toiros da corrida inaugural, a 18 de Agosto de 1892, bem como o curro para a corrida comemorativa dos cem anos desta praça (20 de Agosto de 1992). Na actualidade, o seu encaste é Murube-Urquijo e Parladé. A de Assunção Coimbra foi premiada em 2009 com o “Galardão Campo Pequeno” para o melhor toiro e, como encaste, tem Parladé (Tamarón, Conde de la Corte e Atanásio).

 

Esta noite ficará também marcada pela entrega do “Galardão Prestígio2011”à família de Mário Freire, taurino de grande envergadura, bandarilheiro, dirigente do então Sindicato Nacional dos Toureiros Portugueses, apoderado, empresário tauromáquico, que esteve ligado ao Campo Pequeno (1987-1992), falecido em 2011. Outro grande empresário, verdadeira referência e que geriu o Campo Pequeno (1983-1984 e 1993-1996), Manuel Gonçalves, falecido em 2010, será também distinguido a título póstumo.

 

A anteceder a corrida, terá lugar na arena a estreia do Pasodoble “Campo Pequeno, A Catedral do Toureio Equestre”, da autoria de António Catalão Labreca, Bombardino da Banda da Sociedade do Progresso e Labor Samouquense, que como habitualmente, abrilhantará a corrida.

HOMENAGEM A MESTRE DAVID RIBEIRO TELLES NA PÓVOA DE VARZIM - IMAGENS

22.08.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Por especial deferência de PASSION PHOTOS, que muito agradecemos, e pelo facto de terem acedido ao pedido do nosso companheiro de lides José Andrade, aqui vos deixamos com algumas das magníficas imagens captadas pela dupla de fotógrafos da empres referida, prometendo dar-vos ainda mais umas fotos desta homenagem.

ARTE & EMOÇÃO - PROGRAMA Nº 24 – SINOPSE - 25-8-2012

22.08.12 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Como qualquer espectáculo, também as corridas de toiros têm aspectos menos positivos.

 

No próximo Arte & Emoção, vamos saber o que no entender de muita gente ligada à festa, se torna menos atractivo no espectáculo tauromáquico.

 

Oportunidade para ver o resultado do mano a mano entre Rouxinol e Salgueiro em Alcochete e assistir às reportagens das corridas de Coruche e Arruda dos Vinhos.

 

Destaque ainda para a ganadaria Infante da Câmara, que esteve no espectáculo inaugural do Campo Pequeno há 120 anos atrás.