Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

PAULO CAETANO REAPARECE NO CAMPO PEQUENO NOS 60 ANOS DO FUNDO DE ASSISTÊNCIA DOS TOUREIROS PORTUGUESES

31.07.12 | barreiradesombra

O Cavaleiro Paulo Caetano reaparece dia 9, no Campo Pequeno, na corrida da comemoração dos sessenta anos de actividade do Fundo de Assistência dos Toureiros Portugueses.

 

Questões de ordem administrativa ditaram que o cartel desta corrida ficasse assim constituído: cavaleiros Paulo Caetano e João Moura Caetano. Matador de Toiros Vitor Mendes e Novilheiro Manuel Dias Gomes. Pegam os Forcados Amadores de Lisboa, capitaneados por Pedro Maria Gomes.

 

Serão lidados 2 toiros para cavalo, da ganadaria Passanha e quatro para pé, da ganadaria Oliveiras, Irmãos, num regresso ao Campo Pequeno depois de uma larga ausência.

 

Será distinguido com o Diploma de Mérito, Augusto Gomes Júnior, o primeiro português a matar novilhos em Espanha, que viria a tomar alternativa de Matador de Toiros (o segundo português a fazê-lo), à qual renunciou, ingressando nas fileiras dos Bandarilheiros, de que foi figura destacada. Mais tarde exerceu com competência as funções de Director de Corrida.

 

A família de Diamantino Vizeu, o primeiro português a tomar a Alternativa de Matador de Toiros declinou a distinção que inicialmente se pretendeu fazer-lhe, decisão que a empresa respeita, como não poderia deixar de ser.

 

Para assinalar esta efeméride, a Sociedade Campo Pequeno SA estabeleceu ainda um desconto de 50% para os sectores 1 e 7 para todos os sócios do Fundo de Assistência e da Associação Nacional dos Toureiros Portugueses, válido para esta corrida.

JORNAL OLÉ – AMANHÃ NAS BANCAS - DESTAQUES DESTA SEMANA:

31.07.12 | barreiradesombra

 

- Editorial: Insisto… Porque continua a ser demais…

 - Bilhete postal: TOMAR e a FESTA DE TOIROS

 - Nuno Casquinha triunfa en Huacho - Peru

- João Patinhas, uma referência

-Ansião: As portas não abriram sem equipamento médico

- Marcos Tenório e Amadores de Cascais triunfam em Entradas

- Rui Salvador e Francisco Borgesvenceram os Troféus em disputa em Salvaterra

- Homenagem a D. Francisco Mascarenhas:Marcos Bastinhas – Triunfo Global

- Em Albufeira, Bastinhas assusta em noite que termina agradável

- Tauromaquia Atlântica: Para rematar o mês de Julho - Festival dos Amadores da T.T.T.

- Foz do Sizandro: Alguns “alhos” estavam chochos

- Riachos - Bom Ambiente na corrida da Benção do Gado

- Luzes e Sombras de Joaquim Letria: Toureio Turístico na Catalunha!; As Guerras do Escalafon

- Memórias da Festa de Luís Miguel Barroso

- Coisas & Loisas da nossa Festa

-Duarte Fernandes: Estreia pública aos 11 anos

- Agenda Taurina

ACONTECEU NA FOZ DO SIZANDRO...

30.07.12 | barreiradesombra

Por milagre não aconteceu nada para além do susto. O quarto da tarde arancou um dos painéis da trincheira, deixando-o neste estado. E passeou-se pela teia...

Depois, numa das pegas, o toiro lembrou-se de fazer o pino... Aqui fica a sequência.
 

MOURA CAETANO ASSINA TRIUNFO DA TARDE FRENTE AO TERCEIRO

30.07.12 | barreiradesombra

Praça de Toiros em Foz do Sizandro – 29.07.12

Director: Ricardo Pereira – Veterinário: José Manuel Lourenço – Lotação: +- ½ casa

Cavaleiros: Filipe Gonçalves, Brito Paes, Moura Caetano

Forcados: Amadores de Coruche e Portalegre

Ganadaria: Herds. António Silva

 

MOURA CAETANO ASSINA TRIUNFO DA TARDE FRENTE AO TERCEIRO

 

Foi uma lide redonda, de início a fim, a que João Moura Caetano realizou frente ao bom toiro que saiu em terceiro lugar e permitiu o luzimento maior a este jovem cavaleiro que está num momento extraordinário. Deu todas as vantagens ao toiro desde o início da lide, cravando os compridos com classe e poderio e, montando esse cavalo extraordinário que dá pelo nome de Xispa, provocou o alvoroço nas bancadas com as preparações e os remates, mas sobretudo pela forma como abordou as sortes, maioritariamente ao piton contrário, cravando em todo o alto uma série de cinco curtos. Foi uma lide de grande nível e com enorme mérito pela forma como soube aproveitar as grandes qualidades da rês. Cumpriu na lide do que encerrou praça, deixando bom sabor de boca entre o aficionado e entusiástico público do Oeste.

 

Abriu praça António Maria Brito Paes, que lidaria também o quarto da ordem por actuar na nocturna de Caldas da Rainha. A sua primeira lide não teve grande chama ante um toiro que nem sempre lhe facilitou a vida e no segundo, que inclusive arrancou um painel da trincheira e entrou na mesma causando alguns sustos, teve demasiadas passagens em falso para deixar a ferragem, em sortes a quarteio de razoável execução. Não era a sua tarde.

 

Filipe Gonçalves, que sentiu algumas dificuldades frente ao segundo da tarde, assinou dois bons curtos na fase final da lide e, frente ao quinto teve uma lide em crescendo, que muito agradou a todos os que estavam nas bancadas da desmontável instalada na Foz do Sizandro. Os últimos curtos, com batidas ao pitón contrário e boas reuniões, foram de boa nota e encerrou a sua lide com um excelente par de bandarilhas que fez as delícias dos presentes. Uma lide em crescendo,  e dando volta no final com a  representante da ganadaria, volta perfeitamente justificada pela presença e comportamento em geral dos toiros.

 

Dois Grupos  de Forcados competiam pelo êxito nas pegas de caras: Coruche e Portalegre. E ambos forma autores de grandes momentos, sempre sublinhados por exclamações de júbilo e aplausos do público. Pelos Amadores de Coruche foram forcados de cara Miguel Raposo que esteve muito bem e consumou à primeira, Pedro Galamba numa dura pega ao segundo intento e com intervenção decisiva nas ajudas de José Tomás, e ainda Pedro Oliveira à primeira e com o toiro a fazer o pino já com o forcado bem fechado. Pelos alentejanos de Portalegre, foram caras André  Neves bem à 1ª tentativa, Alexandre Lopes numa duríssima cara ao terceiro intento com o toiro a bater forte e António Cary fechou-se com raça à primeira tentativa.

 

Os exemplares de Herds. De António Silva, de irrepreensível apresentação, tiveram os condimentos necessários para manter as atenções do público no que se passava na arena, havendo bravos e nobres e outros mais reservados e complicados. Justificada a volta à arena da representante da ganadaria após a lide do quinto da tarde.

 

Boa direcção de corrida de Ricardo Pereira assessorado pelo veterinário José Manuel Lourenço.

29 DE JULHO 2012 - TROFA - por José Andrade

30.07.12 | barreiradesombra

É sempre de louvar as iniciativas que são tomadas no sentido de levar a ‘festa dos toiros’ a lugares tão diversos e distintos como ultimamente tem sido noticiado. Alguns desses lugares, Cidades, Vilas, e até Freguesias, onde até os mais conhecedores do meio, ficam espantados com a afición que por lá existe, e com o arrojo dos que a tal empreendimento se aventuram. Foi o que testemunhamos na corrida que ontem, dia 29 de Julho, do ano da graça de 2012, ocorreu na Trofa.

                                       

A iniciativa da Junta de Freguesia e da empresa de Paulo Pessoa de Carvalho, se não teve o êxito de registar uma mais considerável adesão de espectadores, pode inscrever no seu historial, um êxito artístico e promocional. Um êxito promocional, a que nem faltou a voluntária colaboração de uma dezena de almas dos ditos ‘amigos dos animais’. Foi uma colaboração, silenciosa, mas que deu vida ao ambiente que em redor da praça sempre traduz animação e interesse.

 

E o que do que de interessante decorreu no espectáculo, destacamos a ‘limpa’ actuação dos cavaleiros que compunham o cartel: - Luís Rouxinol, Ana Batista, e Duarte Pinto, que cumpriram a seu modo a função, sem grandes alardes, mas interessante de se ver. Sorte repartida, que muito se deve à boa prestação dos seis exemplares da ganadaria Francisco Luís Caldeira, compostos de esqueleto e carne, com bravura, que se apurada, pode aspirar a outros voos em praças de referência.

 

É da bravura dos toiros, que o luzimento das lides ganhou destaque, na lide dos cavaleiros, e especial empenho e realce, na intervenção dos dois grupos de forcados. Forcados que também repartiram sorte, ou azar, concretizando as pegas à primeira, ou à quinta tentativa. Assim, pelo Grupo de Montemor, pegaram:- o 1º. à primeira, por António Calça e Pina, o 3º. por Miguel Bibe, à segunda, depois de muito castigado no chão no primeiro intento, e Patrício Cecílio à quarta tentativa, no sexto e último.

 

Pelo Grupo dos Amadores das Caldas da Raínha, a função foi cumprida com as intervenções de, Vasco Félix da Costa, à primeira, no 2º. da tarde, António Galeano, no 4º., à segunda tentativa, aguentando um espectacular derrote para baixo, contrário ao derrote no alto, sofrido na primeira. O 5º. alterado na ordem das pegas, porque o grupo iria pegar mais tarde na corrida televisionada transmitida das Caldas da Raínha, foi concretizado à quinta tentativa por Óscar Carvalho, que dobrou Hugo Soares, muito maltratado.

 

Dirigiu a corrida o senhor Nuno Nery, assessorado pelo senhor dr. José Luís Cruz.

Pág. 1/9