Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Foram já divulgados os vencedores dos Galardões Campo Pequeno 2011, por votação do Real Clube Tauromáquico após selecção efectuada pelos abonados.

 

Assim, a lista de premiados é a seguinte:

 

Cavaleiro: Luis Rouxinol

 

Matador: Antonio Ferrera

 

Novilheiro: Tiago Santos

 

Cavaleiro praticante: João Salgueiro da Costa

 

Forcado: João Brito (Santarém)

 

Melhor Grupo: Amadores de Montemor

 

Peão de brega: David Antunes

 

Bandarilheiro: não atribuído

 

Ganadaria: Rego Botelho

 

Toiro: "Guarda", nº 17, 504kg, Rego Botelho

 

A Administração da Sociedade Campo Pequeno, SA decidiu atribuir o “Galardão Prestigio2011”a Mário Freire, um dos mais importantes taurinos portugueses de sempre, falecido em Março deste ano.

 

Antigo bandarilheiro, Mário Freire foi um homem de carácter que integrou as quadrilhas de vários matadores de toiros e cavaleiros, tendo sido também apoderado, entre outros, dos matadores Armando Soares e Mário Coelho e dos cavaleiros Luis Miguel da Veiga e Luís Rouxinol, cuja carreira dirigiu durante 22 anos.

 

Taurino multifacetado, foi ainda dirigente do Sindicato Nacional dos Toureiros Portugueses e empresário tauromáquico de diversas praças portuguesas, tendo inclusive integrado a empresa que dirigiu os destinos da praça de toiros do Campo Pequeno, entre 1987 e 1992.

 

Acima de tudo, Mário Freire foi um grande Homem e um grande Senhor da nossa “Festa”.

Sábado 10 de Dezembro, Leziria Parque Hotel, Jantar de entrega dos prémios aos triunfadores da temporada 2011 na praça de toiros Palha Blanco

19h30m-Recepção e welcome drink no bar do restaurante “Aquarius”20h15m-Inicio do jantar

PREÇO POR PESSOA 24.50 €

Inscrições Clube Taurino Vilafranquense, Tel-263282193, Telm-937338528- Email-ctaurino.vfx@gmail.com

Premiados

JOÃO SALGUEIRO – MELHOR LIDE A CAVALO pela que assinou frente ao segundo toiro da corrida de dia 4 de Outubro.

DAVID MORA – MELHOR FAENA pela executada ao quinto toiro da corrida de dia 2 de Outubro.

CARLOS FALÉ FILIPE- MELHOR CORRIDA pela que lidou no dia 2 de Outubro.

PEDRO CASTELO – MELHOR PEGA pela executada ao quarto toiro da corrida de dia 30 de Setembro

RODOLFO BARQUINHA – MELHOR BANDARILHEIRO pela actuação frente ao quarto toiro da corrida de dia 2 de Julho.

A Direcção do Clube Taurino Vilafranquense, decidiu ainda reconhecer as exemplares carreiras do Maestro VITOR MENDES e do bandarilheiro JOÃO JOSÉ:

MAESTRO VITOR MENDES – Na temporada em que comemora o 30º aniversário da sua alternativa de Matador de Toiros

JOÃO JOSÉ – Pela sua longa e magnífica trajectória de mais de 40 anos, na temporada em que disse adeus às arenas.

Reconhecimentos:

GRUPO DE FORCADOS AMADORES DE VILA FRANCA DE XIRA – Pela extraordinária actuação que tiveram nas duas corridas em que actuaram na Feira de Outubro.

JOSÉ MANUEL RAÍNHO - Por todo a dedicação e empenho em prol da Escola de Toureio José Falcão.

Foi igualmente decidido, atribuir a dois aficionados exemplares, o TROFÉU JOSÉ FALCÃO, do Clube Taurino Vilafranquense:

SR. SAAVEDRA VALENTE – Por toda uma vida em prol de Vila Franca, em especial defendendo a Festa dos Toiros.

CINEASTA FRANCISCO ROCHA – Pelo seu magnífico trabalho ao longo de todos estes anos e por ter realizado trabalhos que ficaram na história da cidade e da própria Festa.

28 Nov, 2011

«VERDES ANOS»…

 

Este é um tema imortal do genial compositor e intérprete Carlos Paredes. Não o trazemos á colação pelo facto de o FADO ter sido declarado Património Imaterial da Humanidade, ontem, pela UNESCO, após uma brilhante candidatura suportada por homens e mulheres de todos os quadrantes sociais, políticos, intelectuais. Foi uma vitória brilhante e enche de orgulho Portugal.

 

Este mote, dos verdes anos, aplica-se à nossa experiência, ou à falta dela, quando há 24 anos atrás nos iniciámos nestas lides. Repassando este trajecto, iniciado anos antes com uma ligação efectiva e afectiva à primeira empresa de Manuel Jacinto (na altura bandarilheiro), e mais tarde com a minha passagem pelos Amadores de Agualva-Cacém, até aos momentos da minha passagem pelo Correio da Manhã a convite do Maurício Vale ou na RTP a convite do sempre saudoso e recordado Manuel Gonçalves e da Drª Ana Freixo, posso afirmar que se o percurso terminasse aqui, hoje, nesta segunda-feira 28 de Novembro de 2011, estaria cumprido com mérito e honrando a memória de todos quantos nos deixaram e me eram queridos.

 

Vivemos numa época em que muitos dos valores que me ensinaram em casa e na escola são constantemente atropelados. E a verdade, meus caros amigos, é que não me revejo no estilo e tipo de crítica e notícia taurina que se faz neste momento neste País.

 

Os princípios básicos – e as minhas felicitações ao Grupo Tauromáquico Sector Um pela iniciativa do curso – do toureio são desconhecidos da maioria dos que escrevem sobre toiros. E esse é apenas um, dos graves, atropelos que se cometem no dia-a-dia.

 

As regras básicas de bem escrever em português são adulteradas e existem frases sem concordâncias e em muito mau português. Acresce a tudo isto uma falta de isenção e de rigor que é confrangedor. Não existe critério uniforme de apreciação e quando se trata de analisar o comportamento do toiro, então meus caros…

 

Em 24 anos que já levo de rádio é sempre bom recordar bons momentos que foram vividos intensamente e na companhia de muitos companheiros, de muitas colaborações e, acima de tudo e mais gratificante ainda, sentir o reconhecimento dos profissionais e do público anónimo quando nos aborda na rua.

 

Que noites magníficas, depois da Europa FM e já aqui na Oásis FM, as que vivemos na Ribatejo em Azambuja com o Paulo Beja, a Catarina Bexiga, o Pedro Pinto, o António Salema e o iniciado Rui Levesinho; ou na Comercial de Almeirim com o Eduardo Leonardo e o Marcelo Mendes (jornalista); ou com o Joaquim Mesquita na Voz do Sorraia em Coruche; ainda com a Catarina Bexiga na Voz de Alenquer; ou a experiência na Popular FM do Pinhal Novo com o Paulo Beja.

 

Na escrita, saudades dos tempos com o Fernando Dias na Tauromaquia Portuguesa On-Line ou da fundação do Toiros&Cavalos com o Eduardo Leonardo. Da passagem já referida no Correio da Manhã; da presença no Olé; na Revista de Toiros do Henrique Carvalho Dias, na Ruedo Ibérico do Pedro Pinto ou, agora, na Contra-Barreira do Pedro Cardoso e da Sandra Batalha.

 

Momentos que não se esquecem e que seguramente nos darão forças para continuar até porque, em 2012, a 13 de Junho, cumpriremos 25 anos na função. Como escrevi no título desta nota, o tema «Verdes Anos», com toda a sua qualidade e pujança será sempre uma referência da boa música portuguesa e tal como os verdes anos da nossa infância e adolescência, permitir-nos-ão continuar com alguma ousadia na defesa da festa brava e das diversas formas da nossa tauromaquia.

Herói maior da noite foi Pedro Castelo, dos Amadores de Vila Franca, ao suportar os violentíssimos derrotes do “Coimbra” saído em 4º lugar, numa pega que ficará para a história e roulado seguramente como uma das melhores desta temporada. Viajou mais de meia praça sózinho na córnea do toiro que desbaratou por completo o grupo na sua passagem em fuga e mesmo com este reagrupado e a ajudar com determinação não se dava por vencido e tentava livrar-se do forcado. Ovação estrondosa com o público de pé e duas voltas à arena.

 

Crafts, Biológico, Vintage, Design, Livros, Gourmet, Artes Plásticas, Plantas, Cerâmica, Nostalgia, Decoração, Joalharia, Moda, Coleccionismo + Solidariedade Social.

 

Neste Natal o Campo Pequeno vai recriar o espírito dos mercados antigos portugueses, onde se podia encontrar um pouco de tudo (excepto produtos perecíveis). Os produtos e artigos presentes serão de origem portuguesa ou manufacturados em Portugal, tradicionais ou contemporâneos, maioritariamente de autor.

 

Temos 3 objectivos com este evento.

- Contribuir para a divulgação, estimulo e sustentabilidade de ofícios, artesãos e micro actividades produtivas nacionais, que pela sua reduzida dimensão tem muita dificuldade em dar-se a conhecer ao grande público de modo a poder apresentar e escoar as suas produções. Muitas destas actividades são construídas com admirável persistência, paixão, engenho e criatividade, nas mais variadas vertentes produtivas ou culturais, constituindo notáveis exemplos de inovação e criatividade nacionais.

- Sensibilização do público para a aquisição de produtos portugueses, estimulando actividades da micro economia nacional, a preços bastante mais justos e vantajosos.

- Aproximar do grande público algumas IPSS (Instituições Particulares de Solidariedade Social), que neste período difícil que o país atravessa lutam diariamente com muitas dificuldades, permitindo uma maior divulgação da sua obra e angariação de receitas extraordinárias.

 

Para potenciar estes objectivos a entrada será gratuita.

 

Data: 2, 3, 4 e 5 de Dezembro de 2011  (6.ª a 2.ª F., inclusive)

Horário: 11:00 às 21:00 h

Local: Arena do Campo Pequeno (piso da arena alcatifado, espaço coberto)

 

Organizado pelo Clube Taurino Vilafranquense terá lugar no sábado, 26 de Novembro um grandioso almoço dedicado á Escola de Toureio José Falcão, com o seguinte programa:

 

13h30-Inicio do almoço

14h45m-Inicio do colóquio - " A temporada 2011 da Escola de Toureio José Falcão" - Intervenientes-Estrutura e alunos da E.T.J.F.

 

Preço do almoço: 9 euros

 

Estamos a chegar ao fim de mais um percurso, de mais uma etapa. Este é o penúltimo «Barreira de Sombra» do ano e nele abordaremos alguns dos aspectos essenciais da que foi a nossa 24ª temporada tauromáquica. Com alguns percalços pelo meio, como sucede com os toureiros ou com as ganadarias. Mas com a certeza de que fizemos o melhor que era possível, tentando não defraudar as expectativas daqueles que nos escutam ou são nossos visitantes no blog.

 

Não foi uma temporada fácil. Mas teve alguns bons momentos que se recordarão e que, ao fim e ao cabo, são a grande recompensa para quem anda neste mundo sem pretensões ao protagonismo bacoco e sem depender economicamente de ninguém, sejam eles toureiros, ganadeiros ou empresários. Sempre optei por esta postura, que custa dinheiro, mas que sempre me permitiu uma equidistância e uma capacidade de análise muito mais fria e lúcida.

 

É evidente que, terminada a temporada, poderiamos manter o «Barreira de Sombra» no ar com análises e entrevistas. Verdade que sim. Mas, ao mesmo tempo, também é bom parar, fazer alguma introspecção e recolha de outro tipo de elementos que possam valorizar os conteúdos do nosso blog. Não damos noticiazinhas de tudo e mais alguma coisa nem damos cabimento a determinadas notas que nos remetem. Escolhemos o que publicamos e do que falamos. E trouxemos até à Oásis FM vários convidados que nos deram a honra de falarem abertamente como numa conversa de mesa de café mas de microfone aberto, sem falsas modéstias nem falinhas mansas, permitindo aos nossos ouvintes entender um pouco mais sobre o que artistas e empresários pensam sobre a sua actividade e a sua relação com o público.

 

Fizémos um especial de duas horas sobre as corridas das Festas e Feira de Verão que foi dos programas que me deu um gozo pessoal extraordinário realizar. Como o foram a conversa com Sandra Batalha e Pedro Cardoso, para dar apenas dois exemplos. O «Barreira de Sombra» tentou dar uma outra visão da Festa através dos seus convidados. E penso que o conseguiu plenamente dadas as inúmeras mensagens e chamadas telefónicas ou emails que nos enviaram.

 

A temporada terminou, para nós, no dia 1 de Novembro no Redondo, exactamente 9 meses depois de termos assistido ao primeiro espectáculo, por sinal também no Alentejo, na aficionadíssima Mourão. O «Barreira de Sombra», nos 106.4 fm da Oásis, terminará daqui a uma semana e a saudade é já grande só de pensar que iremos estar sem a vossa presença durante dois meses (Dezembro e Janeiro). Fica a promessa de que iremos regressar no princípio de Fevereiro de 2012, se Deus quiser e tudo se inclinar nesse sentido. Seria uma forma bonita de iniciarmos a temporada em que comemoraremos 25 de existência.

Pág. 1/4