Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

A tarde era de um imenso calor e o público preencheu quase completamente a sombra da bonita e bem cuidada praça de toiros de Abiúl. Os toiros de Canas Vigoroux, bem apresentados, trouxeram muitas complicações frente aos cavalos e deixaram-se nos capotes, entrando duros quando sentiam o forcado na sua frente. O melhor da tarde foi o segundo e o pior o que saíu em quinto, obrigando este a que António Telles tivesse de mostrar o porquê de ser um exímio equitador e lidador apesar de ter sido colhido com alguma violência contra a trincheira.

 

António Telles esteve em bom plano no que abriu praça, com brega esforçada para o colocar e deixar bons ferros, com destaque para o terceiro curto. No que foi quinto da tarde – a ordem foi alterada porque Rouxinol toureava à noite na Nazaré – Telles foi obrigado a «suar as estopinhas» para conseguir colocar os ferros, com o toiro a emparelhar-se com o cavalo algumas vezes e a colhê-lo junto à trincheira. Gesto de pundonor toureiro o de António Telles, tentando a todo o custo deixar a ferragem, o que fez com mérito.

 

O primeiro de Luis Rouxinol serviu para um toureio de maior proximidade e para que o toureiro se recreasse nas sortes e nos remates. Uma lide bem medida e bem construida, onde não faltaram os de violino, plamo e par de bandarilhas em actuação de mérito. No que abriu a segunda metade de corrida, teve Rouxinol de se alicar a fundo para lhe deixar a ferragem da ordem, o que também fez de forma meritória.

 

Gilberto Filipe sentiu também as dificuldades colocadas pelos toiros e com altos e baixos deixou alguns ferros meritórios em ambos os toiros com destaque para o último curto que cravou no sexto da tarde, atacando o toiro fechado em tábuas e tragando bastante para se meter nos terrenos do toiro para lhe provocar a investida.

 

Quanto aos moços de forcado de ambos os agrupamentos, a tarde foi dura e difícil dadas as investidas por vezes duras dos «Vigoroux». Pelos Amadores de Santarém foram caras João Brites numa rija pega à 1ª, Ricardo Francisco numa dura pega com dois violentos derrotes consumou também à primeira e e João Torres Freire apenas á quarta conseguiu consumar a pega de caras. Quanto aos Amadores da Chamusca, abriu Emanuel Injay com uma boa cara ao primeiro intento, seguido por João Nves noutra dura intervenção à 1ª e Rui Pedro concretizou á segunda a pega ao sexto e último toiro da corrida.

 

Boa direcção de corrida de Ricardo Pereira, com assessoria veterinária de Francisco Barata.

A corrida de homenagem ao emigrante em Tomar teve uma boa moldura humana e boas lides ante toiros e novilhos de Rio Frio que serviram no geral para o êxito da corrida e onde Rui Salvador esteve em plano de lidador consumado, Bastinhas voltou a galvanizar o público e Marcos Tenório mostrou a sua garra e a qualidade do seu toureio.

 

Joaquim Bastinhas deu a volta aos seus dois oponentes com mestria, encontrando facilmente os melhores terrenos e distâncias para consumar as sortes e tendo os melhores momentos no que abriu praça e que lhe deu luta após a cravagem dos ferros, recarregando com codícia. Um caso sério de aficion e popularidade, este do cavaleiro alentejano.

 

Não é fácil ser-se profeta na sua própria terra e o cavaleiro Rui Salvador conseguiu-o na noite de sexta-feira passada com uma primeira actuação redonda na lide, na forma como obrigou o toiro a seguir as montadas e o soube deixar colocado para ferros de mérito e numa segunda lide que foi em crescendo onde se voltou a impor ao oponente e cravar uma série de três curtos excelentes na abordagem da sorte e na cravagem com entradas ao piton contrário muito aplaudidas.

 

Marcos Bastinhas voltou a dar nota dua boa qualidade do seu toureio, quer na forma como bregou e lidou os dois «riofrio» que lhe tocaram, com bons ferros curtos, e a rematar a sua segunda actuação em grande alvorço popular com dois palmitos de violino.

 

Os Forcados Amadores de Tomar pegaram de caras por intermédio de Pedro Miguel, bem e à 1ª; Paulo Parker à 2ª a emendar o seu colega Márcio Constantino que havia sido desfeiteado por 3 vezes, e Henrique Ferreira com facilidade à primeira. Pelos Amadores de Alcochete foram caras Pedro Belmonte (à 1ª), Luis Saramago numa boa cara à primeira e João Pedro Sousa que apenas à terceira conseguiu consuamr.

 

Boa direcção de corrida do antigo matador de toiros Júlio Gomes, assessorado pelo veterinário José Manuel Lourenço