Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

TIAGO CARREIRAS TRIUNFA NO TOIRO DA ALTERNATIVA; PABLO, DOMINIO TOTAL DAS MONTADAS

07.05.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

O jovem alentejano Tiago Carreiras atingiu a alternativa com mérito e um triunfo importante frente ao toiro da cerimónia, marcado com o nº 43, de 534kg e que dava pelo nome de “Ladronzuelo”. Uma lide com grandes momentos de brega, nomeadamente os recortes e remates na cara do toiro protagonizados com o “Quirino” e que levaram ao rubro as bancadas, não se esquecendo o nóvel doutorado das preparações das sortes e da cravagem acertada e com alguns ferros de boa nota. Joaquim Bastinhas foi o padrinho e Pablo a testemunha ante toiros de segunda categoria de Bohórquez.

 

Aliás, os toiros de Bohórquez, alguns de escassa presença e trapio apesar dos pesos anunciados rondarem entre os 508 e os 552 kilos, foram sensaborões, de pouca casta e escassa acometividade, apesar de servirem em termos gerais e permitirem a grande proximidade às montadas num aparente risco mas de escassa emoção.

 

Bastinhas assinou uma primeira lide alegre e movimentada dentro do seu estilo peculiar e chegou às bancadas. Vontade e determinação, ferros para todos os gostos, alardes de boa brega e, como não podia deixar de ser, o par de bandarilhas a duas mãos. Não foi tão convincente a sua segunda actuação frente a um toiro chato mas o público aplaudiu o seu esforço.

 

Pablo tem o dom de dominar na perfeição as montadas e de as utilizar na cara do toiro, em muitos momentos, como se de um capote ou uma muleta se tratassem. Trata os toiros por tu, encontra com facilidade incrível os terrenos e cravou um conjunto de ferros de muito bom nível a que se juntam momentos de enorme qualidade na brega e nos remates. Ainda que o risco seja minimizado pela escassa acometida dos toiros, a verdade é que com Pablo o dominio das montadas e dos toiros é de extraordinário mérito e toureirismo. No seu segundo as coisas não saíram tão bem apesar de alguns bons momentos na brega e de bons ferros.

 

Encerrou praça Tiago Carreiras, como ditam as regras. E se superou a emoção – viram-se as lágrimas na sua face no momento dos brindes – no toiro da alternativa, já no sexto não foi capaz de manter tão elevada bitola apesar da meritória lide que que desenvolveu. De parabéns o nóvel doutorado.


Quanto aos moços de forcado, complicaram-se algumas pegas. Os Amadores de Évora abriram praça com uma boa pega à 2ª por intermédio de Bernardo Patinhas, seguindo-se João Pedro Oliveira à terceira e António Alfacinha, enorme na forma com mandou na investida, recuou com o toiro e lhe corrigiu a investida na reunião, numa grande pega á primeira. Quanto aos Amadores de Vila Franca, abriu praça Flávio Henriques que só consumou à 3ª, Pedro Castelo  bem à 1ª e Márcio Francisco com muita determinação numa rija pega à primeira.

 

Direcção de Pedro Reinhardt marcada pela pouca sensibilidade na concessão de música e por um aviso a destempo numa das pegas (era a 2ª tentativa), assessorado pelo veterinário José Manuel Lourenço.