Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

FERIA DEL TORO EM PAMPLONA – CONHEÇA OS CARTÉIS

31.05.10 | barreiradesombra

São já conhecidos os cartéis de mais uma Feria del Toro em Pamplona, onde não faltarão os habituais encierros matinais. Os cartéis são os seguintes:

 

2ª Feira, 5 de Julho. Cr.Escribano, Juan del Álamo e David Silveti (Toiros de M. Domecq)


3ª Feira, 6. Rejones. Bohórquez, Hermoso e Sergio Galán (Toiros de Bohórquez)


4ª Feira, 7. Diego Urdiales, Luis Bolívar, Salvador Cortés (Toiros de Peñajara)


5ª Feira, 8.  Francisco Marco, Sergio Aguilar e Morenito de Aranda. (Toiros de Cebada)


6ª Feira, 9. Antonio Ferrera, Oliva Soto e Rubén Pinar (Toiros de Fuente Ymbro)


Sábado, 10. Iván Fandiño, David Mora e Joselillo (Toiros de Dolores Aguirre)


Domingo, 11. Padilla, Rafaelillo e Javier Valverde (Toiros de Miura)


2ª Feira, 12. Curro Díaz, El Juli e Alejandro Talavante (Toiros de Victoriano del Río)


3ª Feira, 13. El Cid, El Fandi e Miguel Tendero. (Toiros de El Pilar)


4ª Feira, 14. El Juli, Sebastián Castella e Perera (Toiros de Jandilla).

RESULTADOS DA ÚLTIMA SEMANA DE SAN ISIDRO

31.05.10 | barreiradesombra

2ª feira, 24 de Maio. Novilhos de Guadaira para Arturo Saldívar (silêncio em ambos), Luis Miguel Casares (silêncio em ambos) e Cristian Escribano (palmas e aviso e silêncio após aviso).

 

3ª feira, 25 de Maio. Corrida de la Prensa. Toiros de La Quinta, Núñez del Cuvillo, Domingo Hernández, Victoriano del Río, El Ventorrillo e Toros de Cortés, para El Juli (silêncio após aviso e silêncio), Miguel Ángel Perera (silêncio e silêncio) e Cayetano Rivera Ordóñez (silêncio e silêncio).

 

4ª feira, 26 de Maio. Toiros de Samuel Flores, 1º de Agustina López Flores, para Juan José Padilla (silêncio saludos após petição), Luis Miguel Encabo (silêncio e silêncio) e Iván García (silêncio e palmas após aviso).

 

5ª feira, 27 de Maio. Cinco toiros Javier Pérez-Tabernero e um sobrero (2º) de Conde de Mayalde, para El Fundi (silêncio e palmas), Sergio Aguilar (ovação e ovação) e Luis Bolívar (ovação após aviso e silêncio).

 

6ª feira, 28 de Maio. 4 toiros de Palha e dois (5º e 6º) de El Torreón, para Jesús Millán (silêncio e assobios), Fernando Robleño (assobios e orelha) e Francisco Javier Corpas (bronca e silêncio após aviso).

 

Sábado, 29 de Maio. Cinco toiros de Ganadería Marqués de Domecq e um sobrero (1º) de Cortijoliva, para El Fundi (silêncio e assobios), Rafaelillo (silêncio e silêncio) e Javier Valverde (silêncio e ovação).

 

Domingo 30 de Maio. Rejones. Cinco toiros de Los Espartales e um (6º) de Toros de Fermín Bohóquez, para Sergio Galán (orelha e ovação), Diego Ventura (duas orelhas e duas orelhas) e Leonardo Hernández (silêncio e saludos).

 

 

MOURA CAETANO (MELHOR LIDE) E DAVID VICENTE (MELHOR PEGA), OS MAIS DESTACADOS EM AZAMBUJA.BOM CURRO DE PAULO CAETANO

31.05.10 | barreiradesombra

O cavaleiro Moura Caetano e o forcado de Alenquer David Vicente foram os vencedores dos troféus Câmara Municipal de Azambuja à Melhor Lide e Junta de Freguesia de Azambuja à Melhor Pega, respectivamente pela lide a quinto da tarde e pela pega ao sexto e último exemplar da ganadaria de Paulo Caetano, novilhos que no geral deram boa nota e permitiram o êxito dos toureiros. A decisão do júri, composto pelos críticos tauromáquicos João Mascarenhas (Vida Ribatejana), Francisco Morgado (jornal Olé) e António Lúcio (Oásis FM) não foi fácil e o público afecto ao cavaleiro de Alenquer provocou divisão de opiniões na entrega do prémio da Melhor Lide.

 

Joaquim Bastinhas lidou o melhor dos seis cumpridores exemplares com ferro de Paulo Caetano. Abriu com dois compridos à tira após boa brega e deixou quatro curtos com a sua marca, sempre movimentada a lide e rematando com o de plamo e um par de bandarilhas por dentro. No quarto da ordem volta a repetir a dose, um pouco menos exuberante nas preparações mas com igual eficácia e remata com 2 de palmo e um par a duas mãos.

 

Moura Caetano esteve frente a seu primeiro com alguns altos e baixos na preparação e nas cravagens, vendo-se contudo com agrado nos curtos, rematando com dois de palm. Mas seria frente ao quinto que assinaria uma lide de maior importância e impacto na brega e na cravagem da ferragem com destaque para o terceiro em sorte cambiada de reunião justa e o quarto, em curto e frente com mérito pelos terrenos pisados.

 

O praticante Tiago Martins surpreendeu pela decisão e pela forma como lidou  terceiro da quente tarde em Azambuja. Bem na brega, cravou compridos com acerto e nos curtos procurou viagens rectas e cravagens a quarteio que, no geral, saíram bem, destacando-se no quarto, o melhor ferro da sua actuação. Sentiu algumas dificuldades frente ao sexto, notando-se algums nervosismo e nem sempre a ferragem ficou no novilho. Rematou com um de violino e outro de palmo.

 

Quanto aos moços de forcado de ambos os grupos, tiveram a tarefa facilitada pelas investidas nobres dos seis «caetanos». Pelos Amadores de Azambuja foram forcados de cara David Mouchão que concretizou à 2ª, André Miranda bem á 1ª e Vinicius Rodrigues também ao primeiro intento. Pelos do Clube Taurino Alenquerense, André Mata pegou o segundo d atarde à 1ª, tal como Pedro Coelho e David Vicente fechou com uma pega valente à 2ª, suportando dois derrotes mais fortes.

Como já acima referido, os novilhos de Paulo Caetano cumpriram no geral com destaque para o excelente primeiro da ordem.

 

Dirigiu a corrida José Tinoca coadjuvado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva numa tarde quente e em que a praça quase encheu.

CARTÉIS DA FEIRA DE SAN JUAN EM BADAJOZ

29.05.10 | barreiradesombra

Foram já apresentados os cartéis da Feira de San Juan em Badajoz, cujos espectáculos terão início a 19, prolongando-se até dia 24, com a novidade de uma novilhada sem picadores na tarde de 2ª feira 21 e com a presença do novilheiro português Joaquim Ribeiro “Cuqui”, a única presença portuguesa neste certame. Uma corrida de rejoneio a abrir a feira e a presença de muitas figuras de primeiro plano, marcam os cinco espectáculos maiores com as seguintes composições: 19.Junho – Toiros de Fermin Bohorquez para Fermin Bohorquez, Pablo Hermoso de Mendoza e Diego Ventura 20.Junho – Toiros de Montalvo para Israel Lancho, Ambel Posada e Julio Parejo 21.Junho – Erales de Bernardino Piriz para Joaquim Ribeiro “Cuqui”, Rafael Cerro, Carlos Maria, Jose Manuel Garrido, Ruben Lobato e Posada Maravillas 22.Junho – Toiros de Juan Pedro Domecq para Morante de la Puebla, El Fandi e Jose Maria Manzanares 23.Junho – Toiros de Daniel Ruiz para El Juli, Miguel Angel Perera e Alejandro Talavante 24.Junho – Toiros de Zalduendo para Enrique Ponce, Sebastian Castella e Cayetano

SANTARÉM GERA GRANDE EXPECTATIVA

25.05.10 | barreiradesombra

De acordo com a nota de imprensa da empresa Aplaudir, “A Feira da Capital do Ribatejo na Monumental Celestino Graça com 3 Grandiosas Corridas de Toiros está a criar, mais uma vez, enorme expectativa. Os bilhetes já se encontram à venda nos locais habituais e as reservas não param através do telefone 91 4094038 e pelo e-mail bilhetesaplaudir@mail.com.

Santarém e a sua Monumental continuam na moda e são o destino preferido dos aficionados nesta altura da Temporada. A Feira Nacional da Agricultura será inaugurada a 5 de Junho e decorre até ao dia 13 com um conjunto de atractivos fabuloso nomeadamente com os almejados Concertos, as famosas Largadas, Provas de Pericias de Campinos, Exposições de Cavalos e Éguas e muitissimo mais pelo que aconselhamos a consulta do Programa Definitivo.

Esperam-se centenas de milhares de pessoas em Santarém netes dias e junto da Monumental Celestino Graça haverá estacionamento em volta da Praça para comodidade de todos.

Lembramos que os preços desde 5 euros se mantêm sendo caso unico em Portugal e no Mundo Taurino!

 

Fotos de Pedro Cardoso de 3 dos toiros a lidar no dia 6.

 

 

TAUROLEVE ORGANIZA CORRIDA NO FORTE DA CASA

25.05.10 | barreiradesombra

A vila de Forte da Casa, freguesia de Vila Franca de Xira, receberá no próximo dia 10 de Junho uma corrida de toiros integrada nas Festas Anuais em Honra do Sagrado Coração de Jesús.

De cariz solidário, já que toda a receita proveniente do espectáculo reverterá

integralmente a favor do IAC – Instituto de Apoio à Comunidade, esta corrida junta no mesmo cartel três artistas de enorme valor artístico, como são o caso dos cavaleiros Ana Batista – em ano de comemoração do décimo aniversário de alternativa – e Ribeiro Telles Bastos, e o matador de toiros português António João Ferreira. As pegas desta tarde estarão a cargo dos amadores de Vila Franca e Salvaterra, capitaneados por Ricardo Castelo e Pedro Silva, respectivamente. Os toiros a lidar nesta corrida pertencem à prestigiada ganadaria de Oliveira, Irmãos.

A corrida tem inicio marcado para as 17 horas.

CORUCHE - BILHETEIRAS ABREM AMANHÃ

25.05.10 | barreiradesombra

A venda de bilhetes nas bilheteiras da praça de toiros de Coruche, para a corrida de sábado, dia 29, inicia-se quarta-feira às 12 horas, prolongando-se nos dias seguintes no horário 12h-21h. No dia da corrida, as bilheteiras abrirão às 10 horas mantendo-se em actividade ininterrupta até à hora do início da “1ª Grande Corrida das Confrarias”, integrada na Feira Internacional da cortiça. Organizada pela Sociedade Campo Pequeno, SA, a corrida conta com um cartel de luxo do qual faz parte a maior figura mundial do rejoneio actual, o espanhol Pablo Hermoso de Mendoza. O cartel integra também os cavaleiros António Ribeiro Telles, o expoente máximo do toureio a cavalo à portuguesa e o seu sobrinho, João Ribeiro Telles Júnior, um valor já confirmado da nova vaga de cavaleiros tauromáquicos. Pegam os valentes Grupos de Forcados Amadores de Montemor e de Coruche, capitaneados respectivamente por José Maria Cortes e Amorim Ribeiro Lopes e serão lidados seis bonitos toiros da ganadaria Passanha. Entretanto prossegue a venda de bilhetes nos locais já definidos, em Coruche, Vila Franca e em Lisboa. Em Coruche, continuam à venda no restaurante “O Farnel”, no Quiosque Hexágono e Tertúlia dos Forcados Amadores de Coruche. Em Vila Franca o local de venda é a Agência Arena. Em Lisboa, os bilhetes poderão ser adquiridos nas bilheteiras da praça de toiros do Campo Pequeno, Agência ABEP, El Corte Inglés, em www.ticketline.pt. e nas delegações da Agência Abreu.

DAR VOLTAS “PENDURADO” EM...

24.05.10 | barreiradesombra

 

Quando leio algumas das crónicas, e releio algumas das minhas, sobre corridas de toiros, sou confrontado, por vezes, com a expressão que «fulano deu volta à arena pendurado no forcado» e muito raramente se verifica o contrário, ou seja, que o forcado se “pendure” no cavaleiro para dar a volta à arena. No meu modesto entendimento a expressão «pendurado em» deveria estar sempre entre aspas pois é utilizada em sentido figurativo e, como tal, ninguém vai ao colo de outrém nem nele dependurado até porque em alguns casos seria bem díficil atendendo à estatura de alguns cavaleiros.

 

Poderá parecer que aquilo que vos escrevo/digo é uma anedota ou uma forma jocosa de passar o tempo com trocadilhos linguísticos tão ao gosto de uns quantos. Mas não. Quero apenas expressar alguns dos meus pontos de vista sobre a matéria.

 

  1. O cavaleiro, que já deu voltas e mas voltas à arena a cavalo e após cada ferro, salvo raras e contadas excepções, nunca faz muito finca-pé em que o forcado, que até nem esteve bem ou com uma pega que o toiro não permitiu o brilho e se concretizou só ao fim de algumas tentativas, o acompanhe;
  2. Normalmente, o forcado recolhe-se junto dos seus colegas e entrega o barrete ao cavaleiro;
  3. Se a lide do cavaleiro foi de fraco nível e a pega até foi boa, o forcado faz sempre questão de chamar o cavaleiro nem que seja para que este venha até aos médios;
  4. Se a lide foi razoável e a pega excelente, os dois dão volta e se há chamada aos médios, o forcado faz questão de chamar o cavaleiro;
  5. Se a pega foi extraordinária e a lide razoável e o público exige a segunda volta para o forcado, normalmente o que acontece?
    1. O forcado vai aos médios e chama o cavaleiro
    2. O cavaleiro aproveita a “embalagem” e a humildade do forcado e acompanha-o na volta

 

A minha pergunta é esta: por que motivos o forcado chama o cavaleiro se o público o quer premiar a ele com a segunda volta? Há alguma razão especial para que o forcado tenha sempre de chamar o cavaleiro? Não deveria dar volta sózinho à arena se o público assim o exige?

 

O forcado emancipou-se de alguma forma, é verdade. Mas continua a não agir em conformidade com o seu mérito na esmagadora maioria dos casos das voltas à arena. O prémio é seu, de mais ninguém. E se os forcados seguissem a vontade do público, não havia voltas de alguém “pendurado” em outrém.

Pág. 1/5