Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

FESTIVAL EM PONTE DO ROL A 15 DE MAIO

12.04.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

No próximo dia 15 de Maio, um sábado, haverá um festival aturino de homenagem ao Maestro José Júlio na localidade de Ponte do Rol, Torres Vedraas. Um festival misto com a presença dos cavaleiros Joaquim Bastinhas, Sónia Matias, Marcos Tenório e o praticante Marcelo Mendes, os matadores de toiros José Júlio e Sanchez Vara e o novilheiro aspirante Júlio Antunes. Pegam os Forcados Académicos de Elvas e do Clube Taurino Alenquerense e lidam-se toiros de Santa Maria, Dias Coutinho, Ortigão Costa, Lopes da Costa, Jorge Carvalho e José Dias.

ALTERNATIVA: UM PASSO MUITO SÉRIO!!! EMOÇÃO COM OS FORCADOS ESTA TARDE NO MONTIJO

10.04.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

O doutouramento em qualquer área do conhecimento exige um percurso académico consequente. Ninguém chega a doutor em leis ou em medicina, por exemplo, sem antes ter mostrado, num conujunto de exames anuais, reunir as condições necessárias para atingir tal patamar e distinção. O mesmo sucede com os toureiros: de amadores passam a praticantes e daí a profissionais de alternativa. Têm, e devem, percorrer um caminho de exigência cada vez mais apertada para poderem aspirar ao mais alto grau da carreira. É, pois, um passo muito sério e uma decisão que tem de ser tomada em consciência por todos quantos nela se envolvem.

 

Ana Batista cedeu o primeiro ferro da tarde a Joana Andrade, cavaleira praticante e aspirante à alternativa nesta tarde de 10 de Abril. O toiro, marcado com o nº 129, de 560kg e da ganadaria de Herds.Salvador Guardiola, tinha investidas de seda, suaves e sempre pronto a colaborar com investidas de classe. A aspirante a cavaleira de alternativa Joana Andrade deixou dois bons compridos e não passou do sofrível com os quatro curtos que deixou no toiro, deixando passar em claro uma possibilidade de triunfo apoteótico. E no que encerrou praça não deixou dúvidas aos bons aficionados que assim, sem conseguiur impor-se às montadas e com notórias insuficiências para cravar a ferragem, não deveria ter precipitado a prova da alternativa. Más tardes todos têm e pode ser que, com muito trabalho e dedicação, possa atingir um patamar acima do sofrível.

 

A cavaleira de Salvaterra, Ana Batista, teve por diante dois toiros de condição distinta e sentiu dificuldades face às investidas do primeiro do seu lote, em que havia de estar mais em curto e a favor da querença natural para cravar a ferragem. Entregou-se e andou esforçada mas sem conseguir o triunfo desejado, o que também não sucederia no quarto da ordem.

 

Manuel Caetano mostrou vontade de triunfo ao receber ambos os toiros em sortes de gaiola. Nem sempre as coisas lhe correram de feição e no seu primeiro os ferros ficaram muito dispersos sofrendo vários toques. No seu segundo sofreu uma aparatosa queda nos compridos e com a ferragem curta só nos de violino aqueceu as bancadas.

 

Três Grupos de Forcados estiveram em praça e foram eles os responsáveis pelos melhores momentos da tarde, com algumas pegas de bastante valor pela forma como os toiros entraram e derrotaram com força. Pelos da T.T.Montijo, abriu praça o cabo Márcio Chapa que concretizou boa pega à primeira e no quarto da tarde Luis Frieza foi desfeiteado várias vezes com derrotes secos e violentos, sendo emendado por José Martins, a sesgo e à 1ª. Os Amadores do Montijo viram como o cabo Ricardo Figueiredo consumava com valor à primeira e Pedro Santos viria também a consumar com êxito à primeira. Finalmente, pelos Amadores do Redondo, foram caras Roberto Mataloto que consumou à segunda e Nuno Oliveira numa boa pega de caras ao primeiro intento.

 

Os toiros de Herds. Slavador Guardiola tinham cinco anos (excepto o 5º com 4 anos), estavam bem apresentados e mansearam no geral, excepção ao excelente primeiro da tarde.

 

Direcção de Alberto Bartissol, condescendente na concessão de música, assessorado pelo veterinário Carlos Santos, bem na devolução do sexto toiro por coxeira.

 

 

CORRIDA DE GESTOS NA ABERTURA DA TEMPORADA NO CAMPO PEQUENO

10.04.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Entre antigas glórias e forcados actuais, oitenta homens perfilaram-se na arena do Campo Pequeno, envergando as jaquetas do grupo da capital, fundado que foi em 1944 pelo saudoso Mestre Nuno Salvação Barreto. Era a despedida de José Luis Gomes de cabo dos Amadores de Lisboa, tarefa que abraçara em 1992 e cujo testemunho lhe fora passado na mesma arena pelo saudoso Mestre. Primeiro gesto da noite: muitas das antigas glórias voltaram a fardar-se e a pisar a arena de Lisboa.

OS GESTOS E AS PEGAS

António Costa, Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, desceu á arena e sob cerrada ovação impôs a José Luis Gomes a Medalha de Mérito Municipal Grau Ouro (decisão unânime da edilidade em Setembro de 2009), estanado a assistir à corrida os secretários de Estado da Cultura Elísio Summavielle e da Segurança Social Idália Moniz. Segundo gesto da noite, secundado pela empresa da praça com a entrega de uma lembrança da efeméride.

 

Depois de José Luis Gomes ter pegado com decisão á primeira o que abriu praça, seguiu-se o momento – gesto – simbólico da troca de jaquetas. Momentos de muita emotividade e comoção ainda para mais quando o nóvel cabo é filho do seu antecessor. Pedro Maria Gomes envergava a jaqueta quando os outros forcados saltaram á arena para passearem José Luis Gomes em ombros. E como não bastasse, apesar de já retirado, Gonçalo Maria Gomes, o outro filho de José Luis, pegou de forma exemplar o terceiro toiro da corrida numa pega que fez levantar o público das bancadas. Francisco Mira e João Lucas, com sortes diversas, consumaram mais duas pegas e Pedro Miranda encerraria com chave de oiro a prestação dos forcados de Lisboa com uma excelente pega à córnea ao primeiro intento.

 

AS ACTUAÇÕES DOS CAVALEIROS

António Telles assinou duas actuações denro do seu estilo, procurando colocar os toiros com brega preciosa e de nível, cravando os compridos à tira e as séries de curtos em sortes frontais com quarteios bem marcados. Procurou interessar o primeiro nas montadas para deixar dois curtos de muito bom nível e no quarto da noite aqueceu as bancadas com bonitos momentos de brega e um excelente cite para o último curto de muito boa nota.

 

João Salgueiro mostrou uma brega de muita exigência para o cavalo e tentando submeter ao máximo o toiro para lhe cravar ferragem de muito mérito nos curtos, nomeadamenteo quarto que foi deixado em curto e de frente, com o toiro a rematar por cima da garupa do cavalo. No quinto da noite não teve muita sorte e cotou-se com uma exibição apenas para cumprir calendário, já que o toiro não lhe deu muitas opções.

 

O espanhol Leonardo Hernandez não esteve acertado no seu primeiro sofrendo demasiados toques em actuação vulgar e muito abaixo das suas capacidades. No que encerrou praça não esteve com a mão afinada  e as cambiadas a alta velocidade surtiram efeito apenas naquela franja de público que tudo aplaude e pouco entende do que é o toureio.

 

OS TOIROS

A definição do que é bravura não é, nunca foi e dificilmente o será, consensual. E o critério de aferição da mesma pela capacidade de luta (a combatividade), a resposta rápida aos estímulos, o não pensar (tardar) antes de investir, as viagens rectas e sem procurar outros caminhos, a forma como humilha ou mete a «cara», etc, também terá muitas e variadas interpretações dada a subjectividade do tema. Na verdade, os toiros de Pégoras, bem apresentados e de 4 anos cumpridos, tiveram um comportamento de mansos (ou de ausência de bravura), reservados alguns, a escarvar quase todos e a buscar o refúgio das tábuas noutras tantas ocasiões. Se é verdade que não tiveram maldade ou o chamado «perigo surdo», também o é que não ajudaram a que o êxito artístico fosse de outro quilate.

 

A DIRECÇÃO DE CORRIDA

A direcção de corrida esteve a cargo dos delegados técnicos tauromáquicos Manuel Jacinto e Jorge Moreira da Silva (veterinário) e decorreu sem problemas, excepção feita à concessão de música na segunda parte, não tendo mantido o elevado rigor e critério que havia colocado – e muito bem – na primeira parte do espectáculo.

OS “PÉGORAS” PARA HOJE EM LISBOA

08.04.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Estes são os dados dos toiros de “Pégoras” para a corrida desta noite em Lisboa, com transmissão directa na RTP1, a  partir das 22horas.

 

 

Nome

 

 

Pelagem

 

 

Data Nasc.

 

 

Nº de Costado

 

 

Peso Kg.

 

 

Tropelias

 

 

Flavo bragado corrido

 

 

Dez-05

 

 

191

 

 

505

 

 

Barcaço

 

 

Castanho

 

 

Dez-05

 

 

192

 

 

495

 

 

Almargem

 

 

Castanho

 

 

Dez-05

 

 

205

 

 

528

 

 

Mirabolante

 

 

Preto Bragado

 

 

Dez-05

 

 

209

 

 

490

 

 

Alumbrado

 

 

Castanho

 

 

Dez-05

 

 

228

 

 

556

 

 

Gallito

 

 

Flavo

 

 

Jan-06

 

 

230

 

 

520

 

 

Siniestro

 

 

Castanho

 

 

Jan-06

 

 

236

 

 

586

 

 

 

 

 

 

DEFINIDO O CARTEL DO III FESTIVAL LUIS FAGUNDES EM ANGRA

08.04.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Como já noticiámos, o III Festival Luis Fagundes, organizado pelos Forcados do Ramo Grande (Açores), terá lugar no dia 21 de Maio na Monumental de Angra do Heroismo e o cartel está rematado da seguinte forma: Tiago Pamplona, Alexandre Gomes e Marcelos Mendes, Forcados do Ramo Grande e novilhos de Rego Botelho e Ezequiel Rodrigues.

SÁBADO NO MONTIJO - ALTERNATIVA DE JOANA ANDRADE

07.04.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

De acordo com Nota Informativa da Aplaudir, « É já no próximo sábado a tão almejada Cerimónia de Alternativa da Cavaleira Joana Andrade. Natural do Montijo (Atalaia) mas radicada no Redondo Joana Andrade é um caso de preserverança e muita vontade em se afirmar neste dificil mundo da Tauromaquia. Terá como Madrinha  a já famosa Ana Batista que este ano comemora o seu décimo aniversário de Alternativa e como Testemunha o jovem Manuel Caetano o cavaleiro tremendista que surpreende tudo e todos com a sua garra. Os toiros estão muito bem apresentados com 4 e 5 anos e com toda a certeza que darão bom jogo. Para as Pegas os Forcados da Tertulia do Montijo, Amadores do Monbtijo e os Amadores do Redondo que se estreiam neste importante compromisso.

Lembramos que os bilhetes estão já a venda nos locais habituais e com preços para todos desde 10 euros!!!
A Aplaudir mantem a sua politicade preços baixos acessiveis a todos pois só assim se poderá dar continuidade à nossa Festa!!!»

ARRANCA A TEMPORADA EM LISBOA

07.04.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra
É já amanhã, dia 8, que arranca mais uma temporada na praça de toiros da capital e com um interessante cartel. De destacar a despedida de José Luis Gomes como cabo dos Forcados Amadores de Lisboa, responsabilidade que havia recebido em 1992 das mãos do saudoso Nuno Salvação Barreto, primeiro cabo e único cabo desde a fundação do grupo em 1944. «Barreira de Sombra» acompanhará a par e passo esta corrida e a temporada lisboeta, podendo os aficionados aceder á crónica e fotos no dia seguinte ao espectáculo.

FORCADOS DE ARRUDA EFECTUARAM 2º TREINO DO ANO

06.04.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Com vista à preparação da temporada e após a sua presença no festival da Tertúlia "O Piriquita", o Grupo de Forcados Amadores de Arruda dos Vinhos efectuou um treino no passado sábado de Páscoa, dia 3, na Quinta da Chapuceira, propriedade do aficionado empresário Álvaro Silva, e onde está sediado o cavaleiro praticante Marcelo Mendes. Participaram cerca de 20 dos 26 elementos que compõem o agrupamento arrudense e aqui ficam algumas fotos do treino.

Fotos: António Lúcio

Pág. 4/4