Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

CRIADA A SECÇÃO DE TAUROMAQUIA NO CONSELHO NACIONAL DE CULTURA

18.03.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

Transcrevemos na íntegra o despacho que cria a Secção de Tauromaquia no Consleho Nacional de Cultura:
Diário da República, 2.ª série — N.º 36 — 22 de Fevereiro de 2010 7731
Despacho n.º 3254/2010
No âmbito do Programa de Reforma da Administração Central do Estado (PRACE), criado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 124/2005, de 4 de Agosto, cujas orientações gerais e especiais para a reestruturação dos ministérios foram consagradas na Resolução do Conselho de Ministros n.º 39/2006, de 21 de Abril, preconiza -se,
designadamente, a concentração dos órgãos de natureza consultiva, evitando assim a pulverização actual e privilegiando o funcionamento por secções especializadas. Estabelece -se ainda como orientação geral que, sempre que as funções consultivas ou de coordenação se relacionem com várias ou todas as atribuições prosseguidas pelo ministério, deverão as mesmas ser concentradas junto do respectivo ministro.
 
Foi, pois, neste propósito que o Decreto -Lei n.º 215/2006, de 27 de Outubro, que aprova a orgânica do Ministério da Cultura, instituiu o Conselho Nacional de Cultura como órgão consultivo do Ministério da Cultura, regido pelo Decreto Regulamentar n.º 35/2007, de 29 de Março. Este órgão colegial, que funciona em plenário e secções especializadas, resulta assim de um processo de racionalização e simplificação das estruturas de apoio à governação, aglutinando os órgãos da mesma natureza que até aí apoiavam o membro do Governo responsável pela área da cultura.
 
Sem prejuízo das secções especializadas criadas pelo Decreto Regulamentar n.º 35/2007, de 29 de Março, o membro do Governo responsável pela área da cultura pode, por despacho, criar outras secções especializadas desde que para tanto o respectivo despacho de criação
indique a área de intervenção, o tipo, a composição, a periodicidade de funcionamento e o respectivo presidente.
 
Reconhecendo a tradição da tauromaquia em Portugal, o legislador regulou, nos termos do disposto nos Decretos -Leis n.os 306/91, de 17 de Agosto, e 80/97, de 8 de Abril, e no Decreto Regulamentar n.º 81/2007, de 30 de Junho, a actividade de licenciamento, fiscalização e direcção de corrida dos espectáculos tauromáquicos, atribuindo à Inspecção –Geral das Actividades Culturais a função tripartida de assegurar esta actividade naqueles três domínios. Neste contexto, é fundamental que existam instrumentos que contribuam, no âmbito das políticas públicas, para a normal e digna realização dos espectáculos tauromáquicos, preservando a sua integridade e garantindo o bom relacionamento entre os vários agentes. Aspecto igualmente indissociável desta actividade é a salvaguarda
da segurança dos agentes envolvidos.
 
Neste quadro e no âmbito do Conselho Nacional de Cultura, afigura-se necessário criar uma secção especializada de tauromaquia, que integre especialistas de reconhecido mérito e representantes de entidades ligadas ou associadas ao sector, com a missão de apreciar e emitir pareceres e recomendações sobre questões relativas à concretização de políticas, objectivos e medidas a desenvolver na área da tauromaquia.
 
Assim:
Nos termos do disposto nos n.os 5 e 6 do artigo 4.º do Decreto Regulamentar n.º 35/2007, de 29 de Março, determina -se o seguinte:
1 — É criada a Secção de Tauromaquia como secção especializada permanente, no âmbito do Conselho Nacional de Cultura.
2 — A secção de tauromaquia é composta pelos seguintes elementos:
a) O inspector -geral das Actividades Culturais, que preside;
b) O director -geral das Artes;
c) O director -geral de Veterinária ou um representante por ele designado;
d) O director -geral da Saúde ou um representante por ele designado;
e) O bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários ou um representante
por ele designado;
f) Um representante da Associação Nacional dos Municípios Portugueses;
g) Um representante do Sindicato Nacional dos Toureiros Portugueses;
h) Um representante da Associação Nacional de Grupos de Forcados;
i) Um representante da Associação Portuguesa de Empresários Tauromáquicos;
j) Um representante da Associação Portuguesa de Criadores de Touros de Lide;
k) Um representante da Associação de Médicos Veterinários com Actividade Taurina;
l) Um representante da Associação Tauromáquica dos Directores de Corrida;
m) Um representante da União Internacional das Cidades e Vilas Taurinas;
n) Três individualidades de reconhecido mérito, tendo em conta a sua experiência e conhecimentos em matérias relacionadas com a tauromaquia.
3 — O presidente da Secção de Tauromaquia designa um vice-presidente de entre os restantes membros da Secção.
4 — Compete à Secção de Tauromaquia:
a) Apoiar o membro do Governo responsável pela área da cultura no desenvolvimento das linhas de política cultural para o sector da tauromaquia;
b) Acompanhar e efectuar o balanço da temporada tauromáquica, propondo as medidas necessárias ao seu bom desenvolvimento e à correcção de desvios;
c) Apresentar, debater e emitir recomendações que permitam uma constante adequação da actividade tauromáquica às necessidades do sector;
d) Apreciar e debater as propostas legislativas ou regulamentares que lhe sejam submetidas pelo membro do Governo responsável pela área da cultura;
e) Favorecer o diálogo entre todos os agentes ligados ao sector e propor medidas que contribuam para uniformizar práticas e comportamentos que disciplinem e dignifiquem a actividade tauromáquica.
5 — A Secção de Tauromaquia reúne em sessões ordinárias, de acordo com a periodicidade definida no regulamento interno.
6 — Sem prejuízo do disposto no número anterior, a Secção de Tauromaquia reúne sempre que convocada pelo membro do Governo responsável pela área da cultura.
7 — O presente despacho produz efeitos a 11 de Fevereiro de 2010.
 
11 de Fevereiro de 2010. — A Ministra da Cultura, Maria Gabriela
da Silveira Ferreira Canavilhas.

CAMPO PEQUENO DEU INICIO A CICLO DE CONFERÊNCIAS TAURINAS COM “CARTEL DE NO HAY BILLETES”

18.03.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra
Com o Salão Nobre completamente cheio, iniciou-se quinta-feira a noite o Ciclo de Conferências Taurinas promovido pela empresa do Campo Pequeno. O tema da primeira conferência “O Toiro Bravo. Da selecção de vacas e sementais até à praça. O conceito de bravura”, foi desenvolvido pelo Doutor Joaquim Grave, ganadero e proprietário da divisa Murteira Grave. Mercê de uma brilhante exposição, Joaquim Grave abordou factores envolventes à criação do toiro de lide e explicitou o seu conceito de bravura, após o que se seguiu um animado diálogo com a plateia. Falando com o profundo conhecimento de causa que lhe advém da tradição familiar, do seu percurso académico e de investigador na área da criação do toiro de lide, Joaquim Grave conseguiu transpor para a interessada assistência, além de importantes conceitos técnicos, a sua paixão pela actividade ganadera. Fez a apresentação do orador e moderou o debate, o antigo forcado Tancredo Pedroso. O ciclo prossegue nos dias 11 e 25 de Março, com temas dedicados à corrida à portuguesa e à corrida integral, respectivamente. O acesso às conferências é gratuito, mas sujeito a inscrição, sendo estas aceites através do e-mail tauromaquia@campopequeno.com ou pelo número de telefone 21 799 84 56/0, e sujeitas a confirmação.

...

18.03.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

Será inaugurada no dia 6 de Março em Santarém, na Galeria Principal da Casa do Brasil, uma mostra de pintura de João Pereira sob o tema “Emoções”.
 

 

...

18.03.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

 

A equipa da revista “Ruedo Ibérico” escolheu os nomeados nas diversas categorias para premiados relativamente á temporada de 2009 e os leitores elegeram os que consideraram terem sido os melhores em cada categoria, ficando assim ordenada a classificação por categoria:
 Cavaleiro de Alternativa:
Luís Rouxinol, 41,9%
António Telles,
João Salgueiro,
Manuel Lupi,
 
Cavaleiro Praticante:
Marcelo Mendes, 41%
Tiago Carreiras,
Tomás Pinto,
Isabel Ramos
 Cavaleiro Amador:
Manuel Vacas de Carvalho, 32,1%
Mateus Prieto,
Miguel Moura,
Verónica Cabaço,
 
Cavaleiro Revelação
Marcos Bastinhas, 31,2%
Filipe Gonçalves
Duarte Pinto,
João Salgueiro da Costa,
 Toureio a Pé
João Augusto Moura, 44%
Luís Vital “Procuna”
Daniel Nunes,
Manuel Dias Gomes,
 
Bandarilheiros
Pedro Paulino “China”, 25,3%
Cláudio Miguel,
Pedro Gonçalves
David Antunes,
Grupos de Forcados:
Amadores de Montemor, 47,5%
Amadores de Vila Franca,
Amadores do Aposento da Moita,
Amadores de Santarém,
 
Grupos de Forcados (Revelação)
Amadores de Arronches, 38%
Amadores de Beja,
Amadores de Arruda dos Vinhos,
Amadores do Aposento de Tomar,
Empresa
Aplaudir, 35,2%
Sociedade Campo Pequeno,
Gestoiro,
Terra Brava,
 
Ganadaria
Murteira Grave, 27,9%
Palha
Pégoras
Falé Filipe,
 Homenagens a D. António Picamills, Miguel Alvarenga, Programa "3 Tércios" e Tertúlia Nossa Senhora do Carmo de Sousel 

MUDÁMOS PARA O SAPO.PT

18.03.10 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Depois de por várias vezes o antigo alojador do nosso blogue não ter sido capaz de resolver problemas de suporte técnico em tempo útil, com natural prejuízo da informação que, por esta via veiculamos aos nosso aficionados leitores, mudámos para o Sapo.pt. Agora o "Barreira de Sombra" está acessível em bhttp://barreirade sombra.blogs.iol.pt.