Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

NOITE DE GRANDES PEGAS DE CARAS E BOM TOUREIO

05.08.11 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros do Campo Pequeno – 04.08.11               

Director: Pedro Reinhardt – Veterinário: José Manuel Lourenço – Lotação: ¾

Cavaleiros: Luís Rouxinol, João Cerejo, Sónia Matias, Pedro Salvador, Moura Caetano, Manuel Telles Bastos

Forcados: Tomar, Cascais, Turlock

Ganadaria: David Ribeiro Telles

 

NOITE DE GRANDES PEGAS DE CARAS E BOM TOUREIO

 

Em homenagem ao emigrante, a corrida de 5ª feira no Campo Pequeno, teve grandes momentos na concretização das pegas de caras e três actuações de grande nível a cargo de Luís Rouxinol, Manuel Telles Bastos e Moura Caetano, secundados por João Cerejo, Sónia Matias e Pedro Salvador, frente a toiros sérios, com idade, peso e trapio de David Ribeiro Telles, mansotes mas com casta e a aplicarem-se fortemente no momento das pegas. João Cerejo confirmou a alternativa frente ao toiro nº 65, de 506kg e com o nome de «Caramelo», sendo este o melhor dos seis coma divisa da Torrinha.

 

Luis Rouxinol foi o autor da melhor lide da noite. Mexeu bem com o toiro em brega cuidada e a procurar interessá-lo nas montadas para depois cravar com acerto os compridos e destacar-se na série de curtos, de frente, a encurtar distâncias e a cravar em terrenos de compromisso. Finalizou com um bom par de bandarilhas e mostrou uma vez mais o seu real valor.

 

João Cerejo actuou por diante dos seus alternantes por confirmar a alternativa e fê-lo com uma lide certinha, sem arriscar muito frente ao melhor toiro da corrida, aproveitando a bondade das suas investidas para cravar a ferragem da ordem. Nota positiva para a sua prestação.

 

Sónia Matias teve uma actuação de raça mas pouco certeira na cravagem da ferragem. Abordou bem o toiro na brega e no desenho das sortes e só na fase final conseguiu dois bons ferros, rematando com os de violino tão do agrado da generalidade do público.

 

Pedro Salvador também não teve um toiro fácil por diante e só a espaços conseguiu o necessário entendimento de terrenos e distâncias para deixar dois bons ferros em sortes cambiadas com mérito. Agradou no geral.

 

João Moura Caetano foi de menos a mais na sua lide. Acoplou-se melhor às investidas do toiro na ferragem curta onde houve muitos bons momentos em sortes frontais em que as curtas distâncias obrigavam o toiro a investir. Muito mérito na cravagem de dois curtos de frente e muito bem rematados.

 

Manuel Telles Bastos voltou a mostrar o seu valor e mérito na lide séria e de muito critério ao último da noite. De frente, a deixar-se ver e a carregar a sorte em terrenos de compromisso, deixou a série de curtos, de muito bom nível e com imensa classe, fazendo soar as ovações e merecendo lugar de destaque nesta corrida.

 

Para as pegas anunciaram-se em competição três Grupos de Forcados: Tomar, Cascais e Turlock. E os homens das jaquetas de ramagens levaram emoção às bancadas em cada pega de caras concretizada, algumas delas com os toiros a baterem forte. Os Amadores de Tomar abriram praça com uma boa pega de Hélder Parker à 3ª tentativa, e no 4º toiro, protagonizaram o momento alto da noite com a pega de caras de Henrique Ferreira, ao primeiro intento e a suportar fortes derrotes. Pelos Amadores de Cascais Joel Zambujeira esteve seguro e concretizou uma boa cara á 1ª, enquanto Bruno Cantinho também á primeira suportou fortes derrotes e protagonizou outro dos momentos altos da noite. Pelos californianos de Turlock Jorge Martins só à 3ª concretizou e Michael Lopes fechou-se com determinação ao primeiro intento.

 

Na direcção do espectáculo esteve a dupla de delegados técnicos tauromáquicos Pedro Reinhardt e José Manuel Lourenço, com a praça a registar ¾ fortes de lotação preenchidos.