Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

RATES/PÓVOA DE VARZIM - 2ª. CORRIDA INTEGRADA NA AGROLEITE 2011 - OS ÚLTIMOS FORAM OS PRIMEIROS

18.07.11 | António Lúcio / Barreira de Sombra

O último toiro, foi o melhor. O último cavaleiro, Pedro Salvador, foi o melhor. A última pega, a única ao primeiro intento, por André Mata do Grupo de Alenquer, foi a melhor.

 

Com mais de três quartos de casa, a tarde de domingo, com sol q.b., teve no vento norte, a conhecida nortada poveira, um companheiro à altura. Tinha criado expectativa a corrida integrada na Agroleite, e que conta com o apoio generoso da Leicar, cooperativa leiteira sediada na Freguesia/Vila poveira, responsável pelo evento.

 

Pedro Salvador, que substituiu Joaquim Bastinhas, lidou o segundo e o sexto e último da tarde. Cumprindo com asseio nos dois compridos com que iniciou a tarde, só o primeiro dos três curtos, foi aceitável. Com dois bons compridos no último da tarde, deixou cinco ferros curtos num crescendo de muito boa nota para os três últimos. Não desmereceu ter sido chamado na substituição.

 

Marco José, que lidou ou tentou lidar, o primeiro e o quinto, teve nos dois de palmo que cravou no seu primeiro, um ar de graça. No quinto começou muito mal, o toiro é da cabeça até ao rabo, mas não vale exagerar. Redimindo-se do desnorte, cravou o segundo e terceiro curtos com boa preparação, rematando com um violino com boa nota.

 

O praticante Tiago Martins, a quem coube a lide do terceiro da tarde, mostrou vontade e entrega de quem quer competir, lidando e cravando com moderação.

 

Cristina Marques, teve pela frente o pior da tarde, distraído e rezingão. E como sem ovos não se fazem omeletas, Cristina intentou três compridos de recurso, e três curtos prolongados, que o toiro de Santos Silva estava virado para os vultos na trincheira e não queria ser incomodado.

 

Pegaram os Grupos de Forcados do Ribatejo e de Alenquer, capitaneados por, João Machacaz e Jorge Vicente. Aos do Ribatejo tocaram em sorte o 1º., pegado por Manuel Freitas à segunda, com uma ajuda a carregar. O 3º., por André Martins, à 4ª. só possível com a preciosa ajuda do cabo. E o 5º., agarrado à 7ª. tentativa por Bruno Cruz, um valente, que dobrou João Guerreiro, a quem coube em sorte  e saiu muito combalido no primeiro intento. O grupo de Alenquer, também não teve peras doces. Telmo Frazão só pegou o 2º. da tarde à 3ª. e com uma boa ajuda a carregar. Jaime Mendes só resolveu a papeleta do 4º. ao sexto encontro. O último da tarde proporcionou uma grande pega a André Mata.

 

O curro de toiros da ganadaria do senhor Santos Silva, igualados no peso e na apresentação, deram a lide possível a quem os entendeu. Bravos e com pata, agradaram.

 

O espectáculo, que decorreu numa praça desmontável, foi dirigido pelo Sr. Nuno Nery com acerto e cuidado, assessorado pelo veterinário, dr. Alexandre Carvalho.

 

Texto e Fotos: José Andrade