Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

MAU TEMPO E POUCO PÚBLICO EM SOBRAL

17.07.11 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros de Sobral de Monte Agraço -  16.07.11

Director: António Garçôa – Veterinário: Jorme M. Silva – Lotação: ½ casa

Cavaleiros: Rui Salvador, João Salgueiro, Duarte Pinto, Mateus Prieto

Forcados: Vila Franca, Ap. Chamusca

Ganadaria: Jorge Carvalho (7)

 

O mau tempo que se fez sentir ao final do dia, com chuviscos que foram ganhando intensidade em alguns momentos da corrida, afastou algum público daquela que era a primeira corrida de toiros transmitida em directo a partir de Sobral de Monte Agraço, praça com quase 90 anos de existência. Assistimos assim a uma corrida com alguns bons momentos de toureio e acima de tudo boas pegas de caras e onde Salgueiro e Duarte Pinto estiveram acima da média cada um com um toiro a permitir o luzimento, enquanto o jovem Mateus foi de menos a mais na lide e Rui Salvador teve de mostrar a sua garra e raça para se impor aos seus dois toiros.

 

Coube a Rui Salvador abrir praça ante o mais manso dos sete toiros de Jorge Carvalho lidados nesta fria e molhada noite. Teve de sacar de todos os seus recursos e das suas montadas para deixar a ferragem da ordem. No seu segundo conseguiu melhores momentos mas também à custa de muita entrega e raça. Foi o «desafortunado» do sorteio.

 

João Salgueiro consegui uma grande actuação no seu primeiro, deixando excelente ferragem em sortes frontais, com mérito a entrar nos terrenos do toiro e sendo justamente aplaudido. No seu segundo não conseguiu maner tão elevada bitola mas mesmo assim creditou-se com ferros de muito boa nota e saindo em bom plano.

 

Duarte Pinto manteve o seu estilo habitual, sem grandes concessões, sóbrio e eficaz. Cravou bons ferros em ambos os toiros, com boas preparações e remates e deixou bom ambiente.

 

Mateus Prieto foi de menos a mais na sua lide, irregular com os compridos e o primeiro curto mas depois a encontrar os melhores terrenos e distâncias para terminar com dois de violino que entusiasmaram o público.

 

Os Forcados Amadores de Vila Franca concretizaram com eficácia 4 pegas de caras por intermédio de Pedro Castelo (2ª tentativa), Rui Godinho (1ª), Flávio Henriques (1ª) e Rui Graça (1ª), enquanto que pelos do Aposento da Chamusca foram à cara dos toiros Pedro Coelho dos Reis (1ª), João Rui Salgueiro (muito bem a recuar e a tourear a ensarilhada investida do toiro e a fechar-se à 1ª), e Francisco Montóya (1ª).

 

Os toiros do Engº. Jorge de Carvalho estavam bem apresentados, cumprindo os saídos em segundo, terceiro e quarto lugares, manso e complicado o primeiro e mansotes os restantes.

 

Direcção acertada e sóbria de António Garçôa, assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.