Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Praça de Toiros “Coliseu Rondão de Almeida” - Elvas – 22/09/18 - Corrida de Toiros

Director: Agostinho Borges – Veterinário: José M. Guerra – Lotação: ESGOTADA

Cavaleiros: Paulo Caetano, Joaquim Bastinhas, João Moura Caetano, Marcos Bastinhas

Forcados: Évora, Académicos de Elvas

Ganadarias: Paulo Caetano (1º, 4º), Rodolfo Proença (2º, 3º, 5º, 6º)

IMG_3993.JPGLIÇÕES DE CÁTEDRA DE PAULO CAETANO E JOAQUIM BASTINHAS 

Cartel de máxima expectativa. A possibilidade de ver actuar, de novo, Paulo Caetano a par de Joaquim Bastinhas. Lotação esgotada com antecedência…. Uma grande noite de toureio. Duas lições de cátedra, quais lições de sapiência de um professor catedrático á beira da jubilação. Momentos inolvidáveis que estiveram a cargo dos dois veteranos cavaleiros. A classe e a souplesse da equitação de Paulo Caetano, aliadas a um entendimento perfeito das boas condições de lide do seu toiro, com seu ferro, da escolha dos terrenos mais idóneos para o colocar e a abordagem perfeita das sortes com cravagem dos ferros num estilo clássico de entradas ao pitón contrário e de muito temple. Não foram, por isso, estranhas as fortes ovações que recebeu durante a lide, muito intensa e muito bem medida no tempo, e na volta que deu com o forcado.

 

Também Joaquim Bastinhas, qual D. Sebastião, regressou às arenas e a sua passagem por esta corrida fica marcada por uma grande lição de toureio, fiel aos cânones mas também aos seus princípios que impõem um ultrapassar das normas, no sentido positivo, quer na forma como recebeu o seu bom toiro, com ferro de Paulo Caetano, á porta dos currais e o levou embebido na garupa do cavalo e deixou preparado para os compridos. E se este início de lição já foi ao som do pasodoble com o seu nome, as ovações sucederam-se pois foi tudo muito bem medido e intenso, templando as sortes e cravando bons ferros, não deixando de cravar um par de bandarilhas a rematar esta triunfal e aplaudidíssima actuação de um toureiro que regressa em grande.

 

Depois das catedráticas lições, o panorama não ficava fácil para os mais novos. Moura Caetano não teve uma actuação feliz no seu primeiro com demasiadas passagens em falso para deixar os ferros, mas no que foi segundo do seu lote, de Rodolfo Proença, esteve em bom plano na brega e na cravagem da ferragem da ordem sob as ovações do público.

 

Marcos Bastinhas cumpriu a função frente ao segundo da ordem com dois bons curtos e rematou de violino a sua actuação. No que encerrou praça voltou a cumprir  e rematou a sua actuação com dois bons pares de bandarilhas.

 

No capítulo das pegas estiveram em praça os Amadores de Évora e os Académicos de Elvas com boas pegas de caras. Por Évora foram caras Miguel Direito à segunda, e António Torres e José Maria Caeiro ambos à primeira. Pelos Académicos de Elvas foram caras António Machado à 1ª, Gonçalo Machado à 2ª e André Bernardino à 1ª.

 

Foram bons os dois toiros de Paulo Caetano e cumpriram em diversos graus os de Rodolfo Proença.

 

Dirigiu o espectáculo Agostinho Borges assessorado pelo veterinário José Miguel Guerra.

Texto e Foto: António Lúcio