Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

CANAS VIGOROUX RECEBEU PRÉMIO «BRAVURA» EM ÉVORA E PALHA O DE APRESENTAÇÃO. JOÃO PEDRO SOUSA AUTOR DA MELHOR PEGA

29.05.11 | barreiradesombra

Praça de Toiros de Évora – 27.05.11

52º Concurso de Ganadarias

Director:  Agostinho Borges – Veterinário Matias Guilherme – Lotação: - ½ casa

Cavaleiros:  João Moura, Vitor Ribeiro, Marcos Bastinhas

Forcados: Évorta, Alcochete

Ganadarias:  Palha, Fernandes de Castro, Grave, Passanha, Pégoras, Canas Vigoroux

 

Foi um bom concurso de ganadarias o 52º de Évora, em que houve toiros a darem bom jogo e permitam mais do que aquilo que os cavaleiros fizeram e a RTP mostrou, numa transmissão marcada por muitas falhas de imagem... Canas Vigoroux, com o toiro «Sérvio» saído em 6º lugar e que pesou 500 kg, foi o justo vencedor do prémio “Bravura”, enquanto o de Palha saído em 1º lugar e com 610 kg levou o prémio “Apresentação”. No capítulo das pegas, João Pedro Sousa (Alcochete) foi justo vencedor do troféu, pela forma como consumou a pega de caras ao 4º da noite.

 

Em primeiro lugar saíu “Cartolino”, nº 320, 610kg, de Palha, bonito de tipo, a cumprir bem, com nobreza e suavidade durante a lide que lhe foi ministrada por João Moura, o qual se houve a contento.

 

O segundo da ordem era de Fernandes de Castro, com 555 kg, nº 148 e de nome “Voluntário”. Não o foi tanto como isso, mostrando-se distraído mas carregando após os ferros que Vítor Ribeiro lhe deixou numa lide sem grandes destaques.

 

Em terceiro lugar saíu o de Grave, de nome “Franciscano”, nº 125 e 550 kg, bonito de tipo, na antiga linha da ganadaria, reservado e sem ganas de investir. Marcos Bastinhas destacou-se no par de bandarilhas com que rematou a sua actuação.

 

De Passanha era o  quarto da ordem, de nome “Fogonero”, marcado com o nº 44 e 603 kg, um toiro que teve qualidade e onde João Moura cravou a preceito e em crescendo.

 

O quinto foi de Pégoras, de nome “Retratista”, nº 57 e 560 kg, de bom tipo, com presença e a cumprir na lide de Vítor Ribeiro que o recebeu com um ferro em sorte de gaiola e desenvolveu razoável lide.

 

Finalmente o de Canas Vigoroux, de nome “Sérvio”, 500kg, marcado com o nº 222, e que foi em crescendo, com casta, enraçado e impondo respeito e com Marcos Bastinhas a corresponder.

 

Pelos Amadores de Évora foram solistas Bernardo Patinhas à 1ª, António Alfacinha à 2ª e Manuel Rovisco à terceira, enquanto que pelos de Alcochete foram á cara dos toiros Fernando Quintela, à 1ª tal como João Pedro Sousa e Vasco Pinto consumou ao segundo intento.

 

Direcção acertada de Agostinho Borges assessorado pelo veterinário Matias Guilherme perante cerca de meia casa.