Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

LISBOA - EXTRAORDINÁRIA COMPETIÇÃO IBÉRICA DE TOUREIO A CAVALO

27.04.11 | barreiradesombra

Duas escolas e três estilosem competição. A”Arte de Marialva” vai estar mais uma vez em confronto directo com o rojoneio,  na corrida de quinta-feira 5 de Maio, no Campo Pequeno, através de dois estilos diferentes: O classicismo de António Ribeiro Telles e a modernidade de João Moura Júnior defendem a tradição da Arte de Marialva, enquanto Pablo Hermoso de Mendoza representa o rojoneio levado ao grau sublime

 

António Ribeiro Telles é, na actualidade, o máximo expoente da tradição equestre tauromáquica portuguesa, pela forma como se apresenta em praça, pelo apurado nível da sua equitação e pela frontalidade do seu toureio. Na sua postura em sela há ainda reminiscências dos fidalgos de outrora; na sua equitação existe o “dedo” de dois grandes Mestres (Nuno de Oliveira e David Ribeiro Telles, seu pai); no toureio pratica a regra de ouro: citar de largo dar prioridade de investida ao toiro, partir recto e rematar de alto abaixo e ao estribo!

 

Em João Moura Júniorencontramos profundas influências da tauromaquia que seu pai, João Moura, desenvolveu e consolidou ao longo de uma carreira de mais de trinta anos de êxitos sucessivos por todo o mundo taurino e que o alcandoraram ao estatuto de figura de época. João Moura Júnior é o continuador natural desta evolução artística que tem contribuído aproximar de uma forma, cada vez mais visível, as escolas portuguesa e espanhola, no que ao toureio a cavalo diz respeito.

 

Pablo Hermoso de Mendoza tem uma tauromaquia muito pessoal, no que respeita ao modo como sente e interpreta o toureio a cavalo. Tem profundas raízes lusitanas o seu toureio a cavalo…desde a escolha das suas montadas (quase todas Puro Sangue Lusitano) à forma frontal como aborda os toiros e consuma as sortes. Nos últimos anos, Pablo entrou, definitivamente, no número restrito das grandes figuras mundiais do toureio a cavalo, em cuja história já ocupa um dos mais destacados lugares.

 

Este confronto reedita as grandes competições luso-espanholas de toureio a cavalo do século XX: João Núncio e D. Ruy da Câmara versus António Cañero, João Núncio-Álvaro Domecq (pai), Mestre Baptista, José João Zoio e João Moura- Álvaro Domecq (filho) e promete mais uma noite de acesa competição entre os centauros ibéricos no Campo Pequeno.

 

Em praça vão também estar dois grandes grupos de forcados: os amadores de Montemor e os amadores de Coruche. O grupo de Montemor, capitaneado por José Maria Cortes, foi o vencedor do “Galardão Campo Pequeno2010”para o melhor grupo de forcados enquanto que os Amadores de Coruche, capitaneados por Amorim Ribeiro Lopes, são um dos mais valorosos grupos da actualidade.

 

Lida-se seis escolhidos toiros da prestigiada ganadaria Passanha, de encaste Murube-Urquijo, e antiguidade estabelecida a 3 de Setembro de 1972, em Madrid (Las Ventas). Propriedade de D. João Maldonado Passanha, pasta na Herdade da Pina, no concelho de Évora.

 

Fonte: Paulo Pereira - SRUCP