Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

CASA CHEIA EM CANEÇAS EM DOMINGO DE RAMOS

17.04.11 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Praça de Toiros em Caneças – 17.04.11

Director: António José Martins – Veterinário: José Manuel Lourenço – Lotação: cheia

Cartel: António Telles, Alberto Conde, Gilberto Filipe, Manuel Telles Bastos

Forcados: Tomar e Póvoa S.Miguel

Ganadarias: Vale Sorraia (4) e David R. Telles (2)

 

 

Uma magnífica moldura humana preencheu as bancadas da praça de toiros instalada na bonita vila de Caneças e onde o público rejubilou com os bons momentos de toureio e algumas excelentes pegas de caras antes toiros e novilhos de Vale Sorraia e David Ribeiro Teles que deram bom jogo no geral. De realçar a actuação a sós de Alberto Conde, em muito bom plano, assim como a de António Telles que deu a volta a um mais reservado Vale Sorraia.

 

Abriu praça a dupla António e Manuel Telles Bastos, os quais, em momentos de perfeito entendimento tiraram todo o partido do «cinqueño» que lhes tocou, nobre e com raça. António esteve magnifico a preparar e a cravar e o seu sobrinho Manuel sobre aproveitar as «deixas» e cravar no ressalto alguns bons ferros numa lide sem momentos mortos e bastante interessante.

 

Na lide a sós, António Telles esteve em grande, na brega de classe e nos cites, a impor-se a um toiro tardo mas que arreava quando provocado mais em curto. A ferragem foi de boa nota, quer nos compridos quer nos curtos, deixando-se ver e atacando o oponente rematando como mandam os cânones. Uma grande exibição de António Telles.

 

Alberto Conde, com uma monte magnífica, esteve em bom plano a bregar com critério e a cravar a ferragem da ordem em sortes de muito mérito, colocando-se bem de frente e deixando bons ferros curtos e onde o sentido de lide foi nota marcante. Um clássico a deixar excelentes momentos para recordar.

 

Gilberto Filipe teve também uma lide de boa nota, procurando mexer bem no toiro, deixando-o bem colocado e cravando ferragem de mérito, com alguns bons curtos.

 

Manuel Telles Bastos teve por diante um toiro que não ajudou muito mas que, com vontade, soube vencer. O quarto curto é  de grande categoria, de frente e a atacar o toiro em curto para cravar de alto a baixo e ao estribo como mandam as regras.

 

A corrida terminou com uma lide a duo, entre Alberto Conde e Gilberto Filipe, com o primeiro a deixar boa ferragem e o segundo a sentir dificuldades para se impor ante um toiro que não perdoava erros e passagens em falso.

 

No capítulo da forcadagem houve bons momentos de ambos os grupos. Os amdores de Tomar abriram praça com a segurança habitual de Paulo Parker numa bela pega à primeira, como seriam aliás as do seu grupo, consumadas por Henrique Ferreira e Paulo Miguel, também em boas intervenções. Pelos de Póvoa de São Miguel, Bruno Aljustrel consumou à segunda tentativa, enquanto que Fábio Madeira e André Batista se fecharam com decisão e ao primeiro intento.

 

Direcção acertada do Delegado Técnico Tauromáquico sr António José Martins, assessorado pelo veterinário dr José Manuel Lourenço.