Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

BARREIRA DE SOMBRA

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

SANTARÉM - 3 GRANDES PEGAS DE CARAS FIZERAM LEVANTAR PÚBLICO DAS BANCADAS

21.03.11 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Não fossem as três magníficas pegas de caras executadas de forma superior por Diogo Sepulveda, Ruben Duarte e Vasco Pinto, e a corrida de inauguração da temporada scalabitana não teria muito que contar. Mais de 6000 pessoas rejubilaram nas bancadas com estes momentos de grande brilhantismo, onde as investidas dos de Couto de Fornilhos foram duras e dificeis e onde o espírito de sacrificio dos forcados de cara e a coesão e entreajuda foram nota dominante para concretização de cada um das pegas de caras.

 

Os toiros de Couto de Fornilhos, com média de 542 kilos, foram mansos e complicados e dos 3 cavaleiros recordamos um grande ferro curto de Salgueiro no seu primeiro, dois violinos de João Telles Jr, e um curto de Taigo Carreiras no seu primeiro.

 

João Salgueiro entendeu-se bem com o que abriu praça, estando bem a lidar,  e, por vezes, entendeu-lhe bem os terrenos e as querenças, para deixar os compridos da ordem em sortes à tira e com os curtos deu nota mais num bom segundo em que entrou de frente e quarteou justo e no terceiro a atacar o toiro em tábuas e com este a carregar na reunião. No seu segundo cumpriu sem destaques de maior ante um toiro que sedesligava e buscava tábuas.

 

João Telles Jr teve um primeiro muito manso, a escarvar e a fugir para as tábuas e com entrega conseguiu deixar a ferragem. No que foi quinto, e não fez jus ao ditado de que «no hay quinto malo», João teve no quarto curto da ordem o seu melhor ferro, entrando bem de frente e aqueceu as bancadas com os dois de violino que encerraram a sua prestação.

 

Tiago Carreiras pareceu-nos com poucas opções para resolver os problemas que os toiros lhe colocaram mas que, com outro posicionamento e aproveitando as querenças de ambos os toiros poderia ter obtido outro resultado. Frente ao terceiro da tarde teve o seu momento na cavagem do primeiro curto e no que encerrou praça sucedera-se os ferros falhados e alguns toques.

 

Os toiros não permitiram erros a ninguém e os forcados sentiram-no na pele. Pelos Amadores de Santarém abriu praça o cabo Diogo Sepulveda com um pega de grande nível técnico e valor; António Grave de Jesus apenas à 3ª consumou e Luis Gameiro emendou á primeira e com raça o seu colega Ricardo Francisco que se lesionou após 3 tentativas. Quanto aos Amadores de Alcochete, foram solistas Ruben Duarte, com muita técnica e determinação para suportar os derrotes e á 1ª; Nuno Santana apenas à 4ª conseguiu concretizar e com ajudas carregadas e, finalemente, Vasco Pinto que à 1ª e suportando dois violentos derrotes se fechou com enorme alma e levantou o público das bancadas numa pega de enorme valia.

 

Direcção correcta do Delegado Técnico sr. Nuno Nery e do veterinário Dr. João Maria Nobre.