Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

PRAÇA ESGOTADA NA XIª CORRIDA DA AUTO AGRÍCOLA SOBRALENSE

Praça de Toiros de Sobral de Monte Agraço – 10/09/17 – Corrida de Toiros

Director: João Cantinho – Veterinário: José M. Lourenço – Lotação: esgotada

Cavaleiros: António Telles, Luís Rouxinol, Tito Semedo, Ana Batista, Manuel Telles Bastis, Luís Rouxinol Jr

Forcados Amadores: Lisboa, Coruche

Ganadarias: Canas Vigoroux, Prudêncio (4º)

cortesias_5733.JPG

PRAÇA ESGOTADA NA XIª CORRIDA DA AUTO AGRÍCOLA SOBRALENSE

 

A praça de toiros de Sobral de Monte Agraço esgotou a sua lotação na XIª Corrida da Auto Agrícola Sobralense e teve um excelente ambiente e bons momentos de toureio. A tragédia também rondou, com a violentíssima colhida de João Mesquita (Amadores de Coruche) na pega aos exto da tarde, mas felizmente tudo não passou de um enorme susto, mostrando que o perigo é uma constante e que a corrida de touros não é uma farsa…

 

António Telles abriu praça com uma lide bem medida a um toiro de Canas Vigoroux que foi mansote e se defendeu um pouco para tábuas. António, em bom plano e com critério, deixou alguns ferros a sesgo e rematou a sua actuação com um bom curto em sorte frontal com um  quarteio bem ajustado.

 

Luís Rouxinol esteve em grande plano frente a um bravo e nobre, mas também de escassa força, toiro de Canas Vigoroux. O jabonero tinha qualidade e Rouxinol aproveitou ao máximo a nobreza e suavidade das investidas para se recrear na brega e nos remates e deixar uma série de curtos de boa nota e a rematar esta boa actuação, um grande par de bandarilhas.

 

Tito Semedo teve por diante o terceiro da tarde, mansote mas a investir sem problemas e teve uma passagem por Sobral sem grandes destaques, cumprindo a papeleta e rematando com um de violino e outro de palmo.

 

Ana Batista esteve bem na brega e a cravar. Um regresso em bom plano a esta praça, conseguindo uma boa actuação nos curtos, a qual foi rematada com dois de palmo sempre do agrado do público. Lidou um toiro de Prudêncio que foi manso.

 

Manuel Telles Bastos lidou o mais pesado da tarde, um toiro que foi reservado nas suas investidas. Telles Bastos andou bem na brega, com bom critério na escolha dos terrenos e presenteou o público com uma boa actuação. Deixou bons ferros curtos.

 

Para encerrar a corrida Luís Rouxinol Jr que se enfrentou a um manso que não colocou demasiados problemas a este jovem valor da nossa tauromaquia. Teve dois bons curtos, rematou bem as sortes e terminou a lide com um de palmo e outro de violino.

 

Para pegarem os seis toiros saltaram a trincheira os Forcados Amadores de Lisboa e os Amadores de Coruche. Por Lisboa foram caras César Gonçalves que se fechou bem ao primeiro intento, seguido por Pedro Gil numa grande cara à primeira e Daniel Batalha numa rija intervenção à segunda. Pelos de Coruche, Bruno Matias consumou facilmente à primeira, seguido por João Prates numa boa prestação à primeira. A tragédia rondou a praça na única tentativa de João Mesquita que foi violentamente colhido e teve de ser evacuado para o Hospital. Foi dobrado pelo valente Rui Godinho “Peitaça” que à segunda se fechou com habitual raça.

 

De realçar o excelente labor de brega de Manuel dos Santos “Becas” na colocação do sexto toiro para a pega.

 

A corrida foi bem dirigida por João Cantinho, assessorado pelo veterinário José Manuel Lourenço.

 

Crónica de António Lúcio