Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

AGRADÁVEL NOITE DE TOIROS NO CARTAXO

Praça de Toiros do Cartaxo – 16.06.17 – Corrida Mista

Director: Lourenço Luzio – Veterinário: José Luís Cruz – Lotação: ¼

Cavaleiros: Miguel Moura, Luís Rouxinol Jr

Forcados: Amadores do Cartaxo

Matador: Manuel Dias Gomes

Ganadarias: Canas Vigoroux (1º, 2º), Fontembro (3º, 4º, 5º e 6º)

IMG_9518.JPG

AGRADÁVEL NOITE DE TOIROS NO CARTAXO

Com uma noite de temperatura elevada, o público não compareceu em número que o cartel de juventude merecia e justificava. Um cartel diferente, com juventude, com interesse para o aficionado e que veio a revelar-se, no campo artístico, uma aposta ganha. Os Forcados da casa superaram a prova de pegar os 4 toiros lidados a cavalo e foram sempre muito acarinhados pelo público. Justamente, diga-se em abono da verdade.

 

E é pelos forcados que começamos esta crónica. Amadores do Cartaxo, um grupo novo, pré-associado na ANGF, tinha nesta corrida uma prova dura que superaram com muita entrega, raça, coesão e com os forcados de cara a estarem em muito bom plano, aguentando os derrotes dos toiros. Abriu praça Miguel Afonso que se fechou com galhardia á barbela ao primeiro intento com o toiro a viajar com pata até tábuas; Yuri Tristão consumou á segunda uma rija pega com o toiro a bater por alto; Duarte Campino, a sesgo e com raça à primeira, a emendar o seu colega Bruno Rodrigues que se lesionou na única tentativa que efectuou; e Fábio Beijinho com determinação à primeira numa rija cara com o toiro a derrotar por alto e o grupo a ajudar bem.

 

O primeiro cavaleiro em praça foi Miguel Moura. Uma lide bem construída frente a um cumpridor novilho de Canas Vigoroux, com um segundo comprido de muito boa execução. A ferragem curta foi de boa nota, com alguns câmbios que resultaram bem, nomeadamente os deixados em segundo, terceiro e quarto lugares, este último muito bem rematado também, e para finalizar a lide, um ferro de palmo. No que foi quarto da ordem, um manso de Fontembro a fechar-se em tábuas e a colocar muitas dificuldades, aplicou-se para deixar a ferragem a sesgo, rematando com um de palmo no corredor de tábuas. Determinação não faltou ao jovem Moura.

 

Luís Rouxinol Jr lidou em primeiro lugar um Canas Vigoroux que foi codicioso nas investidas, encastado também, três compridos em que se destacou no segundo de boa execução á tira e com a ferragem curta teve no terceiro em sorte frontal com ligeiro quarteio o seu melhor momento. Frente ao quinto da ordem, um Fontembro de boa nota, foi nos curtos que o vimos em bom plano, nomeadamente nos terceiro e quinto em que as sortes foram muito bem executadas, de frente e com ligeiro quarteio, cravando bem. A caminho da alternativa, afigura-se como um valor a ter em conta.

 

Manuel Dias Gomes lidou em primeiro lugar um arrobado novilho de Fontembro que foi um pouco bruto nas investidas (uma varita teria feito toda a diferença…) e que pela sua casta transmitia emoção. Alguns lances de capote a avaliar as investidas e uma faena de muleta em que houve bons momentos nomeadamente pelo lado esquerdo, correndo bem a mão, mandando e templando, e alguns derechazos também foram de boa nota. Dias Gomes mostrou a sua garra e decisão numa faena de muito interesse. No que encerou praça, também de Fontembro, desenhou belas verónicas e um bom quite por chicuelinas. No toureio de muleta houve bons passes pelos dois lados, numa faena em que os naturais foram de boa execução a par de uns quantos derechazos. O final da faena foi em tábuas, local eleito pelo toiro para se defender e onde houve mérito do toureiro para lhe sacar os passes.

 

Nesta corrida prestou provas para bandarilheiro João Oliveira, que o fez com total luzimento.

 

Direcção acertada de Lourenço Luzio assessorado pelo veterinário José Luís Cruz.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me