Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

GRANDE ACTUAÇÃO DE ANTÓNIO TELLES NOS 125 ANOS DO CAMPO PEQUENO

Praça de Toiros do Campo Pequeno – 18/08/17 – Corrida de Toiros

125º aniversário da Inauguração da Praça

Director: Pedro Reinhardt – Veterinário: Jorge Moreira da Silva – Lotação: Esgotada

Cavaleiros: João Moura, António Telles, Luís Rouxinol

Forcados: Amadores de Montemor e de Lisboa

Ganadarias: Vinhas, David Ribeiro Telles, Oliveira Irmãos, Grave, Palha, Passanha

IMG_4565.JPG

GRANDE ACTUAÇÃO DE ANTÓNIO TELLES NOS 125 ANOS DO CAMPO PEQUENO

 

O 125º aniversário do Campo Pequeno foi preparado a rigor e exemplo disso foi a magnífica decoração da praça, a tradição do fado nas vozes de Camané e Nathalie, a charanga a cavalo da GNR e, uma vez mais, a lotação completamente esgotada apesar da presença das câmaras da TVI que levaram o espectáculo a centenas de milhar de portugueses. António Telles foi o grande triunfador desta corrida, com uma grande exibição no 5º toiro da noite, um Palha com muita qualidade.

 

Praça cheia até à bandeira para a comemoração de 125 anos de história, de tauromaquia e não só, de um ex-libris da nossa capital e mundialmente reconhecida como a capital do toureio a cavalo. E nada melhor para referendar esta ideia, esta histórica riquíssima, a forma de bem tourear à portuguesa, sem concessões ao facilitismo da bancada, que a grande exibição de António Palha Castro Ribeiro Telles frente ao bom toiro de Palha saído em 5º lugar. A mestria consumada de António permitiu-lhe, a par do excelente momento que atravessa, conceber e concretizar uma grande lide, com bons momentos de brega, sortes bem desenhadas e cravando ferros em sortes frontais com reuniões muito ajustadas e rematadas as sortes como mandam as boas regras. Duas voltas à arena foram prémio justo para esta grande actuação. E frente ao segundo da ordem, um toiro com ferro Ribeiro Telles, houve também bons momentos e grandes ferros.

 

João Moura abriu praça frente a toiro de Vinhas que serviu sem criar grandes complicações. Moura esteve bem na cravagem da ferragem com destaque para o segundo curto, entrando bem nos terrenos do toiro e rematando com um de palmo. No quarto da noite, de Murteira Grave e que teve comportamento sobre o mansote, deixou um bom segundo comprido e cumpriu na ferragem curta sem grandes alardes.

 

Luís Rouxinol teve por diante a “fava”, um manso sem qualidade de Oliveira Irmãos, e cumpriu a papeleta. Não havia muito mais a fazer. No que encerrou praça, de Passanha e que teve alguma qualidade, já foi possível ver o cavaleiro de Pegões ao seu melhor nível. Dois compridos de boa nota, boa brega e soluções bem encontradas para deixar a ferragem da ordem e terminar com um grande par de bandarilhas a duas mãos e um ferro de violino que fizeram soar as ovações do público.

 

Dois prestigiados Grupos de Forcados repartiram as pegas nesta corrida comemorativa: Montemor e Lisboa. Pelos Amadores de Montemor foram forcados de cara: Francisco Bissaia Barreto à 2; Francisco Borges numa extraordinária intervenção ao primeiro intento; e Manuel Ramalho a consumar à terceira. Pelos Amadores de Lisboa foram para a cara dos toiros Martim Lopes, muito bem à 1ª; Duarte Mira à 3ª e João Varanda à 1ª.

 

Na direcção da corrida esteve Pedro Reinhardt, bem, assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

 

Crónica de António Lúcio

CASA CHEIA EM CORUCHE NA HOMENAGEM PÓSTUMA A MESTRE DAVID RIBEIRO TELLES

Praça de Toiros de Coruche – Coruche – 17/08/17 – Corrida de Toiros

Director: João Cantinho – Veterinário: José Luis Cruz – Entrada: casa cheia

Cavaleiros: António Ribeiro Telles, Manuel Ribeiro Telles Bastos, João Ribeiro Telles Jr, António Ribeiro Telles filho

Forcados: Amadores de Coruche

Ganadarias: Pinto Barreiros e David Ribeiro Telles (novilho)

 

Casa muito cheia para um tarde familiar em mais um 17 de Agosto em Coruche. As Festas em Honra de Nossa Senhora do Castelo são uma das tradições mais enraízadas do Ribatejo, e a afluência da Praça de Toiros nunca desilude no feriado municipal.

 

O cartel estava montado para apelar ao sentimento. A homenagem ao mestre dos mestres, David Ribeiro Telles, com um cartel composto fortemente pela Herdade da Torrinha, à excepção dos toiros Pinto Barreiros.

 

Depois de uma homenagem a David Ribeiro Telles, abriu praça, o filho, António Ribeiro Telles lidou um exemplar que inicialmente não prometeu muito mas que se deixou lidar, apesar da investida incerta. Começou bem, com um primeiro curto a entusiasmar logo as bancadas, numa lide que acabou por ir de mais a menos. No sexto da tarde, Manuel Ribeiro Telles bastos lidou o quinto por ter outro compromisso, calhou-lhe em sorte um exemplar muito complicado, que exigia arte e mestria. Nesse sentido, António Ribeiro Telles foi o intérprete perfeito, tirando tudo o que pode do toiro, o que foi fortemente valorizado pelos aficionados presentes.

 

Manuel Ribeiro Telles Bastos teve uma lide inaugural praticamente perfeita, com um exemplar que se deixou lidar a gosto. Esteve exemplar nos compridos e com muito boa nota nos curtos, mostrando a todos o que é a interpretação singular do toureio à Ribeiro Telles. No quinto da tarde, o exemplar de Pinto Barreiros exigiu outro labor, revelando mais dificuldade para cravagem acertada nos curtos, mas onde trabalhou bem para cumprir sem deslumbrar.

 

João Ribeiro Telles Jr é, em particular em Coruche, o cavaleiro que maior ligação tem com o público. Na primeira lide, terceiro da tarde, esteve algo irregular nos curtos, frente a um astado com 630 kgs, que se deixou lidar sem causar problemas e com bravura. Terminou com o tradicional “palmito” que arrancou fortes aplausos. No último da tarde, desenhou uma lide em crescendo, onde depois de falhar clamorosamente o primeiro curto, cravou com acerto até que, novamente confortável arrancou para uma lide intensa e com ligação, onde terminou com dois violinos, para encerrar uma grande tarde de festa.

 

António Ribeiro Telles filho lidou o quarto da tarde, um novilho da ganadaria David Ribeiro Telles. Acusou o peso da ocasião na fase inicial, demorando até se sentir confortável. Ainda assim, a entrar na recta final, revelou maior acerto na cravagem, deixando bons pormenores para o futuro.

 

No que toca às pegas, protagonizadas a solo pelo Grupo de Forcados Amadores de Coruche, por actuais e antigos elementos, como já é hábito no 17 de Agosto, abriu praça o cabo, José Macedo Tomás, numa boa pega à segunda tentativa. José Marques pegou o segundo tarde à primeira tentativa, numa pega muito boa, frente a um exemplar que exigia boa interpretação da investida. A Paulo Oliveira calhou em “sorte” o terceiro da tarde, com 630kgs, que pegou à terceira com ajudas mais carregadas. O novilho foi pegado por um forcado da nova geração, Eduardo Poeira, que arrancou uma boa pega à segunda tentativa, bem ajudado pelo grupo. O quinto da tarde protagonizou a melhor pega. António Macedo Tomás, irmão de José Tomás, arrancou a pega da tarde e foi aplaudido nos médios após volta. No sexto da tarde a pega foi consumada por João Ferreira à segunda, após dobrar José Sousa, e aguentar, juntamente com o grupo, a “pata” que o toiro trazia. Para fechar a tarde, Pedro Coelho executou uma boa pega à primeira tentativa, com a primeira ajuda a cargo de Mário Rosa, que assim se despediu das arenas.

 

Dirigiu o espectáculo o delegado, João Cantinho, assessorado pelo veterinário Dr. José Luis Cruz. Dirigiu o espectáculo dando margem para a festa que a tarde exigia, sem deixar de revelar critério.

 

Crónica de Miguel Dias

AS FOTOS DO CONCURSO DE GANADARIAS DE ARRUDA DOS VINHOS

AS CORTESIAS À ANTIGA PORTUGUESA

OS TOIROS

ANA BATISTA

MANUEL TELLES BASTOS

 DUARTE PINTO

FRANCISCO PALHA

MIGUEL MOURA

LUÍS ROUXINOL JR

FORCADOS DE VILA FRANCA

FORCADOS DE ARRUDA DOS VINHOS

 

AS FOTOS DA NOVILHADA DE ARRUDA DOS VINHOS

 

15 DE AGOSTO: AS FOTOS DA CORRIDA DAS CALDAS DA RAINHA

ANTÓNIO TELLES

FILIPE GONÇALVES

FRANCISCO PALHA

FORCADOS DE SANTARÉM

FORCADOS DE CALDAS DA RAINHA

OS TOIROS

 

ALCOCHETE 13 DE AGOSTO: AS FOTOS DE ANTÓNIO LÚCIO

JOÃO MOURA

ANTÓNIO TELLES

FRANCISCOPALHA

FORCADOS AMADORES DE ALCOCHETE

OS TOIROS

 

TOIRO Nº 43 DE ENGº JORGE CARVALHO VENCE PRÉMIOS BRAVURA E APRESENTAÇÃO EM ARRUDA

Praça de Toiros “José Marques Simões” – Arruda dos Vinhos – 17/08/17 – Corrida de Toiros

Director: Rogério Jóia – Veterinário: José M. Lourenço – Entrada: cheia

Cavaleiros: Ana Batista, Manuel Telles Bastos, Duarte Pinto, Francisco Palha, Miguel Moura, Luís Rouxinol Jr

Forcados: Amadores de Vila Franca e Arruda dos Vinhos

Ganadarias: Nuno Casquinha, Engº Luís Rocha, Lampreia, Santiago, Manuel Veiga, Engº Jorge Carvalho

 

TOIRO Nº 43 DE ENGº JORGE CARVALHO VENCE PRÉMIOS BRAVURA E APRESENTAÇÃO EM ARRUDA

 

Pelo 20º ano consecutivo a praça de toiros de Arruda dos Vinhos foi palco de um concurso de ganadarias e este ano com o aliciante de ser uma corrida de Gala à Antiga Portuguesa, com um cortejo onde se reviveu o fausto da corte e que é sempre do agrado do grande público praticamente encheu a simpática praça de toiros. Disputaram os prémios de Apresentação e Bravura os toiros das ganadarias de Engº Luís da Rocha, Lampreia, santiago, Manuel Veiga e Engº Jorge Carvalho já que o de Nuno Casquinha (saído em 1º lugar) e que substituía o anunciado toiro de Varela Crujo não entrou no concurso por ter menos de 4 anos, segundo a organização. Estavam também em disputa prémios para a Melhor Lide, Melhor Pega e Melhor Grupo de Forcados.

 

Com um júri composto por Miguel Alvarenga, Catarina Bexiga e António Lúcio, os prémios em disputa foram concedidos por unanimidade de opinião dos 3 elementos e sem que tivesse havido discordâncias no público quanto á sua atribuição. Assim, e porque se tratava de um concurso de ganadarias, o toiro do Engº Jorge Carvalho, lidado em último lugar, marcado com o nº 43 e anunciado com 560 kg, foi considerado como o de melhor Apresentação e venceu também o prémio Bravura.

 

Como referido, o júri decidiu que o prémio de Melhor Lide fosse para Luís Rouxinol Jr, a de Melhor Grupo para os Amadores de Vila Franca e a de Melhor pega para Pedro Sabino (última pega da corrida) dos Amadores de Arruda dos Vinhos. O público aplaudiu as decisões do júri.

 

Abriu praça Ana Batista frente a um exemplar de Nuno Casquinha que foi mansote. A cavaleira de Salvaterra porfiou para deixar a ferragem, por vezes com o toiro a adiantar-se e teve o seu melhor momento na cravagem do 5º e último ferro curto com reunião justa. Deu volta com o forcado Guilherme Dotti dos Amadores de Vila Franca que consumou bem e ao primeiro intento.

 

Em segundo lugar actuou Manuel Telles Bastos que teve uma actuação francamente positiva frente ao toiro do Engº Luís da Rocha, toiro que saiu com pata e a carregar, com algum génio mas que cedo se rachou e descaíu para tábuas. A ferragem curta foi de boa e com critério, terminando com 2 curtos em sortes sesgadas, com mérito. Na volta à arena foi acompanhado pelo forcado João Costa, dos Amadores de Arruda dos Vinhos, que consumou bem ao primeiro intento.

 

Duarte Pinto houve-se a contento com o toiro de Lampreia, um toiro bem apresentado e que foi mansote. Pinto procurou eleger os melhores terrenos e teve dois curtos, terceiro e quarto, de melhor nota. De volta à arena na companhia de Gonçalo Filipe (G F A Vila Franca) que concretizou ao segundo intento a pega a este 3º toiro.

 

A segunda pare começou com uma boa lide de Francisco Palha, moralizado e aproveitar as condições de lide do bem apresentado toiro de Santiago. Esteve francamente bem com os curtos, dois deles de muito boa nota, terceiro e quaro, com entradas bem marcadas e reuniões justas. Dois grandes momentos. Tiago Silva, dos Amadores de Arruda, consumou bem à segunda tentativa.

 

Miguel Moura teve por diante um complicado toiro de Manuel Veiga. Esforçou-se por conseguir o triunfo que as poucas qualidades do toiro não permitiram. O primeiro curto foi de boa nota e terminou, com mérito, a cravar outros dois em sortes sesgadas. Pedro Silva, dos Amadores de Vila consumou bem ao segundo intento.

 

Para encerrar praça frente a um bom toiro de Engº Jorge Carvalho, esteve Luís Rouxinol Jr. Uma lide bem estruturada, dando importância desde os compridos, e com uma série de curtos de boa nota, rematando com dois de palmo, um deles de violino. Uma actuação muito interessante, bem medida em termos de tempo e com alguma intensidade. Deu aplaudida volta com o forcado de Arruda Pedro Sabino que consumou valorosa pega de caras à primeira tentativa.

 

Boa corrida, com bom ambiente e boa direcção de Rogério Jóia assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

Crónica de António Lúcio

ARRUDA, 16/08 - JORNADA DE PROMOÇÃO DE NOVOS VALORES COM PREVALÊNCIA DO TOUREIO A CAVALO

Praça de Toiros “José Marques Simões” – Arruda dos Vinhos – 16/08/17 – Novilhada

Director: Rogério Jóia – Veterinário: José M. Lourenço – Entrada: 1/3

Cavaleiros: Francisco Correia Lopes, Ricardo Cravidão

Forcados: Amadores de Arruda dos Vinhos

Novilheiros: Paula Santos, João D’Alva, Luis Silva

Ganadarias: Engº Jorge Carvalho, Herds. Lopes Branco, Engº Luís Rocha, Gregório Oliveira, Pontes Dias

 

JORNADA DE PROMOÇÃO DE NOVOS VALORES COM PREVALÊNCIA DO TOUREIO A CAVALO

 

Mais uma jornada do III Ciclo de Novilhadas das Escolas de Toureio, desta vez inserida nas festividades de Arruda dos Vinhos e onde o toureio a cavalo acabou por prevalecer em termos de qualidade sobre o toureio a pé.

 

Francisco Correia Lopes esteve em bom plano, com um conceito muito clássico e seguro na forma como monta, concebe e concretiza as sortes; Ricardo Cravidão mostrou evolução e esteve também ele em bom plano.

 

Os Forcados Amadores de Arruda concretizaram sem problemas as duas pegas de caras ao primeiro intento por intermédio de João Costa e Afonso Vassalo.

 

No toureio a pé, Paula Santos não teve hipóteses de se luzir; João D’Alva andou bem com capote, bandarilhas e muleta, mostrando estar a caminhar com passes firmes; e Luís Silva também mostrou valor nos três tércios.

 

Lidaram-se reses de Engº Jorge Carvalho (a cumprir – ganadeiro chamado á arena), Lopes Branco (escasso de tamanho mas a cumprir com codícia), Engº Luís da Rocha (mansote e de escasso recorrido também devido ás más intervenções dos bandarilheiros); Gregório Oliveira (a cumprir) e Pontes Dias (sem problemas de maior).

 

Na direcção deste espectáculo esteve Rogério Jóia, Assessorado pelo veterinário José Manuel Lourenço.
 
Crónica de António Lúcio