Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

FALHARAM OS TOIROS E MAL A DIRECÇÃO DE CORRIDA

A IV Corrida Auto Agrícola Sobralense e primeiro festejo taurino das Festas e Feira de Verão de Sobral de Monte Agraço ficou marcada negativamente pela ausência de casta e bravura dos seis novilhos-toiros (marcados com o 7) da ganadaria Lampreia, os quais apenas se empregaram no momento da pega, e pela decisão anti-regulamentar da direcção de corrida, a cargo de Manuel Jacinto e José Manuel Lourenço (veterinário), de mandar recolher o sexto da ordem, apenas porque o mesmo não queria investir para o cavalo mas que não apresentava nem defeitos físicos nem de visão, logo devendo ser farpeado pelo cavaleiro e toureado até ao fim.

 

A corrida, em si, tem pouca história, pouco para contar e não fossem algumas boas pegas de caras a cargo de ambos os Grupos de Forcados, e teríamos de escrever que foi um quase fiasco. Salvaram-se os moços de forcado de Montemor e da Chamusca. Pelos montemorenses, capitaneados por José Mª.Cortes, Pedro Barradas suportou a carga violenta do toiro e consumou à 3ª tentativa; Frederico Caldeira esteve muito bem a citar e a recuar para se fechar com decisão à 1ª numa grande pega de caras e Manuel Ramalho, também a 1ª consumou rija intervenção. Pelos chamusquenses, capitaneados por Nuno Marques, abriu praça Rui Pedro, numa dura pega à 2ª, secundado por Emanuel Injay numa extraordinária cara à primeira, superior na forma como toureou o oponente e se fechou, suportando alguns derrotes, e finalmente, à 2ª, João Neves, com o toiro a investir também com pata e a derrotar.

 

No capítulo de toureio a cavalo, todos sentiram dificuldades acrescidas devido ao facto dos toiros serem demasiado tardos e sem vontade de investir. Carregavam por vezes com pata depois do ferro e adiantavam-se com alguma facilidade às montadas.

 

Luis Rouxinol teve uma primeira lide de trâmite, como se diz em gíria, cumprindo a papeleta sem destaques. No que foi quarto da quente tarde esteve em melhor plano, com alguns bons ferros, rematando com o de palmo, o par de bandarilhas e um ferro de violino.

 

Brito Pais não conseguiu a ansiada confirmação de êxitos anteriores. Arriscou, pisou terrenos de compromisso e deixou alguns bons ferros, cumprindo a sua missão tentando sacar o máximo partido das escassas investidas dos dois que lhe tocaram em sorteio.

 

Quanto a Tiago Carreiras, se bem que se mostrou decidido, também não teve muitas hipóteses de brilhar com tais reses. Duas lides muito iguais ante toiros mansos e parados em que pouco havia a fazer.

 

A bonita e bem cuidada praça de toiros de Sobral de Monte Agraço registou cerca de ¾ da sua lotação preenchida com predominãncia na sombra.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me