Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

NA ÚLTIMA DA NAZARÉ TRIUNFOU DUARTE PINTO; PROCUNA ARRIMOU-SE DE VERDADE

A última corrida temporada 2010 na castiça praça do Sítio da Nazaré fica marcada pelo triunfo de Duarte Pinto no quinto toiro da ordem e pelo «arrimón» de Procuna nos seus dois toiros, bordando o toureio de capote no terceiro da noite, triunfando com as bandarilhas e arrimando-se de verdade na muleta. Manuel Caetano assinou boa actuação no seu segundo e os forcados cotaram-se com boas pegas de caras.

 

Manuel Caetano teve uma primeira lide de fraco nível, mas seria no seu segundo que conseguiria bons momentos na ferragem curta, procurando os melhores terrenos deixnado alguns bons ferros curtos.

 

Duarte Pinto vem na senda dos êxitos, confiado e moralizado. Uma primeira lide que não ultrapassou a mediania ante um toiro que media muito. Mas no quinto, de nobres e suaves investidas, Pinto deu distâncias, deixou-se ver nos cites e nas viagens, marcou bem os quarteios e cravou como mandam as regras, numa actuação triunfal.

 

Luis Procuna bordou o toureio à verónica e por delantales e ainda um quite por chicuelinas no seu primeiro, que investia com raça e alguma violência de início. Após as bandarilhas, o toiro ainda investiu com raça e codícia em três séries de muletazos, duas pela direita e outra ao natural, que forma de muita classe e onde Procuna se estirou e crtiou ambiente. Mas o toiro começou a defender-se, a ficar-se a meio dos passes e o matador teve de tragar, de colocar a «carne no assador» e sacar-lhe os muletazos com muita garra e entrega. No seu segundo esteve de novo excelente nas bandarilhas e como o toiro cedo se parou, sacou-lhe os passes à custa de muita entrega, de lhe pisar os terrenos com valor, sendo por isso justamente aplaudido pelo público e passeado em ombros no final.

 

Quanto à forcadagem, estiveram em praça os Amadores de Alcochete e Caldas da Rainha. Por Alcochete foram solistas Luis Saramago á 2ª e Daniel Silva bem á 1ª a emendar João Pedro Sousa que se lesionara na única tentativa que efectuara; pelos de Caldas da Rainha, boas intervenções e à primeira, por intermédio de Oscar Carvalho e Francisco Rebelo de Andrade.

 

Por ordem de lide, saíram toiros de Prudêncio (510kg, bem apresentado, bravote e codicioso), António Silva (540kg, mansote), Manuel Veiga (475kg, de investidas brutas mas a rachar-se cedo), Manuel Veiga (470kg, mansote e com alguma violência), Campos Peña (600kg, 5 anos, nobre e suave) e Infante da Câmara (460 kg, mansote e sem força).

 

No final forma entregues os prémios “Bravura – Lide a Cavalo” para o toiro de Campos Peña, e “Apresentação” para o de António Silva, ficando deserto o prémio “Bravura – Lide a Pé”.

 

Direcção correcta de Pedro Reinhardt assessorado pelo veterinário João Nobre, com cerca de ¾ de lotação preenchidos.

  

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me