Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BARREIRA DE SOMBRA 30 ANOS (1987/2017)

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

Desde 13.06.1987 ao serviço da Festa Brava

MONTIJO - A GENIALIDADE DE SALGUEIRO NUMA LIDE MAGISTRAL

Um Salgueiro genial e uma lide imaculada, prenhe de emoçãoe de bom toureio, magistral nos cites e nas cravagens, foi aquilo a que assistimos na noite do passado sábado 26 na Monumental do Montijo frente ao segundo toiro da noite, como os restantes da ganadaria de José Lupi. Salgueiro encontrou as distâncias precisas em cada momento, elegeu os melhores terrenos consoante as querenças que o toiro foi mostrando. Depois, de praça a praça provocando a investida, ou em curto atacando o pitón contrário montando o “Van Gogh” levantou o público  das bancadas e proporcionou-nos momentos para recordar.

 

João Moura abriu praça com uma lide em bom plano, bregando com classe e deixando o toiro em sorte para cravar uma boa série de curtos onde os remates também foram de boa nota e onde segundo e quarto, com batidas ao piton contrário que resultaram, foram os seus melhores. No quarto da ordem Moura teve de porfiar para sacar partido do mansote que lhe tocou lidar e fê-lo como é seu apanágio, rematando com um excelente ferro de palmo.

 

João Salgueiro, depois da extraordinária actuação no segundo da noite, confirmou no quinto da ordem o seu excelente momento e, com um toiro de distintas condições, desenhou outra grande lide com dois excelentes curtos a abrir, o segundo de muito mérito pelo sítio e distãncia a que citou e cravou. Mais uma grande actuação de Salgueiro a confirmá-lo como truinfador indiscutível desta corrida.

 

Manuel Lupi esteve bem a bregar mas não muito acertado a cravar no seu primeiro já que falhou o toiro por diversas vezes na ferragem curta, deslustrando um pouco a sua actuação onde deixaria dois ferros de boa nota. No que encerrou praça esteve bem melhor, procurando entrar de frente nos terrenos do oponente depois de citar a deixar-se ver e cravou uma meritória série de curtos rematada com dois de palmo.

 

Os dois Grupos de Forcados conseguiram também excelentes momentos com algumas das intervenções a serem de excelente nível. Pelos Amadores de Montemor foram caras Noel Cardoso que consumou à 3ª, António Vacas de Carvalho numa excelente pega de caras á 1ª e que viria a vencer o troféu em disputa para a melhor pega, e Manuel Ramalho numa rija intervenção á 1ª. Quanto aos Amadores do Montijo, João Paulo Damásio concretizou boa pega de caras à 2ª, Pedro Santos esteve irrepreensível a citar e a recuar para consumar uma grande pega de caras à 1ª e Hélio Lopes apenas à 3ª conseguiu concretizar a última pega do seu agrupamento.

Os toiros (neste caso novilhos-toiros pois todos tinham o 7 na mão direita) da ganadaria de José Lupi, cumpriram no geral em diversos graus e ajudaram ao bom espectáculo a que assistimos.

 

Na direcção de corrida esteve António José Martins coadjuvado pelo veterinário Daniel Patacho de Matos, registando-se meia casa forte em termos de assistência.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me